domingo, 19 de dezembro de 2010

POLIFONIA

Paula Rego, Virgem grávida, Capela do Palácio de Belém

Tenho frio
disse eu
e tu não tens

Tenho um calafrio que me percorre
que de alto abaixo vibra
e que não morre

É teu calafrio
sinal sem nome
cor de um arrepio
sem ter pronome

Ai meu calafrio
que ideia a tua
é mais frio que o frio
que vem da rua

Não queiras estar ao frio
ar de chorar
sem ter um agasalho
nem ter um lar

Razão terás
no frio que estás
mas este calafrio

nunca se viu

Será como tu dizes
mas deixa entrar
a luz que a ti te aquece
deste lugar

Frio de um arrepio
de um calafrio
quem poderá dizer
qual mais sombrio

no reconhecimento, entre outros (!), do papel social da Igreja

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Dezembro de 2010

8 comentários:

manuela baptista disse...

no reconhecimento

entre outros

do talento das tuas palavras
se mais não valesse a voz seria

a estranha triste bela mágica

polifonia!

agora, não tires daqui esta página

está tão bonita e já é Natal...

manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Minha Querida,

Não te o poderei prometer já que, nomeadamente, tenho um assunto pendente com o Walter ...!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Dezembro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

VOZES I


17 505 = + 70 visitantes!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Dezembro de 2010

BRANCAMAR disse...

Amigo Jaime,

Do papel social da Igreja eu sou como o Jaime uma grandessíssima admiradora, embora possa parecer contradição com outras críticas que por vezes faço e sinto em relação à mesma Igreja, mas tal como em nós em todos os lados há imperfeições.
Para mim o papel social da Igreja é mesmo o seu papel maior. Muitas crianças por esse mundo fora aprenderam e continuam a aprender nas escolas da Igreja, com homens e mulheres que se dedicam a missões quase impossíveis. Também a assistência a carenciados, a enfermegem em hospitais e tantas, tantas missões de consolo e desenvolvimento têm sido efectivadas pela Igreja por esse mundo fora e também neste nosso recanto. Eu própria estudei numa escola franciscana de capuchinhos, que embora particular deu ensino a muita gente pobre das freguesias mais longínquos do conselho que não pagavam um cêntimo.
Embora hajam excepções que conheço de ordens que vivem mais para "arrecadar", o facto é que é imenso e muito mais vasto o que se verifica no sentido de dar e de inculcar nos seus educandos o mesmo espírito.
Apoio total para este post e os versos são muito lindos e sensíveis.
Beijos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Querida Amiga,

... e ouvi dizer que fazia hoje anos ...

Muitos Parabéns!

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Dezembro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

VOZES II


17 560 = + 55 visitantes!

( Deve ser das azáfamas natalícias, digo eu! )


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Dezembro de 2010

BRANCAMAR disse...

Obrigada Jaime,

Estou-lhe imensamente grata e comovida, por tudo e o Jaime deve saber porquê, esse foi o melhor presente que me tem dado.
Agradeço-lhe comovida.

Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Querida Amiga,

Ora, o melhor presente é sempre aquele que possamos dar ...!

E se continua a chorar ... prego-Lhe um susto!!!

Um beijinho grande


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Dezembro de 2010