sexta-feira, 30 de novembro de 2012

FRESTA

fresta

 
 

Se procurais maledicência, aqui ou ali não a encontrareis.


Se procurais o diz que diz-se, aqui ou ali perdereis o vosso tempo.
 

Se procurais juízos de intenção, aqui ou ali tão pouco os encontrareis.


Se o que aqui ou ali vindes buscar se confunde com dizer mal da Democracia, o que andais vós a fazer nestes lugares já que as autoestradas de informação jamais se explicariam ou encontrariam razão de ser sem ela?


Se procurais análises sobre temáticas que eu não domino, escusado será perder o vosso tempo por aqui ou por ali.


Se sondais informação isenta, em vão será o vosso esforço já que aqui ou ali apenas a encontrareis filtrada pelos olhos deste seu autor que, no entanto, se esforça por manter, distanciado, a equidistância possível entre as partes.
 

Se nisso virdes valia acrescida podendo, através de meus olhos, ajudar-vos a reinventar, então e só então, não será dado por perdido o vosso tempo.
 

Redimensionando-vos, já que sois mais do que, eventualmente, vos poderão considerar bastando, para tal, apenas uma ligeira inflexão de atitude, o que pareceria fechado ou uma simples fresta poderá abrir-se de tal modo que, quem sabe, vos deixará surpreendidos.
 

A fresta, então, poder-se-á abrir em luminosidade inesperada.
 

da perspetiva sempre ao alcance, a diferença
 

 

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 30 de Novembro de 2012
 
 
 

3 comentários:

BRANCAMAR disse...

Venho buscar uma frestazinha de amizade, assim luminosa, equidistante, eu gosto...

Beijos

ki.ti disse...

Eu gosto muito de festas.

manuela baptista disse...

uma grande, enorme janela

para o mar