quarta-feira, 4 de novembro de 2009

TU E O MUNDO

Qual é a diferença entre ti e o Mundo?
Tu és um um cheio de tus, um mundo.
O Mundo é uma imensa diversidade de tus, uns, cheia de ti.
É por isso que digo que conseguindo chegar a ti, de certa forma chego ao Mundo inteiro!
Repara:
Não te olho diferente de mim próprio ou melhor, sendo todos nós diferentes, em todos existe a diferença, a diversidade que a cada um nos caracteriza, me caracteriza também.
Diversidade pressupõe contradição e contradição desdobramento.
Eu sou eu próprio e o contrário de mim mesmo sendo que esse contrário não é o meu, seu contrário absoluto.
Haja embora uma diferença considerável entre palavras e tu ou eu, o que é certo é que de palavras também somos feitos e elas condicionam-nos.
Assim, como uma palavra que consultemos no dicionário, vejamos:
Ela é quer a sinonímia, quer a antonímia de si própria sendo que entre ambas pontes se estabelecem que nela, nessa palavra se fixam e histórica, etimológica e semanticamente nela desaguam até noutra, eventualmente, se fixarem.
As palavras são sorrateiras, em si mesmas profundamente dinâmicas e a tal ponto que, em cada uma se pode dizer que está a História, o Mundo todo.
O mal:
No mal está também o bem e vice-versa e este, o bem, seria inexplicável sem o mal.
A dor:
Na dor se pressupõe, inevitavelmente, o prazer e este último tornar-se-ia incompreensível, imperceptível sem a própria dor.
Como a vida, esta seria ininteligível sem a morte ...
Quer isto dizer que, assim sendo, vale tudo!?
Não, não vale!
Não vale porque se valesse cairíamos num relativismo tal, não relatividade mas relativismo (!), que eu me confundiria contigo e com o Mundo de tal maneira que, dispensando-nos uns aos outros, não sobraria espaço para ninguém nem para o Mundo e já nos teríamos extinto de vez.
Em rigor, se assim fosse, nem se justificaria o que aqui escrevo nem este meu blogue, tão pouco, que visando contigo comunicar, ao Mundo o não perde de vista e a ele, portanto, pretende também chegar.
Achas presunçoso da minha parte?
Em que conta, afinal, te tens a ti mesmo?
E é ou não, essa conta em que estimado te tens, legítima!?
Dependendo dos meios que se utilizem ...
-
És tu mesmo uma barca
um mundo verde que abarca
que deste é para o outro lado
nas suas margens reinado
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 4 de Novembro de 2009

11 comentários:

Silvana Nunes .'. disse...

Navegando sem ruma com a intenção de divulgar o meu blog, cheguei até você e gostei do que vi, tanto que pretendo voltar mais vezes. No momento estou impedida de fazer leituras muito extensas, pois a claridade da tela do computador está prejudicando um pouco a minha visão, devo tomar cuidado. Em breve resolverei esse problema. Bem, já que estou aqui aproveito para convidar a conhecer FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com
Eu como professora e pesquisadora acredito num mundo melhor através do exercício da leitura e enauqnto eu existir, vou lutar para que os meus ideiais não se percam.
Se gostar da minha proposta, siga-me.
Por hoje fico por aqui, Espero nos tornarmos bons amigos.
Que a PAZ e o BEM te acompanhem sempre.
Saudações Florestais !

Jaime Latino Ferreira disse...

SILVANA NUNES


Saiba que Lhe desejo as Suas melhoras e que se sinta aqui bem!

Eu também já me fiz seu seguidor ...


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Novembro de 2009

Essência e Palavras disse...

Que encanto... Adorei!
Sensibilidade ao toque.

Tornei-me seguidora..
beeejo

Jaime Latino Ferreira disse...

EDSON CARMO


Seja bem vindo, sinta-se bem por aqui!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Novembro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

ESSÊNCIA E PALAVRAS


Obrigado e fico muito satisfeito por ter sentido essa sensibilidade ao toque, como escreve.

Seja bem vinda e sinta-se aqui como em Sua própria casa.

Seu


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Novembro de 2009

manuela baptista disse...

VIAJANDO

Se a vida fosse uma barca
eu iria de Veneza a Pádua
a minha
a tua
a vossa
a nossa voz
diversas
distintas
desdobradas em canto
em encanto
em danças brejeiras
sorrateiras
presunçosa seria
a minha vaidade
sem esta vontade
da viagem fazer

Aos viajantes destas barcas

que não buscam apenas o seu umbigo e seguem connosco
por puro prazer

Manuela Baptista

Dulce AC disse...

"Qual é a diferença entre ti e o Mundo?
Tu és um um cheio de tus, um mundo."

Esta é uma grande verdade!

Olá Amigo Jaime,

Não acho qualquer presunção da Sua parte... Eu sou eu própria e neste ser, tão próprio, não encontro qualquer legitimidade para o poder achar.

E tenho-me em boa conta e encontro nesta minha conta de me ter em boa conta toda a legitimidade, a minha legitimidade!

Beijinhos e uma boa noite para Si.
Dulce AC

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


A barca és tu
é qualquer um
errante
navegante
com todas as vozes
em um
belo cantar
ecoante
é a viagem que a leva
desde um porto
até ao mar
é o narrador
que nos diz
uma guitarra no ar
é um rio
que por um triz
vai do umbigo
ao altar


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Novembro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Querida Amiga,

Eu logo vi que a minha Amiga se tinha em boa conta e, por isso, sendo legítima essa conta em que se tem, não admira o espanto à minha pergunta de me achar ou não presunçoso ...

Pois se chego a Si, chegarei, seguramente, a todo o Mundo, dependendo dos meios e desde que estes tenham legitimidade!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Novembro de 2009

Dulce AC disse...

Olá Jaime, mais uma vez hoje, e, somente para Lhe dizer algo de que me tenho esquecido, sobre as composições fotográficas que ilustram os seus textos, são-no sempre no mesmo plano destes (textos):
Verdadeiramente Maravilhosas!
A de hoje é uma das mais bonitas (salvaguardo,das que vi)

Tenho dito.
Beijinhos,
dulce ac

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Oh Dulce ...!

Sabe, todas as ilustrações foram extraídas de arquivos públicos como os da Google já que não temos ainda as ferramentas que nos permitissem aqui publicar os nossos próprios materiais.

Somos ainda uns principiantes nestas lides informáticas ...

Mas uma coisa é certa, como em tudo, sem critério perder-nos-íamos no meio da quantidade infinda de informação à disposição!

Uma vez mais obrigado e um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Novembro de 2009