terça-feira, 6 de julho de 2010

CONVERSA A TRÊS

"As pessoas que eu mais admiro são aquelas que nunca acabam."
-
José de ALMADA-NEGREIROS, importado de
Terraços de um Anjo
-
Paulo e Almada,
A ti, Paulo, perdoa-me o abuso que assim me levou a sacar deste teu blogue a imagem, desenho de Almada, seu auto-retrato e a citação que aqui está para sobre esta última, sem descurar o Seu inconfundível traço, a partir delas reflectir.
A ti, Almada, que já cá não estás para te defenderes (!), perdoa-me isso mesmo, o pegar assim em palavras tuas e descontextualizadas, para apontar nesse mesmo sentido ...
Sobre ti, à luz do teu traçado e das tuas palavras que aqui pontificam, remetendo-as para ti próprio na obra que nos legaste, como elas se aplicam, tout court, no teu personagem que por essa via, por via da tua obra, nunca mais se acabará de refazer ...!
Sim, porque, afinal, quem és tu!?
Será que esta pergunta poderá alguma vez vir a ser cabalmente respondida!?
Não, não me parece ... crescerás sem nunca mais acabar no precioso legado que nos deixaste!
Voltando a ti, Paulo:
Pegando também em palavra com que te gostas, eu pelo menos gosto (!), de te identificar, Intemporal ...
Acabas ou não!?
Claro que todos nós temos a nossa finitude, não ficaremos por cá para sempre ...
Tu és alguém, alguém de concreto com quem me habituei a conviver e a apreciar, mas como eu, como o Almada, como um anónimo qualquer, somos mortais!
Um dia, como o Almada, extinguir-nos-emos por aqui ...
De nós, o que sobrará?
Sobrará o que saibamos dar, como o Almada o deu!
Tu já me deste variadíssimos pretextos ...!
Dir-me-ás que o Almada é o Almada, nós ... quem é que somos!?
O que acontece em relação a Almada como em relação a todos os consagrados e disso, porque se tornaram consagrados e imortais entre nós e já não falo da vida eterna em que se acredita ou não, questão de fé que em cada qual eu respeito (!), o que se passa com eles, no seu sempre inacabado retrato, com certeza, é que houve um momento no seu percurso do qual já todos se esqueceram em que saltaram do anonimato para a consagração!
Antes disso, qualquer consagrado, Almada seria como tu ou eu:
Ilustres desconhecidos!
No entanto, se eu me puser a cavar no percurso de um ilustre desconhecido entretanto finado, tem ou não fim, acaba ou não o seu percurso?
Onde e como e para lá da sua morte física?
Poderá, alguma vez, ser refeito o seu retrato?
Não, meus caros amigos, nenhum de nós acaba mais e logo no estrito sentido terreno, somos todos imortais!
Tu, Almada, sabes bem que o és!
Tu, meu caro Paulo, imagina só se algum dia e depois de finados, tu e eu, alguém pegando ou não nesta carta tripartida, nos resolve revolver a nossa história!?
Aposto contigo que nunca mais o acabariam de fazer!
Pelo que ... a todos, Vós que não haveis posto um fim ou violentado as nossas próprias imortalidades, Vos admiro!
Imortalmente Vos enlaço, sempre inacabados, Vosso
-
no dia da morte de Matilde Rosa Araújo
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

42 comentários:

BRANCAMAR disse...

Gostei muito Jaime, interessantíssimo!
Na minha opinião para além da crença ou não na imortalidade, há realmente os que nunca acabam e não são aqueles que têm um momento de glória, porque há os que realmente têm esses momentos efémeros. Acho que a glória é algo pelo que muitos lutam, mas aqueles que são realmente geniais e têm toda uma vida e uma carreira únicas, ficam para sempre, sem nunca se terem preocupado com isso, porque lhes foi dado o dom de serem diferentes e de impulsionarem um ritmo e uma presença no mundo em que viveram e para além dele serem considerados sempre actuais, outros porque transformaram a sociedade do ponto de vista científico.
Almada é um caso recente, mas se não fosse assim como se compreendia que tivessem chegado aos nossos dias Homero, Sócrates, Aristóteles, os nossos Gil Vicente (pai do teatro), Fernão Lopes e os nossos poetas medievais, com as cantigas de amigo e amor e tantos, tantos, uma imensidade de almas únicas que é impossível enumerar aqui.
Há realmente quem fique para sempre na memória colectiva e penso que eram esses que Almada admirava, como pessoas que nunca acabam...

Estou a descobrir a obra de Óscar Wilde, conhecia apenas um livro seu e estou a conhecer o fascínio de alguém que nunca acaba:

"A instrução é um esforço admirável. Mas as coisas mais importantes da vida não se aprendem, encontram-se."

Óscar Wilde

Por vezes até a genialidade se encontra ao fim de séculos, porque não conseguimos numa vida absorver todo o conhecimento e porque se aprende até morrer.



Beijinhos para si e para o Paulinho, com amizade.
Branca

Priscila Lima disse...

suas palavras são admiraveis!
Abraço.

manuela baptista disse...

quem diz três, diz quatro...

eu não acabo

se confiar nos outros e lhes confiar
aquilo que eu desejo que lhes seja cedido para sempre

não acabo se pegarem naquilo que eu sou e o transformarem, revolvendo a minha história e resolvendo-a para lá de mim

não acabo
se for eu e já não for

e da imortalidade não sei nada

gostei de conversar convosco, especialmente porque vos admiro e assim não se me acabam nunca!

quem diz quatro, diz cinco...

obrigada Matilde
pelo teu palhaço verde!

Manuela

. intemporal . disse...

.

. se o sonho é [também] um compasso de espera .

.

. se a dança é uma trança que a finitude alcança .

.

. se a lança chega à sua hora e pres.creve já mansa .

.

. e ainda,,,

.

. se a quimera deixar de ser uma utopia .

.

. se a mitologia unificar numa só alma todos os seres que juntou em sangria .

.

. se a carroça permanecer na ascese da contemporânea alegoria .

.

. a vida será a.penas ou tão somente um momento visível de energia .

.

. de alpha a ómega, no des.tempo da supremacia .

.

. almada, jaime, paulo, partículas de um vasto fenómeno oriundo da Criação .

.

. abraço.Vos .

.

. paulo .

.

BRANCAMAR disse...

Credo, que coisas estranhas andam a acontecer hoje nos blogues.
Eu fiz aqui um longo comentário à hora de almoço e agora não o vejo, outros desapareceram do meu sítio.
Desisto, volto à noite para ver se são magias do blogger, se também está afectado pelo calor.

Beijinhos Jaime, logo repito a minha opinião, se a primeira não regressar do sítio para onde foi passear durante o dia.

Beijinhos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

PRISCILA LIMA


Muito obrigado!

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

. INTEMPORAL .


Paulo,

Escrevia-me o meu Amigo por mail que já aqui tinha vindo comentar mas, onde está o Seu comentário que o não vejo!?

Um grande abraço


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Filomena disse...

Sim Jaime é isso mesmo!

Uns serão mais inacabados dos que outros, ou seja uns demoram mais a acabar que outros, mas todos nós, à nossa maneira,somos seres únicos e nisso estará, talvez, a nossa (i)mortalidade


Um beijo

Dulce AC disse...

Muito bonita esta mensagem feita de palavras admiráveis no dia em que faleceu a mulher tão amiga das boas palavras
Matilde Rosa Araújo
bonita homenagem também Lhe faz aqui Jaime (Olá..!)

"As pessoas que eu mais admiro são aquelas que nunca acabam."

José de Almada-Negreiros bem sabia o que escrevia
e o meu Amigo Jaime e o Seu Amigo Paulo,
tão verdadeiramente O enaltecem

e muita justas são as palavras ao Seu Amigo Paulo, pois passarmos em "Terraços de um Anjo" dá-nos sempre um sentir maravilhoso de intemporalidade
também pela música..sempre a música!

E mais palavras não são precisas:

"Não, meus caros amigos, nenhum de nós acaba mais e logo no estrito sentido terreno, somos todos imortais!"

Um abraço a Si Jaime
que tão admirávelmente nos conduz a estas palavras tão admirávelmente certas

dulce ac

. intemporal . disse...

.

. jaime,,, então onde estará ? .

. eu já o encontrei . :) .

. re.abraço.O .

.

. paulo .

.

Jaime Latino Ferreira disse...

INEXPLICÁVEL


Pegando em palavras da Branca, algo de estranho aqui se passa pois, ainda agora aqui vim e apenas vi o comentário da Priscila o que logo me levou a escrever ao Paulo que me tinha dito, estar já aqui o Seu comentário ...

Voltei, logo a seguir e afinal, logo me apareceram os comentários restantes que a este o precedem!

Pelo facto e por qualquer confusão criada, me desculpo sem culpa a ter!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Minha boa Amiga,

Só para dizer:

Quantos, nada tendo deixado mas que muito tenham dado, feita a investigação ao seu percurso mais inacabados ficam do que aqueles que por obras sejam referenciados!

Já pensou nisto!?

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

EMEZINHAMINHAQUERIDA


Fica dado o título a esta caixa de comentários:

INACABADA CONVERSA DE MUITOS


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de JUlho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

. INTEMPORAL .


Paulo,

... partículas inteiras ...

Grande Abraço


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

FILOMENA CLARO


Minha Querida de boas conversas,

Repiso o que disse à Branca:

Quando se deixa um rastro indelével é, todavia, mais fácil de concluir o retrato do que quando ele passa invisível e tanto mais quanto difuso o fôr!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

BRANCAMAR disse...

Afinal o meu comentário que timha passeado de tarde já apareceu, isto hoje está difícil...
Beijos

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Minha Querida,

Que mais Lhe hei-de dizer senão agradecer-Lhe!

Grande beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

. INTEMPORAL .


Paulo,

Suspeito que haja por aí ... diabruras de um anjo debruçado em terraço!!!

Nem sei como o abrace


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCA


Querida Amiga,

O melhor é não ligarmos mais e dar tempo ao tempo ...!

Beijos grandes


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

BRANCAMAR disse...

Sim, Jaime, já pensei muito ao longo dos anos na reflexão que fez ao meu comentário e já conheci gente genial que nunca foi lembrada senão pelos mais próximos, quanto muito pelos seus temporais, pelos amigos e filhos de amigos que vão passando a sua história, mas esses infelizmente acabam para o mundo com a memória dos que lhe são mais queridos. Inclusivamente conheci uma pessoa notável que desapareceu há dois anos e ainda é lembrada pelas Instituições locais e homenageada, que foi um notável e distinguido Mestre, poeta e escritor na área da História, professor Universitário, que chegou a acabar doutoramento antes de partir, que foi também político local, mas sempre se quis manter junto dos mais simples, nunca se preocupou em sair das Associações locais amadoras, poderia ter sido um notável a nível nacional, tem inclusivamente obra publicada, uma das melhores obras sobre a História do Teatro Europeu, mas mesmo assim não prevejo que daqui a 100 anos a sua memória perdure, a não ser aqui mesmo junto do seu povo, numa qualquer placa de uma Associação e poderá algum menino ou jovem perguntar quem foi aquela pessoa que tem ali o seu nome escrito.

No entanto foi dos encontros mais gratificantes que tive na minha vida e continuo a ter através da sua família e de toda a transmissão dos seus conhecimentos.

E esse homem não acabará enquanto eu, os meus filhos e os seus netos e amigos destes e por uns anos se mantiver esta admiração.

Beijinhos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Só lhe quero dizer isto:

Como sabe, Bach, hoje é incontornável na História da Música, no entanto, ele que em vida era um músico credenciado o que lhe permitiu viver da sua arte com dignidade, após a morte, esteve sensívelmente cem anos na obscuridade.

Foi preciso Mendelssohn que o veio retirar das gavetas empoeiradas em que o seu espólio jazia para, finalmente, se converter, mais e mais, naquilo que ele hoje é!

Um outro beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

O Rasteirinho disse...

De mim ninguém se esquece
Nem aqui nem akoli
Eu sou o mais lindo do mundo
O Rasteirinho que do fundo merece

Toda a amizade e consideração
Que um dia após outro sempre alcanço
Todos me querem passar a mão
Porque eu até sou muito manso

Se Bach esteve empoeirado
Com o cabelo desgrenhado
Fosse como eu e tomasse banho
E fosse o mundo do seu tamanho

Por outro lado eu nunca acabo
Mas a Manuela acaba concerteza
Porque eu sou um crocodilo alado
E a Manuela é da natureza

Que a fez com hora finda
E a minha para sempre imortal
Minha amiga, aproveite ainda!
Que eu ainda estou no Carnaval

Um abraço de quem, de quem?

D`O Rasteirinho pois claro que sim.

manuela baptista disse...

é o que dá!

porem-se com conversas estranhas e glórias vãs

e fama para aqui e imortalidade para acolá e conversas a três e outras vozes e tudo tão intelectual que eu até pasmo

e se Gil Vicente não fosse tão desbocado eu até o mandava chamar para me ajudar a dizer uns impropérios


ou Homero se não me viesse chatear com odisseias e me ajudasse a perceber o que é que andam todos a fazer em busca dos comentários

se eles estão todos aqui!

e claro!

tinha que aparecer um mais
terra-a-terra, ou melhor mais charco a charco, apesar de ter asas

mas esse ao menos percebeu que a natureza é comigo e quem está comigo está na minha natureza

vaga
perecível
mais água do que ar!

eme bê

...carnaval??????

rima com

laranjal
cadaval
vendaval
sensacional

...

BRANCAMAR disse...

Ai Jaime, realmente tenho que concordar também um pouquinho consigo e acredito sinceramente nisso, mas Bach teve essa sorte, outros também, mas nem todos a terão. De qualquer forma o importante mesmo é que quando a obra fica passa a ser mais do leitor ou ouvinte e será sempre ele o seu beneficiário, aquele que inclusivamente lhe dará subjectivas interpretações e a recreará, o que é magnífico e dessa forma ela nunca acabará.

Mas, convenhamos que são também tão bonitos e admiráveis seres como este rateirinho, tão terrenos e originais ao mesmo tempo e que a Manuela diz muito bem, a natureza é que é importante, sobretudo a água e o mar, que nisso somos gémeas e nós seres himanos também somos natureza, parte integrante dela e muitas vezes esquecemo-nos disso e da harmonia que devemos manter com este Universo.

Beijinhos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

JACARÉ


Já cá me faltava, ó que saudades, este réptil desgrenhado!

Ou desgrenhado era Bach!?

Vá, descansa, vá lá que nunca mais acabas, também tu ganhas esse direito!

Uma lambuzadela de festa nesses teus capilares

( desde quando é que os répteis, por mais bonitos que sejam, têm cabelos!? )


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

NATUROBAPTISTA


Charco!?

Não me digas que o Rasteirinho se insinuou do meu soneto anterior!???


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Tudo o que diz está muito bem mas o que é certo é que nenhum de nós é, propriamente, sem os outros que pela palavra nos e se recriam!

Somos eminentemente sociais, pela sociabilidade se recriam obras julgadas para sempre esquecidas ou se inventam os danados de uns jacarezitos convencidos que são poetas e que nos atazanam o juízo ...

Isto é que tem sido, minha Amiga, que intenso parlapié o nosso!

Mais e inesgotáveis beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

manuela baptista disse...

sinsinuou pois!

somos himanos?

mb

BRANCAMAR disse...

Jaime,

E nunca mais acabava, se fosse um parlapié olhos nos olhos, à fresca das frondosas árvores do seu jardim, ou por aqui pelo meu pequeno espaço ao ar livre, debaixo das estrelas, um serão tertuliana à velha maneira, cujo calor humano nunca será substituído pelas nossas bloguices, :), mesmo assim muito agradáveis e interessantes, só falta mesmo o brilho e o entusiasmo do olhar, imaginemos...

Beijinhos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

SINSINUABAPTISTA


Bem me queria parecer, estafermo do bicho!

Não me digas que és himana dele!?


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 7 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Boa Arminda,

Pense assim:

Já reparou que se não fosse este nosso convívio blogueiro, não poderia ambicionar um outro mais temperado pelo calor humano e pessoal, fosse em que espaço ou em que condições fosse!?

Olhe que isto que por aí, nesta esfera vamos desenvolvendo já é mais do que à primeira vista pode parecer!

E nunca mais acabando, pode estar certa, fica nos anais!!

Uma boa noite para Si e para todos os que por aqui concorreram ou continuarão a concorrer para uma conversa sem fim


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

RECORD


Em meio dia, tanto quanto decorreu até ao comentário anterior, tenho a impressão que é a primeira vez que se editam tantos comentários por aqui ...

Para que conste!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 7 de Julho de 2010

Dulce AC disse...

"...um serão tertuliana à velha maneira, cujo calor humano nunca será substituído pelas nossas bloguices, :), mesmo assim muito agradáveis e interessantes, só falta mesmo o brilho e o entusiasmo do olhar.."

subscrevo inteiramente estas palavras...!
pois há muito de magia nos encontros ao vivo e ao natural
há muito de partilha mesmo que só num olhar amigo

e isto meus Queridos Amigos..
(Olá Manuela e Jaime!)

isto é incomparávelmente
muito bom
momentos de muita vida

Beijinhos..!

e por aqui também foi acontecendo Vida no encontro das palavras

dulce ac

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Minha Querida,

Sem contrariar nem o que a Branca nem o que a minha Amiga escrevem, a verdade é que ...

... no encontro das palavras já nos encontramos, por vezes mais do que na fugacidade de um encontro pessoal, insubstituível concordo mas que às próprias palavras lhes vai buscar o preenchimento que, em ambos os casos ou está ou não está presente ...

As palavras são o miolo da alma!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 7 de Julho de 2010

Linda Simões disse...

"As palavras são o miolo da alma"...

Jaime, tu consegues traduzir os sentimentos de maneira clara e PRECIOSA.


E a alma é imortal.


Parabéns,mais uma vez.


beijinhos


Linda Simões

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Como me fazia falta por aqui ...!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 7 de Julho de 2010

Dulce AC disse...

e os silêncios também podem sê-lo...
"o miolo da alma"

muitos beijinhos de não prescindir de ter em alguns dias encontros com pessoas de quem gosto

pelas palavras ou pelos silêncios

ou que o seja mesmo e só por um abraço...

dulce ac

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Mas então ... se os silêncios são o miolo da alma as palavras, então, serão a sua côdea ...!

Ou não!?

E um abraço, querida Dulce, um abraço, ora aí está que dá-lo, dá-lo mesmo só em pessoa (!) como um beijinho, bem vistas as coisas, o que serão!?


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 7 de Julho de 2010

Dulce AC disse...

côdea ...?!

há que unir...palavras e silêncio no "miolo"

quantas vezes um silêncio numa presença comporta tantas e tão maravilhosas palavras...
ou

quantas vezes num silêncio de presença comportamos tantas palavras de tristeza...

é a vida.
e cada um é que sabe
e só Deus (para quem acredita)
sabe de Todos..!

Jaime, um abraço e um beijinho!
E até logo ou até amanhã.

dulce

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Minha Querida,

Palavras e silêncio, côdea e miolo ...!

Sem que o saiba ou talvez pressentindo, minha Querida, até parece que já está a puxar pela minha terceira réplica que logo à noite editarei ...

... o que a música não comporta!


Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 7 de Julho de 2010

manuela baptista disse...

...venham então

que agora já está sombra!

Manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

M ... TISTA


Sombra como a escrita o é ...!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 7 de Julho de 2010