sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

RÁBULA




- falas entrecruzadas temperadas de agoiros -

( fala 1 )

Caçadores de más notícias
no-las dão sem ter premissas
julgando prestar um serviço
cardápio são do seu vício

( fala 2 )

Se a notícia que te der
de bom tudo tiver
não usarei de talher
para comer o que houver

( fala 3 )

Ai se a notícia que desse
dissesse em gordas primeiro
ter o mundo alcançado
acordo de paz verdadeiro

( fala 4 )

Que risada se ergueria
chacota em tom vezeiro
e logo um falar zombeteiro
paternal responderia

( fala 5 )

Passaste-te no travesseiro
saíste-me um trapaceiro
se pensas que compro a notícia
vai contá-la ao mundo inteiro


em prol da liberdade de expressão e da objetividade informativa, quantas vezes, a enxurrada de más notícias que, supostamente, vende mas objetivamente propagandística e geradora de desconfiança, apenas cria campo fértil à boataria, à indiferença e à resignação gerais



Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Janeiro de 2013



3 comentários:

manuela baptista disse...

a rabular se apanham os trapaceiros,
agoireiros, más noticeiros


está giro!

EVB disse...

Julgo que a grande questão actual é que aqueles que dominam grande parte do nosso mundo (felizmente ainda há quem escape ou lute por isso) se servem hoje dos Media (como sempre, aliás, só que agora atingem milhões, daí a sua importância) para, através da manipulação (omissão, deturpação, etc) das notícias, cimentarem o seu poder. É uma arma poderosíssima de que eles nunca abdicarão! Obrigado pelo poema, Amigo. Gostei!

Jaime Latino Ferreira disse...

EVB


Querido Amigo,

Não tem nada que agradecer, foi com todo o gosto que Lhe o dediquei!

Um abraço e seja bem vindo


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 29 de Janeiro de 2013