terça-feira, 5 de junho de 2012

PAU DE DOIS BICOS





Hoje, dia 5 de Junho, acabei de ouvir, mais uma vez na Antena 2 e no mesmo programa, Império dos Sentidos, que a seleção nacional é, no conjunto de todas aquelas que participam na fase final do Europeu 2012, aquela que, diariamente, mais vai gastar na sua estadia na Polónia e na Ucrânia.
Por uma vez falemos desta questão sendo certo que o meu lema, neste tipo de competições se resume a que ganhe a melhor e independentemente das minhas preferências subjetivas.
Ouvi esta notícia juntamente com minha mulher e numa primeira reação, mais a mais se atendermos às nossas presentes dificuldades de liquidez, isto para ser brando, foi uma reação de indignação e de espanto.
Como é possível!?
Mas logo comentei:
Interessante seria escrutinar o que encarece, então, essa estadia.
O habitual pasmo futebolístico?
Mas logo de seguida caí em mim:
É simples, do conjunto das seleções apuradas a portuguesa é a única que inclui no lote dos seus jogadores uma estrela planetária.
Para onde quer que ela vá, arrasta consigo multidões e com elas tudo aquilo que implica garantir a sua segurança!
Uma estrela planetária, aliás, que ao dirigir-se ao Mais Alto Magistrado da Nação, na cerimónia de despedida que este, à seleção, lhe proporcionou, até se deu ao luxo, à desfaçatez ou à ignorância, esta, o mais certo, de o tratar por você.
Sinal dos tempos!
Mas este é um sinal que transporta consigo um pau de dois bicos.
A saber:
A tal estrela planetária só poderá mostrar o seu pleno potencial se devidamente integrada no grupo e a seleção, sendo um grupo de ocasião, é um grupo em permanente formação.
Não é como um clube onde essa estrela esteja integrada nem, tão pouco, treinada por um dos melhores.
É o que foi possível arranjar-se num sistema sempre em construção.
A estrela planetária pode-se, assim, tornar numa estrela cadente que, se brilha, rapidamente desaparece nos céus.
Ou, pior do que isso, sentindo-se a seleção acomodada, adormecida e, até mesmo, atordoada, por via das mordomias a que a representação da estrela maior obriga, pode, pura e simplesmente, cadente como a tal estrela, sumir-se, ela também, no firmamento!


para que sejam repostas condições de igualdade entre todas as seleções
 



Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Junho de 2012

4 comentários:

nacasadorau disse...

Normalmente nem discuto "football" e estou tão farta de vedetas que mal abrem a boca me deixam uma azia imensa, que dispenso até os jogos, onde aparentemente deixam de brilhar comparativamente aos feitos nos seus Clubes que lhes pagam valores absolutamente absurdos...
Vi a mesma notícia e fiz-me a mesma pergunta.
A resposta que obtive foi outra. "Estão na Polónia, e é a nossa selecção, qual é o espanto?"
Fiquei, como sempre, sem palavras para estes absurdos.

E somos nós um país na falência.
Mais não digo que não tenho a pretensão de mais entender.

Abraço

manuela baptista disse...

está um frio de rachar

parece que o mundo inteiro se uniu pra me tramar

então você não entende que quanto menos somos, mais temos de mostrar que temos

não háaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa estrelas no céu

há no futebol olé!!

e eu cá torço pela seleçon! pelo menos esqueço-me da troika

então vocês não percebem?


nota: da muito possível razão, dou-te razão

ki.ti disse...

Não percebes nada,

os gastos excessivos são com o condicionador de cabelo do Ronaldo!

cristina disse...

Este é um problema muito atual em Portugal. Temos mais estrelas do que equipas seja no futebol, na política e na economia.