quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

PRESO





Preso ao que escrevo permaneço …
… e essa prisão dá-me imensa liberdade!
Como um rolo de pergaminho as minhas mensagens sucedem-se sem fim à vista.
Amarrado ao que vou escrevendo.
Que liberdade a minha não condicionada por oportunidades espúrias …!?
Ou por dores de alma de momento!?
Que me cegassem em egocentrismos eivados de imaturidade!?

Preso ao que escrevo permaneço.
Em calabouço de paredes amuralhadas de transparência …
Que não me obriga a duplas faces que se neguem entre si.
Eu e as minhas máscaras que se sucedem e complementam!

Permaneço.
E rio-me da pequenez de homens que se julgam grandes no deslumbre de um poder tão pequenino!
Sem alarde …
Num choro nada ostensivo, quase desculpabilizante.
Compreensivo, no mínimo.

Preso ao que escrevo, com indulgência, obstino-me em não fazer juízos definitivos!

Porque preso estou e permaneço …
Permaneço nesta fonte inesgotável que me inspira:
Num suspiro longo e profundo a desafiar murados invisíveis que me trazem a crescer por dentro.

Preso ao que escrevo permaneço e liberto-me de constrangimentos que a outros, na sua tacanhez, os diminui.

Preso ao que escrevo não esmoreço.

Quanto mais não vale ficar calado, preso ao que escrevo, pois que assim sou livre!









Jaime Latino Ferreira
Estoril, 26 de Janeiro de 2012

6 comentários:

Dulce disse...

"Permaneço."

Importa mesmo o façamos, cada um com a liberdade própria de cada pensamento, que livre (convém que o seja) nos norteará na vida.

Gosto muito.

Um abraço amigo.
dulce ac

Linda Simões disse...

E presa fico nesta página
que me incentiva a ser livre.
Pois aqui permanecendo,
liberto-me.

Dois beijinhos,

Linda

manuela baptista disse...

muito bonito o que escreveste

preso ao que escreves


eu por mim, separava esta página das outras duas anteriores, para não olhar para trás e seguir em frente

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Minha Querida,

Só que, esqueces-te, esquecer-te-ás mesmo ( !? ), esta página nunca seria escrita sem as que a precederam ...!

Sabe-lo bem, aliás!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 26 de Janeiro de 2012

Fernanda disse...

Gostei muitíssimo deste texto que me aprisionou totalmente.
Obrigada
Beijo

BRANCAMAR disse...

Muito belo este texto, sinal de grande liberdade interior.

Um bom fim de semana.

Beijinhos Jaime.
Branca