sábado, 30 de julho de 2011

DA EFICÁCIA DA MUSICALIDADE SILENCIOSA DA ESCRITA




A eficácia do que é explícito deixa, muitas vezes, tudo a desejar …
Alguém afirma, ufano, não ser um menino do coro e logo lhe cai o menino e o coro, o Carmo e a Trindade em cima que assim se vê obrigado, engasgado, torpedeado a engolir!
Por outro lado, escrevo sobre alguém e quem será esse alguém!?
Esse alguém sabe que foi ele, outros implicitamente deduzirão quem ele é, mas poder-se-á afirmar que esse alguém é x, y ou z e pesem todas as coincidências espaço/temporais que ao que sobre esse alguém escrevo e para quem esteja atento, convergem no que tenha dito!?
Poderá esse alguém processar-me do que sobre ele, eventualmente, tenha escrito!?
A mim é que não me tomará ele por incauto, incauto ao ponto de não salvaguardar as minhas próprias defesas …!
E fui menino do coro, sim e depois!?
Que julga ele, que nasci ontem como ele!?
Que, como ele, na ânsia de protagonismo o desejo ter a troco de tudo ou nada!?
Ou sem que esse protagonismo se balize em terreno seguro sem o qual este se esfumará perante a chacota geral?
Sem que, ao que desse episódio escrevi, medisse bem a gravidade do sucedido ou a pertinência em sobre ele me pronunciar e como escrever, vindo, para mais, de quem vem nas responsabilidades que enjeitou, escarrapachando tudo na praça pública na ânsia de se safar e sem olhar a quem, nem aos meninos do coro os poupando tão pouco!?
Enchi o copo e zás!
Zás num silêncio musical bem medido!!
Afinal, o que é que os meninos do coro têm a ver com isso!?
Têm apenas na medida em que não dão tais fífias!
Mas com uma coisa temos nós todos a ver:
Há situações, preocupantes como o são pelo terreno em que se desenvolvem e que, afinal, a todos nos afectam, que não se compadecem com protagonismos de quem os deseje ter mas não está à altura deles!
E que arrepiante, no caso, isso não pode ser!?



a propósito de Quando os Galões Caem aos Pés publicado no mural do meu facebook e que, aqui, também Vos deixo



CALAI-VOS

Calai-vos
que dessas bocas
só sai
baboseira
sem ai
sem medir
o que vos trai
de tanto que não sabeis

Calai-vos
que nas parangonas
vos enterrais
marafonas






Jaime Latino Ferreira
Estoril, 30 de Julho de 2011

12 comentários:

manuela baptista disse...

as muitas asneiras dos políticos

saem à luz do dia
e da média claridade, chamada os "média"

quanto mais avança o Verão, mais eu recuo para uma outra dimensão

secretas são as polícias, mas esperar que tenham sensibilidade musical, não vale a pena

quando pertencem a um coro

as crianças e jovens instáveis, impacientes, desatentos,

transfiguram-se, fazem parte, aquietam-se afinam-se, esperam pelos outros, conduzem-nos

eu, a esse senhor de quem tu falas

não o mando a lado nenhum, porque ver "au revoir les enfants" de Louis Malle, seria um insulto ao filme e à memória daqueles rapazes

e

espero que saibas de que filme estou a falar :)))

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Seja de qual for, de facto, há filmes e filmes ...!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 30 de Julho de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

EFICAZES LUZINHAS I


40 960 = + 60 visitantes nas últimas vinte e quatro horas!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 30 de Julho de 2011

ki.ti disse...

1ªvoz: miauuu, miau, miaaaaaaaau
miauuu, miauu, miau

2ªvoz: miiiau, miiiau, miau, miau, miauuuuuuuuuuuu

a terceira voz é impossível, nós os gatos, não cantamos tão baixo

isto é um verdadeiro coro!

Jaime Latino Ferreira disse...

KI.TI


Pois é, gatinha querida, verdadeiramente musicais sois vós e quanto à terceira voz não te menorizes porque nós é que não a ouvimos, vós sim ...!

Bem podias dar uma arranhadela ao palerma que, esse sim, perdeu uma excelente oportunidade de ficar calado!!!

Palerma!?

E quem é o palerma?


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 31 de Julho de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

EFICAZES LUZINHAS II


41 020 = + 60 visitantes!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 31 de Julho de 2011

Maria João disse...

Jaime

Meu amigo

Entre o explicito e o implicito, a escrita terá sempre essa intenção complexa e expressa de silêncios e ruídos. Às vezes, é tão complexa a musicalidade, que não se entende, a não ser que se apurem todos os sentidos.

Um abraço e, apesar de menos presente, não estou ausente. Como imagino que entende :-)

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Querida Amiga,

Entre o ausente e o presente, uma presença que se distingue!

Não me diga que não entendeu!?

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 1 de Agosto de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

EFICAZES LUZINHAS III


41 070 = + 50 visitantes!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 1 de Agosto de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

EFICAZES LUZINHA IV


41 130 = + 60 visitantes!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 2 de Agosto de 2011

BRANCAMAR disse...

Ah! Jaime divertem-me tanto estes seus textos "implicitos", este jeito literário de chamar uns nomes de forma tão elegante e de nos deixar uma adivinha em mãos?
Não quer que diga nomes pois não?
Eu não digo, mas aqui e olhando à generalidade do texto não cabia só um, mas muitos, uma lista enorme...

Beijos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Querida Amiga,

Pois aqui estou e responder-Lhe:

Cabiam muitos?

Pois se cabiam!!!

Mas é nesta forma, elegante, como Lhe chama, de Vos deixar uma adivinha em mãos ou, se quiser, de Vos envolver e interpelar, na musicalidade que encerra, que reside, precisamente aí, a sua eficácia!

Chamar os bois pelos nomes nem sempre resulta, muito antes pelo contrário, em eficácia.

Antes do 25 de Abril e devido, ía a dizer graças (!), à censura, desenvolveu-se a arte de dizer ou escrever tudo sem o dizer nem escrever, de tal modo que os censores não percebiam e os destinatários aderiam pelo envolvimento, empenhamento a que eram obrigados e cumplicidade que se criava.

Criava-se assim, verdadeira interacção já que esta não existe sem esforço de parte a parte ...!

Depois essa arte, infelizmente perdeu-se e essa perda resultou em perda para a própria Democracia na ânsia de se escancarar tudo e não deixar nada por desvendar, com prejuízo para a arte e para quem, através dela, se fazia apelo ao esforço de desvendar ...

... em prejuízo, pois, da reflexão, lugar sagrado entre a transmissão da mensagem e a sua recepção!

E sem isso, a verdade é esta, a mensagem não se retém!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 2 de Agosto de 2011