segunda-feira, 9 de abril de 2012

ARREDONDADAS PERGUNTAS - I -

flores cativas é o que não somos, fotografia de mb



Quando será que muitos dos políticos no ativo aprendem que se é para dar más notícias mais vale darem-nas todas frontais, equitativas e, se possível, de uma só vez?
Quando será que muitos dos políticos no ativo, a não agirem em conformidade dela persistindo, por meias palavras, em se servir, à Democracia deixarão de prestar um mau serviço?
Quando será que muitos dos políticos no ativo, deixando-se de tacticismos que tanto ajudam a explicar o ponto a que chegámos, no Serviço que deveriam prestar, o passarão a prestar com um S passando, eles também, a ser considerados com um P, ambos escritos com maiúsculas?
Quando será!?
Quando será que muitos dos políticos no ativo nos deixarão de tomar por aquilo que não somos ou pelo reflexo que apenas a eles próprios os determina?

  

ao longe vê quem vê de longe



  

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 9 de Abril de 2012

3 comentários:

Fernanda disse...

Pelo menos, elas (flores) não são cativas.
Nós cativos estamos, embora cada vez mais longe de cativados pela política e todos os políticos vigentes.

abraços em tempo de Páscoa e sempre.

Jaime Latino Ferreira disse...

FERNANDA


Querida Ná,

O problema é este:

É que, cativos ou não, sem política é que não conseguimos passar ...

Talvez que esta seja uma observação menos redonda!

Beijinhos ainda pascais


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 9 de Abril de 2012

manuela baptista disse...

quando passarem todos ao passivo!

não, mas gosto tanto de ver o ministro das finanças a dizer 2013 e o primeiro ministro 2015 e afinal é 2050 e em 2060 bora lá atirar-lhes iogurtes danone ou compal pera rocha que é bem português, se ainda existir

devagar se vai a lado nenhum