terça-feira, 23 de agosto de 2011

DE LER A ESCREVER - III -




O espaço, o tempo, a palavra e a matemática … a música!
Na música a junção de todos eles na relatividade que os conjuga.
O espaço que se amplifica;
O tempo que se altera;
A palavra que nela se formata e a concentra;
A matemática que, intrínseca, também por sua via se exponencia.
A hieroglífica música tão imediatamente empática aos ouvidos e de decifração de acrescida e densa complexidade!
Nela, como se escreve e o que se lê, interpreta, como se ouve e o que, porque se pressente (!), logo se antevê …!
Num Bach universal que é de hoje como de sempre …
Nela as dimensões do espaço e as do tempo em inflexão conjugada.
Nela a relatividade integrada.
Nela o som primordial, o pulsar que nos transporta no tempo.
Num tempo elástico que passa e não passa, devagar como depressa.
Nela a arte do som, luminosa sonoridade … a condutibilidade imaterial da matéria!


quem vive a música por dentro tem dela tudo e o invento


 
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 24 de Agosto de 2011

6 comentários:

manuela baptista disse...

o espaço, o tempo, a palavra, a matemática e a gravura

a pauta de um trecho musical pode ser uma obra de arte visual, especialmente aquelas que têm notas e a caligrafia dos compositores

a arte do traço!

tem dela tudo e o invento

ki.ti disse...

Ler e escrever?

Parece-me mais, o ralo do lava-louça onde eu adoro beber água...

BRANCAMAR disse...

A música é sem dúvida uma arte maior, mas não me atrevo a dizer mais nada perante um especialista ma matéria.

Este Adágio é lindíssimo!

Beijos

. intemporal . disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria João disse...

Jaime

Meu amigo


Num Back universal, que sempre foi e ainda é, a sonoridade atravessa a palavra, ampliando-a, iluminando-a, dando-lhe o entendimento complexo das coisas mais simples. Em rigor e na sua própria relatividade.

Assim é o que escreve, também.
Assim é o que leio de si, igualmente!

Um beijinho grande para si e outro para a Manuela

Linda Simões disse...

Jaime,

Concordo com o Paulo :"... Inteligência".

Nem preciso dizer mais.


Um abraço aos queridos


Linda Simões