quinta-feira, 16 de junho de 2011

RÉPLICA A MUDAM-SE OS TEMPOS, MUDAM-SE AS VONTADES

De igual para igual ( porque não!? ) interpelo Camões, essa matriz inconfundível, e canto-lhe como tudo, de então para cá, mudou!


MUDAM-SE OS TEMPOS, MUDAM-SE AS VONTADES

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.
 
Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

( Luís de Camões )
 

RÉPLICA

CRESCE MINHA VONTADE

Passa o tempo ficam as saudades
transformo-me e encho-me de esperança
tudo muda cresce a confiança
não ficando iguais as qualidades

Olho para o teu tempo e vejo as novidades
que das tuas diferem na lembrança
magoada de um tempo o teu desesperança
isolamento perdido das vontades

De expectativa verde é o meu canto
diferente do teu em que seria
um grão perdido neste imenso manto

Tudo já muda e cresce como soía
quanto mais se mude o forte espanto
neste meu transfigurado canto em cada dia



( publicado, em primeira mão, no mural do meu facebook, hoje mesmo )




Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Junho de 2011

13 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

RÉPLICAS I


37 580 = + 140 visitantes nas últimas vinte e quatro horas!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Junho de 2011

Fézada disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
manuela baptista disse...

já vens a caminho Fézada?

a pensar nos croquetes da festa de amanhã

só espero que a fritadeira s'abra!

manuela baptista disse...

peço desculpa poetas!

(não estou no meu blogue, baralhei-me com a fábula)

está linda a réplica, linda!

manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

FEZADINHA


Canito,

Cd's ... será uma alegoria para croquetes!?

Sempre atento, olha, vai clicando neles e verás já que, para te explicar, teria, eu próprio, de tomar um reforço dos ditos ou julgas o quê ... julgas que, eu também, não gosto deles!?

É por isso que, de mim, estás sempre a levar tampa!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Junho de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


s'abra ... estás a ver, ó Fezadinha, como até a Manela a ela alude implicitamente!???


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Junho de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Ahh ... estava a ver que te esquecias de nós!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Junho de 2011

ki.ti disse...

De igual para igual, não mudes nada que eu detesto!
Já me chega ter o rafeirote cá em casa este fim de semana, nem posso vadiar em paz...
Quanto ao soneto, eu acho que me soía, deve ser da métrica.

ki.ti

Jaime Latino Ferreira disse...

KI.TI


Tu és mas é uma grande desavergonhada ...!

Gata danada


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Junho de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

RÉPLICAS II


37 680 = + 100 visitantes!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Junho de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

RÉPLICAS III


37 745 = + 65 visitantes!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Junho de 2011

Maria João disse...

Jaime

Meu amigo

Se Camões lesse a sua réplica, que orgulhoso se sentiria.
Por motivos vários.
Alguns lusos, outros literários ( contrariando algumas opiniões, talvez), mas acima de tudo pela mensagem, impregnada pelo tempo e pela evolução das coisas e a vontade dos Homens no mundo. Nunca os seus versos fizeram, como poderia ele verificar (e como verificamos nós), tanto sentido.


Tão atrasada ando na leitura que hoje me dediquei à sua página. Li " tudinho " da página actual até aqui. Ao contrário, portanto, como se eu quisesse inverter a cronologia natural das coisas, o que não é verdade.

Também a mim só me ocorre dizer:
Muito bem!!!

Um abraço enorme desta sua amiga

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Querida Amiga,

Muito obrigado!

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Julho de 2011