segunda-feira, 30 de abril de 2012

DE 25 AO DIA 1

de um cartaz alusivo ao Dia Internacional da Mulher, Jornadas do Parlamento Europeu, 8 de Março de 2012




Da Liberdade ao trabalho
tiro as cartas do baralho
vai um tempo longo e malho
abro as portas do serralho 

Séculos sem equidade
uma imensa eternidade
esquecendo que a irmandade
é nos géneros igualdade

Que bastou o enxovalho
de num mesmo a atrocidade
se abater em cabeçalho 

Erguido em fraternidade
numa cruz onde entalho
uma só Humanidade
 

trabalho igual, salário igual
 

( … ) tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil e preciso de as reunir; elas ouvirão a minha voz e haverá um só rebanho e um só Pastor. ( … ) do Evangelho segundo S. João 10, 11-18


 

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 30 de Abril de 2012

4 comentários:

manuela baptista disse...

de 25 ao dia 1 e por todos os dias fora

uma imensa eternidade, sim

e

em igualdade de géneros, está o pastor muito em atraso

imagino qual será o feminino de Papa...

BRANCAMAR disse...

Pois é Jaime e a igualdade de géneros esteve hoje por aí, pelas ruas e palas praças, mas ainda com direitos aquém do que seria desejável no mundo do trabalho e no mundo social, embora mais esbatidas as diferenças.

Tal como sugere a Manuela, daqui até termos uma Papisa passarão muitas gerações...

Beijos
Branca

Hanaé Pais disse...

Sim, basta de serralhos e lupanares,sim basta!

Hanaé Pais disse...

25 de Abril o primeiro de muitos dias.
Com cravos vermelhos engalanados em horas de espanto.

Abraços, beijos em Liberdade, até quando?
Força Aérea, Exército, Marinha, que força, que coragem, que encanto.

E em êxtase, o cheiro da felicidade, como uma mãe aquiescendo, cúmplice num sorriso de bondade.
Dias de júbilo nas nossas vidas, com a alegria das crianças.

E aos Homens portugueses a minha vénia, em mais um dia de Liberdade, no fulgor do sangue quente do cravo, nas horas vermelhas de uma paixão.

Liberdade, Liberdade, Liberdade!!!