quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

PARA LÁ DAS DITADURAS, A DEMOCRACIA REPRESENTATIVA, ESTRITO SENSO CONSIDERADA, SERÁ O FIM DA HISTÓRIA?

desenho de Manuela Baptista






Para lá das ditaduras, a democracia representativa, estrito senso considerada, será o fim da História?
Na História, ela é um marco incontornável, sim, incontornável e imprescindível, uma condição mesmo, mas até para sua própria salvaguarda ela não é, não pode ser o fim da História.
Pela democracia participativa, a democracia formal ou representativa tem de ser aprofundada.
Democracia participativa.
Que vem a ser isso?
É aquela que leva os cidadãos, organizados ou singularmente considerados a intervir, a participar politicamente para lá, muito para lá do exercício do sufrágio universal que a primeira, a democracia representativa disponibiliza nela incluídos os restantes instrumentos e órgãos de soberania, garantes da Liberdade, sem a por em causa mas indo para além dela ou melhor, fortalecendo-lhe as próprias raízes ou os fundamentos da representatividade.
Fortalecendo-a pela pressão grupal ou das massas, das multidões, dos lobbies, da média, das classes e dos partidos mas, também, pelo exercício político singular que a faz afirmar-se muito para lá do espectro grupal, sempre, mas sempre macrocósmico.
Corporizando-se naquele outro microcósmico, o da singularidade, do que para lá do grupal a representatividade estrito senso abafa, tal como a árvore às suas raízes as não deixa ver ou emergir.
Não deixa afirmar singular e politicamente.
E que levanta a questão do papel do indivíduo na História que o tem também.
Tudo isto desde que, resiliente, o indivíduo persevere no espírito da representatividade democrática onde este, o indivíduo pode, deve ter um papel soberano e, por isso mesmo, não menos representativo.
Mandela é disso um exemplo extremo embora ou por maioria de razão na transição da ditadura para a democracia plena.

O aprofundamento democrático revê-se, em última instância, no indivíduo singular, baliza, ele próprio, dos direitos da pessoa humana.
Razão de ser que a própria Democracia, em última instância, serve.
O fim último a que a Liberdade se destina, o indivíduo singularmente e não estatisticamente considerado.
Da Constituição Portuguesa, dos seus Princípios Fundamentais, ao seu Artigo 2º, para aqui o transcrevo:

Artigo 2.º

( Estado de direito democrático )

A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização política democráticas, no respeito e na garantia de efetivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes, visando a realização da democracia económica, social e cultural e o aprofundamento da democracia participativa.


Será preciso chegar a extremos como aqueles da luta contra as ditaduras para que sobreleve o papel do indivíduo na História na luta pela Democracia o que implica não apenas a sua instauração mas, também, o seu aprofundamento?
Não, não é preciso, sob pena da Democracia ou daquela representativa, podendo-se instaurar não se chegar a aprofundar fragilizando-se, refém das ditaduras que fica.
Há vinte e quatro anos que, resiliente e balizado pela democracia representativa, não paro de participar, tudo fazendo, por meios pacíficos e, logo, democráticos na equidistância em que me mantenho, por à primeira a aprofundar.
Mandela, pelo espírito da reconciliação, instaurou a democracia representativa mas, pese embora o seu grandioso exemplo, não foi mais longe do que isso.
Tão longe que ele foi!
No seu desapego ao poder e em tempo de vida útil, derrubando as fronteiras raciais, como o poderia ter conseguido ir?
Ele juntamente com os seus pares?
Que passo de gigante não realizou?

Há vinte e quatro anos, repito, eles não se medem apenas pelo tempo de existência deste meu blogue mas pelo início da minha produção escrita, empenhada e coerente, já nos idos de 1989 que em Democracia e sempre zelando por ela e pela sua natureza representativa que, resiliente e abdicando de todo o poder que não o da palavra que o mesmo quer dizer da independência e liberdade das minhas próprias ideias, não entro em pormenores porque o registo, todo ele, existe e pode ser seguido, não paro de as aprofundar, aprofundando com elas a própria Democracia que na sua representatividade estrita não encontra o seu fim histórico.
Não sem que não soubesse e tivesse sentido na pele os efeitos da ditadura que a precedeu.
Sempre, mas sempre congregando em vez de dividir.
Congregando e unindo, reconciliando forças e para lá das barreiras segregacionistas do dinheiro que quantas vezes também o são.
No um, o outro ou eu próprio a quem ela, a Democracia, em última instância, se destina, nele se revê e serve.
O um, sem mais, despido de qualquer apoio que não o das minhas ideias, ideias compatíveis com a Democracia, permanecendo sem esmorecer e sem delas, das ideias, alguma vez, abdicar.
Por opção própria, mantendo-me refém da prisão livremente consentida em que elas, as ideias, coerentes desabrocham e florescem.
Comprometendo-me sempre e por cada texto que escrevo no apego democrático inquebrantável.
Que ritmo e intensidade a mim próprio, eu não me impus!

E agora?
Será que chegámos ao fim da História?





se as democracias representativas não se aprofundarem até à raiz do um nas suas idiossincrasias e mundividências ao encontro da Democracia que não paro de desenvolver, aprofundar quer dizer isso mesmo, o espectro das ditaduras, sempre associadas ao exercício da violência, continuará a marcar o passo dos tempos históricos e a Democracia não se aprofundará




feliz ou santo Natal de 2013 e um bom ano de 2014

e a partir de 7/01






se só é pátria aquela que pensa e a minha pátria é a minha língua com a qual penso e ao meu pensamento o consubstancio, se sou pátria, inteiro me dou






Jaime Latino Ferreira

Estoril, 12 de Dezembro de 2013



23 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

AOS MEUS LEITORES


FIM

Perguntar-me-ão:

Fim da estória?

Ao longo de cinco anos de intensa e intensiva produção cidadã sempre original, de tal ordem que somando as páginas deste como do facebook elas ultrapassam os mil e quinhentos textos, quinto aniversário que tem lugar a dois de Janeiro próximo por a minha Amiga Filomena Claro, em 2009, me ter oferecido o meu blogue, chegou o momento de me impor a mim mesmo uma licença sabática que independentemente do que venha a seguir é mais do que merecida.

Merecedora de continuação ou de fim?

Sendo certo que o que escrevi na estratosfera pairará para consulta pública, se de mais merecido for, o tempo encarregar-se-á de o decidir.

Vosso


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 14 de Dezembro

manuela baptista disse...

as estórias, são como as lutas,

infindáveis


talvez, talvez, nem todas as respostas estejam na democracia

ki.ti disse...

da estratosfera apenas sei que deve ser redonda

e agora, quem é que mudará a música?

. intemporal . disse...

.

.

. boas festas . Jaime .

.

. abraço .

.

.

Kika disse...

Kriu?

Nem penses! Era só o que faltava!

Escreves e tornas a escrever neste teu blogue, que te irá, progressivamente, desvendando, não me chame eu Kika Assunção Suricata Esteves!

Entretanto, Bom Natal para ti!

Kriu!

Kika Assunção Suricata Esteves
Reino dos Céus, 19 de Dezembro de 2013

disse...

Olhó preguicento... Vistes?!

Menina Marota disse...

Feliz Natal

... e espero encontrá-lo em 2014 de novo aqui. É obrigatório, direi.

Um abraço

Jaime Latino Ferreira disse...

MENINA MAROTA


Embora, reconhecido, A entenda, obrigatório é uma palavra muito forte!

Umas Boas Festas para Si e para todos os Seus


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 22 de Dezembro de 2013

manuela baptista disse...

Feliz Natal à Música


e a todas as tuas Palavras

. intemporal . disse...

.

.

. e,,, .

.

. antes ainda que o ano cresça . e que o agora menino se torne adulto . para que possa ser o palco de tantas as vidas . de todas as vidas . inteiras e dianteiras . para usufruir .

.

. venho .

.

. desejar.Lhe um bendito ano de dois mil e catorze .

.

. um abraço .

.

.

Jaime Latino Ferreira disse...

FREE TO SEE


Beethoven
Gould
and me
variations
free to see


Jaime Latino Ferreira
Estoril the 7th January 2014

ki.ti disse...

afinal a música mudou-se sozinha...

Kika disse...

Kriu?

"Quem aos 60 já não 70, aos 70 já não 60."

Regresso no sábado, dia onze de janeiro do ano da graça de dois mil e catorze!

Kriu!

disse...

Se puder, também apareço! Dependerá dos meus afazeres a sul...

ki.ti disse...

hoje para festejar,

vou-te infernizar o dia!

. intemporal . disse...

.

.

. meu querido amigo,,, .

.

. no dia do Seu aniversário .

.

.

. dou.Lhe . os meus parabéns .

.

.

. ampla.mente sentidos . e que este dia se repita por muitos e agradáveis anos .

.

. onde a saúde . a paz . e a felicidade . Lhe sejam uma constante diária . e inteira.mente infinita .

.

. Tenha pois . um dia feliz . :) .

.

. um forte abraço .

.

. paulo
.

.

.

disse...

Olhó preguicento a encher-se de doces, lambuzado de mousse de chocolate e com uma bolinha de chantilly bem na pontinha do nariz!!!

Parabéns, Jaime, ladino à maneira!

Kika disse...

Kriu?

Pouso momentaneamente apenas e só para te dar os meus parabéns!

Que nunca venhas a ser um peso mono para a economia, nem a representação inequívoca de mais um buraco na estrada, como diz a nossa querida Nela Azeda o Leite!

Toma lá uma bicadinha e nada de excessos!

Kriu!

manuela baptista disse...

parabéns, Jaime!

e hoje, Sim


Estoril, 11 de Janeiro de 2014

:))))))

Linda Simões disse...

Jaime,

Cheguei agora para dar 1 abraço de aniversário + 1 de amizade +1 de carinho + 1 de saudade e dizer que os amigos estão no coração !

Beijinhos que são dois.

Ana Simões

Jaime Latino Ferreira disse...

AINDA E APENAS PARA VOS DIZER


Caros Leitores,

O meu silêncio vai-se arrastando já para lá de um mês mas ele continua prenhe de informação como, por feedback, me foi sugerido por um Amigo meu ao fazer-me a seguinte pergunta:

- Então, permanece em blackout?

Blackout.

Eis a designação correta para a minha presente atitude que, no entanto, não dá mostras de se refletir no número de consultas diárias ao meu blogue, entre as quarenta e as cinquenta e que não dá mostras de esmorecer, frequência que se mantem, diria, satisfatória.

Isto sem recurso a quaisquer expedientes publicitários!

Assim permanecerei.

Vosso


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Janeiro de 2014

Kika disse...

Kriu?

Encontrando-se este blogue, apenas e só, disponível para "consulta pública" desde 12 de Dezembro de 2013, eis chegada a hora de apresentar os resultados consolidados para o período em análise:

50 Dias de "consultas públicas".

50 Dias x 50 visitas diárias = 2.500 "consultas públicas" efetuadamente comprovadas.

2.500 "consultas públicas" x 20,65 Euros relativos à Taxa Moderadora devida, dado tratar-se de "consultas públicas" = 51.625,00 Euros

51.625,00 Euros - 20% Contribuição Extra.mais.do.que.ordinária de Solidariedade = 41.300,00 Euros (Quarenta e Um Mil e Trezentos Euros Europeus).

41.300,00 Euros tem a receber o autor deste blogue!
[Ou "Thb" 1.845.158,589.]

Vamos lanchar? ;)

Kriu!

Jaime Latino Ferreira disse...

KIKA


Kriu!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 2 de Fevereiro de 2014