quarta-feira, 14 de setembro de 2011

HÁ PEQUENOS GESTOS

Atenas Moderna


Há pequenos gestos que valem por mil!
Ontem à noite, à volta do mural do meu facebook e depois de nele ter deixado um pensamento, não satisfeito e pesquisando aleatoriamente no Youtube, dei-me com um recital realizado no Conservatório de Atenas, sóbrio recital do Duo Vivo de qualidade inquestionável e, sem mais, perante o alarde e nervosismo globais face à situação das dívidas e da grega em particular, decidi-me a editá-lo com a modesta legenda boa noite, Atenas!
Foi um daqueles meus repentes de que não me arrependo de todo …
E fiquei a imaginar aquela cidade fervilhante, com toda a vida  própria que este simples recital, austeramente, retrata às mãos do nervosismo geral!
Onde todos, daquele brilhante país, se tentam demarcar, como se o pudessem fazer assim tão simplesmente não fosse a sorte de um dos seus ser indiferente ou passar ao largo da de todos os outros.
Um simples recital que poderia, tão só, ser uma modesta  cena da vida doméstica perante todas aquelas vozes especulativas e tonitroantes que se levantam diante das incógnitas do amanhã.
O recital teve lugar já este ano, o ano de 2011.
Perante ele mais não se me oferece dizer do que, palavras para quê (!?), há mais vida para além do deve e haver e como os números escamoteiam tanta coisa
… ou, se quiserdes, a vida continua!
Assim, desta maneira, num austero recital onde as notas que se tocam pairam acima de todas as angústias na afirmação da cultura europeia que tem nela, na Grécia, o seu berço e um dos expoentes …!
O berço da Democracia, é bom não esquecer!
E perante a simplicidade dos dois intérpretes de quem nunca tinha ouvido falar, perdoem-me a ignorância (!), nada mais me  ocorreu do que transpor, uma vez mais, o que escrevera para aqui, volvidas que são quase vinte e quatro horas, agora que a noite cai em Atenas, enfatizando:
Boa noite, Atenas!
καληνύχτα Αθήνα









Jaime Latino Ferreira
Estoril, 14 de Setembro de 2011

5 comentários:

manuela baptista disse...

boa noite Atenas!

Sócrates, Platão, Homero, Kavafis

e sei tão pouco

mas comia uma moussaka e depois um anfiteatro ao ar livre um calor na noite opaca, uma máscara uma representação

não nos assassinem a memória com números, é bem verdade

senão, chamaremos História a quê?

boa noite Jaime!

Maria João disse...

Jaime

Meu amigo,

Efectivamente, há mais vida para além da obsessão doentia de colocar tudo no prato de uma balança, saldando entre o que pesa e não pesa. O que tem e não tem valor, como se a vida, não tivesse nada mais senão o que é mensurável.
E tem, meu amigo, felizmente. Os gestos, por exemplo, os pequenos que são os que gosto mais.

Um beijinho enorme e...

Perdoar-me-á a ausência. Tenho andado entretida com outras pequenas coisas do mundo.

BRANCAMAR disse...

Bom dia, Jaime!
Bom dia Atenas!

É de gestos pequenos que se faz o mais importante da vida.

E a Grécia é concerteza e como diz não só o berço da democracia, como o berço da nossa civilização e de todos os porquês e de todas as ciências que a partir da filosofia floresceram através dos tempos.

Sendo assim, o espírito do que é belo nunca se perderá nos números se o não deixarmos e a arte há-de ser sempre o pão da alma, que é por vezes tão importante como o pão para a boca e que é mesmo o motor que faz avançar o mundo.

Gostei muito do texto e de como nos desperta para os pequenos-grandes gestos.

Beijinhos
Branca

Maltese Goat disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
. intemporal . disse...
Este comentário foi removido pelo autor.