terça-feira, 18 de maio de 2010

CLARIDADE

Jaime Latino Ferreira, Claridade, desenho de 2007
-
Sob fundo enegrecido sobreleva o branco, o luar, a transparência do que aqui se escreve.
Olhai para a produção aqui, neste meu blogue, produzida e interrogai-Vos, sem lamechices, com base nos dados biográficos que nesta página, com toda a transparência, Vos lego:
Nunca consegui concluir um curso superior, primeiro, antes do 25 de Abril de 1974, por razões políticas que compulsivamente me obrigaram a afastar da Academia e mais tarde por dinâmicas criadas no interior desta que valorizavam tudo menos o reconhecimento do mérito e pese embora tese extra-curricular que ainda hoje guardo com orgulho mas que sobre mim fez recair silêncio constrangedor, pesado e aflitivo;
Nunca pertenci a nenhum quadro profissional o que, também por livre opção, confesso-o (!), me fez ser enquadrado naquele grosso e indeterminado conjunto de profissionais, os chamados trabalhadores independentes, desprovido de quaisquer regalias, sindicalização e estabilidade no exercício, no caso, da docência e pese como pesa a fiscalidade que mantenho em dia;
Nunca me verguei a tiranetes que pululam e mesmo se em causa poderia estar o exercício profissional que tanta falta me, a qualquer um de nós nos faz:
Nunca deixei de optar pelo que, no momento e no contexto, se impunha, à luz do meu livre arbítrio, como prioritário;
Nunca deixei de manifestar a minha indignação ou de questionar mesmo os fundamentos que ao meu trabalho o poderiam estar a subverter;
Sempre fundamentei, nesses contextos, as minhas atitudes e mesmo se com elas, nos jogos de poder que sempre, autoritários, em contextos profissionais, se impõem à justeza das mesmas e do direito à indignação em que, verdadeiramente, o que poderia estar em causa era o meu posto de trabalho como o esteve e ficou por inúmeras vezes;
Sempre justifiquei, expressamente e por escrito, as minhas tomadas de posição que hoje se encontram depositadas em vários arquivos importantes e, nomeadamente, conforme me foi expresso por ofício, na biblioteca do Centro Nacional de Cultura.
Entretanto escrevi Obra, obra que aqui também se vai plasmando para que a possais, pública e livremente, avaliar e dizer de Vossa justiça!
Hoje, o meu salário, feitas as contas, não excederá em muito, se é que excede (!), o salário mínimo e se não fossem os rendimentos de minha mulher ... onde estaria eu!?
Estou aqui e ao que vou e, até agora, ninguém me impediu e pesem todos os constrangimentos que se vão sentindo e recaindo sobre Nós, Vós também (!), de ir mais longe ...
Nunca deixei, aliás e com toda a ombridade, de tomar as decisões ou de fazer as opções que, quer a nível pessoal como profissional, entendi, para lá de todos os custos, dever fazer!
Não digas nunca, retorquir-me-ão, certo é que, como nunca, permaneço inabalável!
A crise não é para mim uma novidade, há longos anos que pesa e se faz sentir, sem que por tal esmureça ou desanime, deixe de persistir num caminho em que Obra se realiza e impõe à saciedade!
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Maio de 2010

6 comentários:

Brancamar disse...

Gostei do que li, da força, da dignidade, da coerência e da humildade de o expôr.

É um pouco o problema ou a vantagem de todos os que são honestos consigo próprios e com os outros e se habituaram a viver dentro das suas medidas.

Felicito-o e deixo um grande abraço e beijinhos.
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Querida Amiga,

O problema ou a vantagem ... diz muito bem!

Estou em crer que é uma vantagem!

Obrigado e beijinhos de volta


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Maio de 2010

rosa-branca disse...

Olá amigo, é decerto uma vantagem naturalmente com um problema. Todos sabemos que ser honesto, ter princípios, ser digno tem factura a pagar. Felicito-o pela pela maneira como nos fala do assunto. Com dignidade e de coração aberto. Beijo meu

Jaime Latino Ferreira disse...

ROSA - BRANCA


Muito obrigado!

Saudações


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Maio de 2010

Filomena disse...

Jaime!

Posso resumir este magnífico texto a duas palavras: honestidade e integridade

Parabéns


Beijinhos

Jaime Latino Ferreira disse...

FILOMENA CLARO


Minha Querida,

Obrigado pois assim é!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Maio de 2010