terça-feira, 9 de dezembro de 2014

BIOGRAFIA FOTO-MUSICAL - 2























ergo a minha bandeira na certeza de que inteiro é quem inclui em si todos os eus que vai sendo








1





JLF
2014

5 comentários:

ki.ti disse...

foi uma década ventosa,

quando chegaste à tuba tinhas metade dos cabelos

depois da China, recuperaste, como todos nós

manuela baptista disse...

regretter, quoi?

Kika disse...

Kriu?

Na primeira fotografia destaco o selo branco onde se lê "superior"... É engraçado como naquele tempo as fotografias eram tiradas por partes do corpo e imediatamente seladas com marcas de água de alto relevo e muitas até, rubricadas e datadas, como tu fazes a seguir a tudo o que escreves, prática também seguida na radiologia, por exemplo...

Reparo também no pormenor das lentes de contacto que usavas, na altura de genuíno vidro "museu" mas que sendo de contacto, nunca as pude usar, sob pena de furar os meus lindos olhitos ao colocá-las, com estas minhas garras... Agora tu roías as unhas, eu sei! Paixonetas da idade e pelo menos não andavam sujas a ofender pessoas meritoriosas...

Engraçado também o facto do teu bigode esquerdo se encontrar permanentemente de relações cortadas com o teu bigode direito, ou seria porque ambos temiam a hipótese de seres fatalmente ranhosito? Acho que nunca chegaram a saber e morreram na ignorância!

O teu cabelo é um estrondo, imagino as horas que passavas sentado com aquela cloche enfiada na cabeça a aquecer-te os neurónios todos... E logo tu, que tens tantos, eu tenho só dois, o kiko e a keka e mesmo assim de quando em vez tendem a fundir...

Na segunda fotografia destaco a camisola igualzíssima a tantas que também usei, de colarinho redondo e de várias cores, as quais, a minha mãe tricotava à mão, ao serão, a ver os programas da RTP, o telejornal que era só um, a novela que era só uma e o festival da canção que também era só um por ano e fomentava um serão raro lá por casa. De cigarro na mão, estás com um "ar" de quem promete uma para poder dar duas ou até três e eu gosto tanto disso! Muito fixe o teu estilo pois sempre ouvi dizer que os magritos são danados...

Na terceira fotografia, olha, estás tal e qual o meu primo direito, o Carlos, o qual sempre foi o meu ídolo, desde que lhe descobri umas revistas fabulosas, das quais nunca mais me esqueci, refundidadas na gaveta do fundo do guarda vestidos de três portas com espelhos frontais embutidos em lindas molduras clássicas e muito em voga na era, ah, pois era! Naquele tempo respeitava-se muito o ser humano e até o nome das revistas era muitas vezes o nome próprio de uma Senhora, por exemplo...

Na última fotografia pareces uma extensão da grande muralha da china, vertical e firme e hirta, como uma barra de gelo, mas se não estivéssemos em público, eu diria que já fumavas umas coisitas!

Que me perdoem os teus leitores, mas estas tuas biografias-foto-musicais estão a tirar-me de todos os sérios e estou a gostar tanto! Este é o melhor presente de Natal que recebi em toda a minha vida...

Kriu!

disse...

Menino da linha...

. intemporal . disse...

.

.

. bom . eu só discordo da kika no que se refere ao material de que eram fabricadas as lentes . a meu ver . seriam de cristal . Baccarat ou J. G. Durand ou Royal Leerdam ou Steuben Glass ou Waterford ou até Mikasa ou Swarovski .

.

. atlantis . da boêmia . ou d`arques . também havia . para quem pretendesse algo menos dispendioso .

.

. :) .

.

. meu querido amigo . está um espanto.de.tanto este seu "biografar" . :) .

.

. um forte abraço .

.

.