sexta-feira, 16 de outubro de 2009

DEDICATÓRIAS

Serve este meu pequeno texto para homenagear aqueles que, como o José Ferreira e que me perdoem as senhoras, neste meu blogue não se acanham em mostrar a sua vivacidade de espírito não se furtando também ao confronto de ideias que tanto valorizo e me estimula.
Cê ao quadrado ...
Cérebro vezes cérebro vezes massa igual a energia ou, se quiserem, reformulação da fórmula da relatividade, E = mc2, ajustada ao universo humano em que o pensamento, pela interacção recíproca, aqui simboliza a velocidade da luz reflectida, cerebralmente, em som ou na sua representação escrita.
Pese embora todo o desgaste que esta provocará e que José Ferreira como eu próprio o admitimos já, verdade se diga que é dessa interacção que se potencia a energia sem a qual não saímos do mesmo sítio e ficamos a marcar passo.
Os nossos diálogos que registados estão nas caixas de comentários desde meados de Setembro, poderão ser revisitados e cada um poderá retirar as ilações que entender ou encontrar pistas que eventualmente conduzam ao aprofundamento do diálogo, da reflexão, sem os quais dificilmente a energia se poderá exponenciar.
No José Ferreira, aproveito, já agora, para brindar a todos os que, fidelíssimos, me acompanham desde sempre.
A todos Vós e a meu pai, meu mestre, Jaime Ferreira como eu, que neste dia celebrava o seu aniversário!
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Outubro de 2009

22 comentários:

manuela baptista disse...

Então hoje deveríamos ter ido jantar ao "Reijos" em Cascais!

Francamente, nem sei como é que o Jaime Pai, não protestou!

Ele que, esteja onde estiver, está a fazer rir toda a gente, mas também a enfernizar quem o chatear...

Dedicatórias!

Manuela Baptista

Maga disse...

Ao Jaime Pai, usurpando eu o nome por que é carinhosamente tratado pela Manuela (nora?), desejo eu, esteja ele onde estiver, proteste ele, ou enfernize ele outros que como ele estarão algures, desejo ao Jaime Pai uma eternidade feliz, um riso constante e que lá, lá mesmo, sinta um orgulho constante pelo filho que cá, cá mesmo, lhe segue os ensinamentos que tão bem lhe soube ministrar...
Abençoado Jaime Pai!

Filomena disse...

Ao Pai do Jaime ( o filho terá muitas das qualidades do pai?),
O Pai também se ria desmesuradamente alegre? O Pai tb era "corrosivo" no bom sentido?
Um beijinho Senhor Pai do Jaime


Nota: A Manuela acertou nas boas noites!


Beijinhos a todos

Hoje vou passar o dia com o meu Pai Joaquim e estou certa que vou levar com uma carrada muito grande de toda a espécie de mimos.

Bem Hajam os PAIS

Jaime Latino Ferreira disse...

ESCLARECIMENTO I


Como escreve a Manela, o Jaime Pai se fazia rir toda a gente também sabia e de que maneira (!), enferneziar toda a gente, corrosivo que sabia ser até que bastasse ...

Mas isso não Lhe retira a mestria que, reconhecida por este seu filho e por seu neto, meu filho João, é o bastante para nele ponderar até que ponto foi mestre.

O Pai Jaime também se ria desmesuradamente e quanto ao corrosivo, como o sabia ser!

Corrosivo no bom sentido ...!?

Filomena,

Uma pessoa é ou não é corrosiva e há-de-me explicar o que é isso de ser corrosivo no bom sentido!?

Se aprendi com a Sua capacidade não apenas de ter uma fina ironia mas também de ser corrosivo, então tudo concorreu positivamente para que o reconheça como meu mestre, não acha!?

Obrigado, Maga!

Obrigado a todas!


Jaime Latino Ferreira
Estporil, 17 de Outubro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

ESCLARECIMENTO II


Não se esqueçam de contemplar o José Ferreira:

1 - Pese embora o apelido, ele não é meu familiar, não o conheço pessoalmente a não ser a sua voz da qual, pelo telefone, já tive uma aproximação e foi nestas andanças, julgo que fazendo a ponte com o Brasil na pessoa da Alegria ou Renata Vasconcellos que também apenas destas andanças conheço, vejam lá as voltas que o mundo dá para se chegar à Ericeira (!), a quem esta dedicatória também se destina;

2 - Não fora ele e, em rigor, estava eu a escrever-lhe já a dedicatória, não me teria lembrado da data do aniversário de meu pai a quem, no final, lhe fiz justa referência;

3 - O José Ferreira, também ele cultiva a ironia e sabe ser sarcástico que baste sendo que, pese embora ser muito mais novo, conduziu-me, reparem que meu irmão também se chama José (!), a meu pai;

4 - Finalmente, conduziu-me sem desprimor a todas Vós, sem desprimor, repito, no elogio que por esta via a todos os que me comentam se dirige.


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Outubro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

JOSÉ FERREIRA


Meu Caro,

Gosto dessa da oxidação linguística, ironia ou corrosividade (?) não te falta ...!

Por falta de prática, também eu vou ficando oxidado no meu alemão pese embora o ter aprendido na Escola Alemã até ao quinto ano dos liceus e desde os meus tenros quatro anos de idade ...

A diferença, no entanto, de se ter aprendido uma língua como o alemão desde os quatro anos, consiste em que, há uma fôrma ou matriz que se conserva viva e que me permitiu partir do alemão para o francês e o português, por fim, sendo justo dizer-se que dos três poemas da página anterior, o original é o que foi escrito na língua alemã, aquele que, por sinal, eu mais gosto!

Quanto ao trema:

Não conseguindo a ele chegar, meu caro José, colocado sobre o O, escreve então OE, sobre o A, AE e sobre o U, deduzirás, UE.

Para o beta, escreve como eu escrevi, dass com dois esses!

Finalmente, não caias na asneira de menorizar os outros comentadores que entre nós dois já suspeitariam qualquer guerra aberta, grande equívoco (!), porque até a Ana Cristina, ao aludir a ela, escreve:

" Quanto ao diálogo entre o Jaime e o José (ambos Ferreira) confesso que tem sido demais para mim pelo que humildemente, e citando os "Gatos", "...menos,por favor...",rsrssr!!!! "

Saberás tu que aquele gatafunho final e que se exprime como um rsrsr é uma gargalhada cava, ainda mais corrosiva do que algumas das gargalhadas de meu pai!?

Um grande abraço,


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Outubro de 2009

J. Ferreira disse...

Caro Jaime,
Antes do mais desejo associar-me à comemoração de mais um aniversário do teu progenitor, desejando-lhe acrescida longevidade, plena de lucidez, pelo menos para ir entendendo o Mundo que o rodeia.
Depois, dizer-te que faz bastante tempo não era objecto de primeira página, como no caso presente, com que, enfaticamente, me quiseste distinguir. Agradeço, reconhecidamente a honorabilidade, ainda por cima com reforçada alegoria a Einstein!
Acho que será mais do que justo, adicionalmente ao lícito, reforçar que me sinto sem jeito, sobretudo face a tantas seguidoras do teu blogue, assíduas e fiéis, lúcidas e bem-humoradas.
Por vezes coloco-me em, abstracto, no lado de lá, do lado de quem nos segue e, recorrentemente, surge-me a pergunta: será que estou(amos) a ser redundantemente chato(os)?
Se assim for, e atendendo que tu, em teu nome, já te desculpaste, faço-o eu agora, em nome próprio.
Passa um bom fim-de-semana, que o meu já está em andamento acelerado, com a miudagem cá em casa.
1 Abraço,

Jaime Latino Ferreira disse...

JOSÉ FERREIRA


Mein lieber Freund,

Ah, miudagem danada!!!

Sublinho:

Chato é que tu não és e faz-me o favor de neste blogue te sentires suficientemente irreverente e acutilante já que, foi assim que te conheci e não gostaria agora que me frustrasses as expectativas que criaste!

Só um pequeno pormenor que, do que escreveste, não sei se terás entendido bem ou se serei eu que, das tuas palavras, deduzo mal:

Longevidade e plena lucidez terá meu pai seguramente mas não entre nós nem na dimensão que como comuns mortais conseguimos prospectivar:

É que, como se deduz do que escrevi em primeira página, meu pai, infelizmente (!), já morreu ...

Mas, não fiques encavacado nem depreendas desta palavra que a esteja a utilizar em algum sentido politicamente mais abrangente!

Meu pai já morreu mas, dele guardo o que, ainda em sua vida, na sua e na minha pessoas resolvi, que foi meu mestre, o que me dá imensa tranquilidade de espírito e um espaço sem fim para o ir recordando apaziguado e com crescente saudade ...

O Mundo que o rodeia, oh como será o Mundo que o rodeia!

Aguenta-te aos miúdos, teu


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Outubro de 2009

manuela baptista disse...

Agora é que o Jaime Pai fez estremecer o céu com as suas gargalhadas!
Há uns anos que não lhe davam os parabéns!

Quanto à página em questão,

digo

que é uma curtição ver dois argumentadores natos em acção.

Não se cansem, mas façam o favor de continuar!

Ao

Zé Ferreira,

Obrigada pelas "lúcidas e bem humoradas" seguidoras...

Esqueceu-se de azougadas, que é uma palavra que eu adoro e que corresponde à agitação, que às vezes entra por este blog!

Manuela Baptista

J. Ferreira disse...

Caro Jaime,
Não, não fiquei encavacado, mas muito mais isso, chateado comigo.
As leituras "a correr" é no que dão.
Não gosto (nem nunca gostei) de engendrar desculpas para o que não é desculpável. Logo, assumo.
De facto, em relação ao aniversário do teu pai, expressaste-te bem, utilizando o verbo no pretérito.
Eu é que li mal.

Um abraço,

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA A AZOUGADA


Azougado:

Traquinas, vivo, irrequieto.

Quando tantas vezes digo ter orgulho nas minhas caixas de comentários é, exactamente, por elas se caracterizarem por essa irrequietude que assumindo distintas formas não posso deixar de reconhecer ser particularmente patente nas minhas seguidoras.


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Outubro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

JOSÉ FERREIRA


Meu Caro,

A última coisa que quero é que fiques chateado contigo próprio!

Segue a dica dada por minha mulher e tranquiliza-te, meu pai estará a gozar a bandeiras desatadas ...

Tirando a gaffe:

Pior de que cometê-la e não há quem as não dê (!) é não admitir assim e prontamente, sem desculpas esfarrapadas, que se cometeu uma.

Só fica bem a quem as comete e mais, limpamo-nos delas e não deixamos escolhos a atrapalhar o entendimento e a provocar ruído desnecessário.

Subiste mais uns pontos na consideração que te tenho!

Um abraço


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Outubro de 2009

J. Ferreira disse...

À Manuela Baptista,
Reconheço, em relação a si, a injustiça cometida ao escapar-me mencionar o vocábulo "azougadas".
Por hábito continuado de observação, conclui há bastante tempo que mais vale ser azougado(a) do que zombie. Isto sem qualquer analogia da mau-gosto em relação ao pai do Jaime.
É minha forte convicção que este País precisa, muito mais de "gente azougada" do que de "gente tecnocrata"
Deixem-nos traquinar, pelo menos de vez em quando, que bem precisamos!

Azougadamente,



A ambos, (ao casal)

Obrigado pelo apoio através do éter (neste caso fio de cobre, pois a fibra óptica ainda cá não chegou...)
Como expliquei ao Jaime, trata-se de um hábito de auto-critica disciplinarmente inculcado, com muitos anos de prática.
Não se apoquentem, pois vou dormir bem, pela certa.
Finalmente direi que, tal como o Jaime, concordo em absoluto que se este lapsus lectore possibilitou o rebolar de rir do pai Jaime, (esteja ele onde estiver) bastante menorizado fica o meu sentimento de culpa.
Bem-hajam!

Jaime Latino Ferreira disse...

AOS MEUS LEITORES E COMENTADORES


Não estranhem o nosso silêncio a partir do fim da tarde já que vamos jantar a casa de uns amigos nossos e não sei se hoje, ainda teremos disponibilidade de aqui voltar.

Uma muito boa noite para todos e um bom fim de semana


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Outubro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

JOSÉ FERREIRA


Só para lhe agradecer a dedicatória que nos faz e que se não fosse irmos jantar fora e eu pressentisse qualquer analogia entre os zombies e meu pai, metia-me no carro e ía à Ericeira morder-lhe as canelas sem apelo e sem agravo!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Outubro de 2009

manuela baptista disse...

Ao Zé Ferreira

Esta página está a ficar muito ao meu gosto, ou seja, parecida com um filme de Tim Burton.

Aliás não sei se sabe, mas eu tenho um humor Timburtiano...

Um abraço

Manuela Baptista

J. Ferreira disse...

À Manuela,
Não obstante reconhecer o mérito e arte do Tim Burton na exploração inteligente da sanguinação, mistério, humor e no caso do Sweeney Todd uma excelente música, confesso que dos meus favoritos entre muitos, continuo a eleger o Woody Allen, Alain Resnais ou o Charlie Chaplin, como paradigmáticos.
Para quem, como eu, adora cinema, tentando manter, tanto quanto possível, gostos eclécticos, difícil se me torna distinguir entre muitos, quais os mais preferidos.
Confesso que a visão caseira em Full HD em ecrã gigante, comodamente instalado no sofá (bebendo uma bebida, já agora!)transformou a ida ao cinema num grande frete. Em especial agora, considerando o risco acrescido de contágio pelo H1N1!

Bom Domingo para ambos.
Por mim, vou ver se invento almoço prá cambada!

Jaime Latino Ferreira disse...

JOSÉ FERREIRA


Meu Caro,

Esclarece-me e fugindo aos grandes do cinema que a mim, a nós tanto nos preenchem e incluídos os que nomeias:

Andas sempre com a cambada à perna?

Admitamos que antes ela do que eu a morder-te nas canelas!

E desculpa-me o lapsus linguae que me levou a tratar-te, uma vez mais, por você ...

Abraços para ti e para a cambada toda


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Outubro de 2009

J. Ferreira disse...

Meu caro,
A cambada vem, regularmente, em períodos bi-hebdómados (de 15 em 15 dias)
Não colocando, por um lado, muita rigidez no cumprimento do acordo da relação paternal, subjacente a este segundo divórcio, e, por outro, o gosto de ter a cambada a azougar-me o juízo, cá me vou aguentando, por vezes com os inerentes custos em detrimento ao já merecido descanso.
A Joana, por exemplo (12) vai cá estar metade da semana que vem pois a mãe (Marina, minha segunda ex) vai estar no UK em serviço.
Isso implicará que a tenho de levar e trazer à escola em Mafra.
O que mais me vai custar será sem dúvida, ter de me levantar ás sete da matina!
Como podes constatar, esta deriva temática para o tipo "história da vida privada" evita(!?) ou pelo menos ameniza as nossas habituais acesas lides retóricas.
Se me ausentar, por algum tempo, já sabes, estou de serviço. (azougado ou não)

Jaime Latino Ferreira disse...

JOSÉ FERREIRA


Meu Caro,

Eu não apenas constato como tenho feito um esforço hercúleo para amenizar o tom para que se fique sabendo e conste do registo que nós, homens, tanto como as senhoras, mulheres, como pacatos cidadãos também sabemos derivar por outras que não as grandes questões que afinal, são tão grandes como as demais!

Ou melhor, não seriam grandes se às demais as não tornássemos grandes como as mulheres, azougadas que o são, o sabem como ninguém!!

Bem sei que esta página também te é dedicada mas, certo é, que a elas as gostaria de ver a investir por aqui dentro munidas de toda a sua vivacidade e atrevimento!!!

De pé azougadas!!!!

Abraços


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Outubro de 2009

manuela baptista disse...

Zé Ferreira

eu também gosto muito de cinema e de Woody Allen cujo humor não tem rival.

Quando eu roubava o blog do Jaime para escrever, fazia umas páginas intituladas "SEM PÁGINAS DE UMA ARTE", se tiver a paciência de as procurar encontra-as.
A arte, claro é a sétima.

Neste momento estão um pouco paradas, porque a produção do Jaime é muita e eu tenho menos tempo, mas até já tenho saudades delas.

São informais e explicam a minha ligação com o cinema, vício familiar e que ganhei desde muito pequena.

Um abraço

Manuela Baptista

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


E puseste-te de pé!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Outubro de 2009