quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

CARTA AO MAIS VELHO

Nelson Mandela, fotografia de Alet van Huyssteen
-
MADIBA
-
-
Velho Amigo,
Oxalá esta carta chegue ao Teu conhecimento ...
Fui ontem ver Invictus, filme de Clint Eastwood que retrata episódios da Tua vida e que, não sei (!), já terás visto.
Não sou de ler a génese dos filmes mas estou certo que este filme descreve, com fidelidade, os episódios nele abordados ...
Deixa-me que Te diga que independentemente do filme e como arranque desta minha carta, sempre Te admirei !
-.-
Madiba,
Simbolizas, estou certo, o derrube das barreiras físicas, das muralhas e das paredes da prisão, da cor da pele, das castas ou das etnias, das classes que contra todas as perspectivas e pela assumpção do perdão, logo no interior daqueles que eram os símbolos do poder na velha África do Sul, a abriram, de par em par, ao Futuro ...
Começo pois por recriar aquela quadra do poema Invictus de William Ernest Henley que como leitmotiv do filme referido o perpassa, quase como pano de fundo e que, adoptando-a como Tu, reescrevo assim:
-
Que importa a estreiteza da passagem
Quanto acossada de omissões é a minha Obra
Pois se sou o mestre do meu destino
Capitão serei da minha alma
-.-
Mais Velho,
Trato-Te assim e espero que não me leves a mal ...
Nos contornos da minha Obra a que estou preso, eles ainda físicos (!), numa atitude que pelo perdão e na plena inclusão, sem recurso à violência física ou psicológica, pugno pelo aprofundamento da Democracia!
Naqueles íntimos momentos do filme Invictus, os da sedução da Casa Presidencial, da Guarda do Presidente como da transparente utilização da Equipa Nacional de Râguebi sul-africana e na utilização de um poema vitoriano, para mais, na assumpção do papel de Treinador, convocaste essa imensa Nação e eu, agora, a Ti, por meu turno, Te invoco!
-.-
Querido Presidente,
Sei que já não o és mas constituis, sem dúvida, uma reserva moral, ética, para todas as mulheres e homens de boa vontade do Mundo inteiro:
Sem que o soubesse, apenas intuindo-o, sigo os Teus passos e para lá das fronteiras estritamente físicas, dadas então por insuperáveis e que tiveste de derrubar e na Tua esteira, consolidando o seu derrube, Obama também!
Já não são a cor da pele, o sexo, os preconceitos de classe, de grupo ou de etnia, as fronteiras entre religiões ou culturas, nem tão pouco os estreitos nacionalismos que estão em causa ...!
É muito mais do que isso, perdoar-me-ás, é a Humanidade no seu conjunto e na convivência democrática que se deseja como pão para a boca e que apenas pelo seu aprofundamento, na consagração do singular e sem recurso a qualquer tipo de violência, pela sedução do poder democrático que se impõe, globalmente e com urgência, reconhecer ...
E assim, a Ti me dirijo para que, na reconciliação geracional que também se impõe (!), por mim intercedas!
-.-
Velho Amigo,
De emoção estética, chorei do princípio ao fim no filme Invictus de Clint Eastwood, naquele estreito registo fílmico, magnífico (!), que a ele como ninguém o sabe, tão bem, realizar ...!
E aquele relance em que a velha Senhora branca do Teu gabinete se dispõe a servir o chá mas em que Tu, desarmante na Tua imensa modéstia, generosidade e simpatia A substituis nesse papel, não é momento menos relevante em toda a subtileza que ao filme o perpassa:
É a Educação, na indispensável reconciliação geracional e abrindo portas, que está em causa, sem a qual, como superar os enormes desafios que temos, Todos, globalmente pela frente!?
Na Tua esteira, a Ti me dirijo e peço, pela libertação e consagração da minha Obra que já vai muito longa, a Tua intercedência!
Com um abraço cheio de profundo afecto, Teu
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Fevereiro de 2010

17 comentários:

manuela baptista disse...

Madiba

é o nome do clã de Mandela, mais importante do que o seu nome próprio e do que o seu apelido.

Este clã tem mais membros do que os habitantes da África do Sul, estão espalhados pelo mundo inteiro e acreditam nas sementes de não-violência!

Como Gandhi.

Espero que esta carta chegue ao seu destino e seja por si só multiplicada em outros destinos, mais justos, mais esperançosos de uma sociedade tolerante e onde todos teremos lugar!

Manuela

neste momento, Madiba também.

Filomena disse...

Jaime!

Que lindo texto para homenagear Mandela, também eu me comovi ao lê-lo.

Beijos

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Meu Amor,

Obrigado pela contextualização!

És testemunha ímpar da congruência na não violência que tem caracterizado a minha Obra e desde a sua génese no rastro que tem deixado ...!

Um beijo


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Fevereiro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Muito mais desde que, tu própria, a ela tens acrescentado valia inestimável, no traço ímpar que à tua A vai caracterizando!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Fevereiro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

FILOMENA CLARO


Querida Amiga,

Pois saiba então que, eu próprio, ainda hoje, agora, emocionado tal como a Filomena, faço o balanço, nas suas implicações, do que, num repente, escrevi!

Um grande beijinho

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Fevereiro de 2010

Eva Gonçalves disse...

Ainda não vi o filme, mas está na minha lista! :) Depois virei comentar de novo, mas queria apenas dizer que tenho uma profunda admiração pelo Nelson Mandela, e a sua filosofia de perdão e da reconciliação que sempre achei admirável, e que traduz a forma tolerante de estar na vida que eu própria, humildemente procuro. Estou certa que tal como eu, serão muitos que se identificarão com a tua carta e a subscreverão... num gesto de profunda gratidão pelo exemplo... e pela esperança... Obrigada Nelson Mandela. Obrigada também Jaime, pela inspiração nesta carta. Beijo

Linda Simões disse...

Jaime,

tua carta deveria estar Estampada nas principais páginas dos melhores jornais!Sem bajulação,eu fiquei bastante emocionada...

...


Obrigada pela partilha.



Um abraço fraterno


Linda Simões

Jaime Latino Ferreira disse...

EVA GONÇALVES


Querida Amiga,

Ainda bem, ainda bem que gostou e, já agora, não perca o filme que vale bem a pena!

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Fevereiro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Querida Linda,

Não sinto, palavra que não sinto bajulação, ainda bem que se comoveu e muito obrigado pelo elogio!

Um grande beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Fevereiro de 2010

Dulce AC disse...

Muito bonita a carta !!e Linda homenagem faz aqui Jaime (Olá) a um homem que é maravilhoso no sê-lo um Ser humano brilhante...!!

Admiração ímpar sinto também por este Senhor..!!

Obrigado pelo Seu testemunho que também me emocionou...eu que ainda não vi o filme e já hoje me aconselharam vivamente a fazê-lo..!!
Um abraçinho grande.
dulce ac

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Querida Amiga,

A Si, agora e como se a todos os que até aqui comentaram esta minha carta que muito me gratificaram, aproveito para Lhe, Vos escrever o que se segue:

É claro, julgo, que implícita nesta carta se contém uma profunda homenagem a esse mais Velho, Madiba ou Nelson Mandela;

Também me parece claro que como pretexto, o filme de Clint Eastwood, nela também é referenciado como registo ímpar na biografia de um homem como o é Nelson Mandela;

Mas, vão-me perdoar, não menos claro se torna ser uma carta que a ele, a esse Homem mais Velho e de um tão vasto e universal clã e projecção, se dirige pedindo-Lhe que por mim interceda.

Que interceda porque Mandela constitui um exemplo ímpar;

Que interceda por se tratar de uma referência incontornável, ele mesmo Nobel da Paz, no contexto dos líderes democráticos à escala global;

Que interceda, por fim, tratando-se do mais Velho, referência também por aí e na melhor tradição, aquela em que os mais velhos não são remetidos para o exílio de um lar, permanecendo como referências incontornáveis ...!

Que interceda por mim!

Tive a sorte de viver num contexto em que, aos meus vinte anos foram derrubados os muros do autoritarismo que se me chegaram a penalizar pelas minhas convicções políticas, não me penalizaram, porém, como a tantos e a Madiba em particular ...

Devo, por isso, ser penalizado politicamente na minha integridade!?

Terminam as sagas, as gestas heróicas, com a instauração da Democracia!?

Não se estenderá, o meu exílio, político entenda-se e em prejuízo da minha integridade e pesem todas as provas dadas e que já este blogue as reflecte por um período tão vasto que, qualquer dia prefazerá tantos como os anos de prisão de Madiba!?

E tudo pese embora a Democracia de que me afirmo, com provas dadas e expressas, intransigente defensor!?

Há exílios que não têm muros nem prisões, barreiras físicas tão pouco, mas que nem por isso deixam de os ser!

Gostava pois que tivesseis, tudo isto em consideração e no meu íntimo, como desejaria que Graça Machel, a Madiba, Lhe pudesse ler e traduzir esta minha carta!

Acho que Vou deixar, por mais uns tempos, esta carta em primeira página.

Um grande beijinho e um bom fim de semana para todos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Fevereiro de 2010

maybe disse...

I'm appreciate your writing skill.Please keep on working hard.^^

Jaime Latino Ferreira disse...

MAYBE


Thanks a lot!

That's what I'm doing since 21 years ago:

I'm working hard without disengaging and even when I do not write!

Your's


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Fevereiro de 2010

Ana Cristina disse...

Na sexta à noite também fui ver o "Invictus" :)

Muitos beijinhos para os dois.

(se que estou em falta com um telefonema ....em breve!)

Ana Cristina

Jaime Latino Ferreira disse...

ANA CRISTINA


Ah ...!

Um grande beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Fevereiro de 2010

somebody disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Jaime Latino Ferreira disse...

SOMEBODY


Alguém,

Hesitei se deveria ou não eliminar a Sua mensagem desta caixa de comentários, bem vê, há aqui uma desigualdade de meios que logo começa nos caracteres e se estende para lá deles:

Não tenho por hábito entrar em casa de terceiros sem pedir licença e muito menos se às minhas artimanhas, caso as tivesse, as pretendo publicitar!

Contudo não o eliminei e não o fiz por uma questão de princípio, isto é, não exerço qualquer tipo de censura no meu blogue.

Os actos, todavia, ficam com quem os pratica e eu não poderei, por isso, ser acusado de qualquer tipo de cumplicidade implícita:

Os actos ficam com quem os pratica e tal também quer dizer que só explora Alguém quem, por Sua iniciativa e responsabilidade implícita também o entenda fazer!

Eu, por mim, sigo em frente, passo uma esponja, adiante!

Tenho dito


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 24 de Fevereiro de 2010