terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

CAEM MÁSCARAS

Memory Game
-
Caem máscaras das caraças
fica o sabor das trapaças
ficam as cinzas de um fogo
em preces tamanhas que rogo
-
Desdobro-me no que interrogo
nas minhas perguntas não morro
podes tu crer no que amassas
dizer tudo o que não faças
-
Refugiares-te em chalaças
de um Carnaval sem prelúdio
em que persiste o que traças
-
Sou mais forte que o entrudo
sou marinheiro não me caças
nem me fazes ficar mudo
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, de 16 para 17 de Fevereiro de 2010

12 comentários:

manuela baptista disse...

...já apanhei algumas pelo caminho!

mas agora

nem ouso dizer uma chalaça
uma trapaça
(uma cachaça
é outra coisa...)

os marinheiros
não se caçam
pescam-se!

mas tu
és peixe vivo
espertalhaço
falas como os golfinhos
que não são peixes afinal

será por isso que não te fazem ficar mudo?

Os sonetos estão 1 a 1!
Chopin e os seus prelúdios não entram jamais no marcador.

Manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


One never knows!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Fevereiro de 2010

Maga disse...

Vocês em casa, falam em verso?
Que maravilha...
Ainda bem que compartilham connosco, pobres prosistas, toda a rima das vossas chalaças!
Obrigada aos dois, são uma ternura

Brancamar disse...

Olá Jaime,

Mas que belo carnaval em verso!

E lá que o Jaime não fica mudo e é mais forte que o entrudo eu também acho. :)

Diverti-me muito com este poema.

Beijinhos
Branca

manuela baptista disse...

Queridas Magas!

a verdadeira e
a Branca-Maga

falamos em verso e prosa e temos entrudos sonetados...

beijinhos às duas

Manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

MAGA


Agora que a Manela já Lhe respondeu, que poderei eu dizer-Lhe!?

Respondo-Lhe assim:

Temos uma vida normal mas, às vezes, dou por mim a dizer à Manela cada versalhada mais desconjuntada que nem queira saber ...

E rebolamo-nos a rir!

Depois há esta faceta que não é uma vida paralela, não senhor!

Transfiguramo-nos assim ...

Um grande beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Fevereiro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Minha Querida,

Ainda bem que se divertiu, fico contente!

Hoje fomos ao cinema ver Invictus de Cleant Eastwood que abordando a gesta de Mandela nela anda à volta de um poema vitoriano que lhe serve de lema, do mesmo nome e do qual transcrevo esta sua última quadra:

( ... )

It matters not how strait the gate,
How charged with punishments the scroll,
I am the master of my fate:
I am the captain of my soul.

A saber:

Não importa quão estreito o portão,
Quanto acossado de castigos o pergaminho,
Eu sou o mestre do meu destino:
Eu sou o capitão da minha alma.


E sendo-o serei, seguramente, mais forte do que o entrudo!

Ainda bem que está de acordo ...

Um grande beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Fevereiro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Como te poderia desdizer!?

Este entrudo sonetado fala por si ...


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Fevereiro de 2010

ana maria disse...

um entrudo sonetado...


Gostei demais!Eita!


E dessa parte também:

Não importa quão estreito o portão,
Quanto acossado de castigos o pergaminho,
Eu sou o mestre do meu destino:
Eu sou o capitão da minha alma.


Pense num par arretado!

São uma ternura,concordo com a Maga.


Beijoquinhas,

Linda Simões

Jaime Latino Ferreira disse...

ANA MARIA


Ah Linda, afinal ainda arranjou tempo de vir até aqui, vai um pézinho de dança!?

Obrigado e beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Fevereiro de 2010

somebody disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Jaime Latino Ferreira disse...

SOMEBODY


Alguém,

Hesitei se deveria ou não eliminar a Sua mensagem desta caixa de comentários, bem vê, há aqui uma desigualdade de meios que logo começa nos caracteres e se estende para lá deles:

Não tenho por hábito entrar em casa de terceiros sem pedir licença e muito menos se às minhas artimanhas, caso as tivesse, as pretendo publicitar!

Contudo não o eliminei e não o fiz por uma questão de princípio, isto é, não exerço qualquer tipo de censura no meu blogue.

Os actos, todavia, ficam com quem os pratica e eu não poderei, por isso, ser acusado de qualquer tipo de cumplicidade implícita:

Os actos ficam com quem os pratica e tal também quer dizer que só explora Alguém quem, por Sua iniciativa e responsabilidade implícita também o entenda fazer!

Eu, por mim, sigo em frente, passo uma esponja, adiante!

Tenho dito


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 24 de Fevereiro de 2010