segunda-feira, 25 de julho de 2011

O FUNDAMENTALISMO E O TERROR





Os trágicos acontecimentos ocorridos na Noruega e que em vários posts condenei, repudiei, sucessivamente, no mural do meu facebook, vieram demonstrar como os fundamentalismos, todos e quaisquer que eles sejam, casam bem com o terror.
Casam bem com essa nova realidade com que à escala nos teremos de habituar a lidar e sem baixar as guardas para as quais, afinal, o inominável do ocorrido na Noruega nos veio pôr de acrescido sobreaviso.
Afinal, esta trágica, inqualificável ocorrência, não poderia ser apontada a uma qualquer religião ou etnia que não as próprias de um dos seus!
Este, aliás, parece-me ser um falso problema:
O verdadeiro problema está em que replicantes, tais actos se perpetram independentes de filiações, cores, religiões ou culturas e se uma coisa é certa é que os fundamentalismos de sejam quais forem os matizes, sublinho, casam bem com o terror!
Terror, repito, e não terrorismo!
Terrorismo, para quem não tenha a memória curta (!), tem conotações históricas que se prendem com os epítetos que os colonialistas utilizavam para classificar os movimentos de libertação que às suas ex-colónias as pretendiam, legitimamente, tornar independentes.
Já o terror, até pela sua eventual inorganicidade, remete para aquilo que ele é:
O terror é inominável!
O terror, sendo subterrâneo, mata cega, indiscriminadamente e a eito!!
O terror, para além da ignorância e da inumanidade que revela, confunde-se com as mais terríveis das idiossincrasias!!!
O terror não tem pátria …
O terror é um dos preços que temos de pagar pelas coisas boas e más que a globalização e as novas tecnologias, inevitáveis, consigo transportam.
O terror obriga a mais democratização, mais cosmopolitismo, mais multiculturalismo, maior concertação global também para que, em simultâneo, não se deixem baixar as guardas …
Sendo subterrâneo, ao terror tem de se responder com o outro lado do subterrâneo de cada um de nós que o seja capaz, politicamente, de neutralizar!
O terror não passará!






Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Julho de 2011

8 comentários:

manuela baptista disse...

o terror é subterrâneo até ver a luz do dia ou da noite

o terror é o ovo da serpente

pode ter qualquer cor ou credo, cresce onde menos se espera

porquê? não sei

será por tudo o que dizes e por tantas outras coisas mais

a luta não é contra ele, será no meio dele, para o neutralizar

e choca sempre, esta matança violenta e estúpida!

manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


É como escreves:

Atribuir-lhe mais do que essa carga, a do terror pelo terror neste como em todos os outros casos, é estar a dar-lhe uma importância que ele não merece!

Se alguma coisa o terror merece é o nossos liminar repúdio!!

O resto é para os investigadores!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Julho de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

VÓS É QUE SOIS FUNDAMENTAIS I


40 605 = + 100 visitantes nas últimas vinte e quatro horas!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 25 de Julho de 2011

BRANCAMAR disse...

Não sei classificar o terror, nem o terrorismo porque me parecem dos mais abomináveis processos de retaliação, apanhando na sua onda toda a espécie de inocentes civis.

De facto o termo "terrorista, "terrorismo" era muito utilizado por senhores ligados ao Antigo Regime, mas até mais que aos colonos, o ouvi muitas vezes da boca do próprio Salazar nos seus raros discursos televisivos, em momentos cruciais, bem como também o utilizava de forma depreciativa relativamente a acções da oposição.
O assalto ao Paquete Santa Maria, ao Banco de Portugal na Figueira da Foz e a alguns consulados no estrangeiro, etc., foram sempre classificados pelo regime como actos terroristas, mas nunca mataram ninguém. Também se referia aos movimentos de libertação nas ex-colónias como "terroristas", daí outros terem-lhe seguido esse exemplo, embora sendo uma guerra organizada e confinada aos respectivos exércitos, exceptuando uma ou outra acção excessivas, talvez de parte a parte, embora ousasse afirmar que mais da nossa parte.

Enfim, que dizer? Hoje a guerra não tem rosto, o que a torna um monstro silencioso e perigoso.

Beijinhos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Querida Amiga,

Enfim ... e eu, que lhe hei-de responder!?

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 26 de Julho de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

VÓS É QUE SOIS FUNDAMENTAIS II


40 680 = + 75 visitantes!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 26 de JUlho de 2011

Linda Simões disse...

Jaime,

Tão triste tais atos de terror que não sabemos mesmo como comentar...
Mexem com nossas palavras mais escondidas,com nossos pilares de entendimento...
Uma realidade que se apresenta fria e trágica...
Que mundo vai ser esse que nossos netos herdarão ?

...


Um abraço aos queridos


Linda Simões

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Querida Amiga,

Que mundo vai ser esse ...!?

Aquele que nós fizermos por ser!!!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 27 de Julho de 2011