quarta-feira, 10 de março de 2010

BULLYING

Ainda agora, está a fazer uma semana, que uma criança de doze anos se suicidou atirando-se, supostamente, a um rio, vítima de bullying a que na sua escola, pelos seus colegas, seria sujeita, sem que a essa coacção as autoridades escolares tivessem atempadamente deitado mão ...
A esse propósito ouvi, inclusive, um professor a dizer frente às câmaras que naquele específico contexto escolar, tais práticas não eram exercidas o que logo me faz pensar na enorme distracção ou conluio, complacência, talvez por não mais do que a sua frequência fosse tomada, involuntariamente ou não, como normal e tolerável, em linguagem jurídica e criminal isto tem um nome (!), de tal modo que ao drama não se foi a tempo de impedir!
Que tragédia adulta consumada num menino de doze anos ...!
Vem isto a propósito de saber muito bem o que é o bullying até porque a ele, logo na infância sobrevivi e aqui importa sublinhar que este tipo de coacção violenta, dinâmicas perversas que em grupo ou em sociedade se desenvolvem tanto pode ser física como psicológica e que não é apenas praticada entre crianças mas igualmente entre os adultos e dê-se-lhe o nome que se quiser!
Nem tão pouco por ser psicológica a coacção é menos gravosa ou violenta ...
É certo que as crianças têm menos defesas e, por isso, em relação ao bullying, a Escola tem de estar devidamente apetrechada e não se pode nem distrair, nem descuidar e nem, muito menos, ser cúmplice!
Mas o bullying é universal e poder-se-á traduzir em não mais do que um esmagador silêncio ou numa imperdoável omissão ...!
Se às Instituições me dirijo e ao fim de mais de vinte anos, por resposta e pese embora o crédito que Lhes concedo, predomina o silêncio, que nome a ele lhe hei-de, então, dar!?
Se o poderei, até um certo ponto, encarar como prova de resistência, a partir desse ponto, quem é que passa a resistir a quê, a partir de quando e com que inconfessáveis ou confessos intuitos!?
Quem é que fica na berlinda e como!?
As Instituições ou eu próprio e tanto mais quanto ao crédito que lhes concedo as Instituições, na inversa proporcional, me não passem, eventualmente, cartão!?
Do que se trata, ao fim e ao resto e quando falamos de bullying é de uma manifestação da lei do fisicamente mais forte como outra o é, por exemplo, a violência doméstica ...
Como sou solidário com o Leandro, o menino que se terá suicidado!!!
Sei, sei que o que aqui escrevo, não passa, institucionalmente, despercebido e a ser assim, na Obra que entretanto vou escrevendo e que se dá publicamente a conhecer, que nome dar-lhe ao silêncio institucional que pela omissão persista em rodeá-la e cercá-la, fingir, quiçá, que não a vê!?
E a partir de que deadline ...!?
-
Deixar alguém de fora
será o intuito
de quem demora
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 9 de Março de 2010

19 comentários:

manuela baptista disse...

No caso concreto deste rapaz e para lá de tudo o que nós não sabemos da sua história pessoal, escolar e familiar, ou exactamente o que lhe aconteceu sem especularmos, o que deixa perplexa a maioria das pessoas, tem a ver com o reconhecimento de que o suicídio infantil existe mesmo e ninguém reparou nos sinais!

A família porque não sabe, a escola porque não vê, os que estão próximos porque têm medo, exactamente o que se passa em relação ao bullying!

Os adultos, muito poucas vezes reconhecem a sua omissão ou a sua impotência relativamente a estes problemas que põem em causa as relações de poder na escola, na família e na comunidade.

Somos todos cúmplices!
Mas é bom não esquecer, que existem outras tantas crianças que com a ajuda de um amigo ou de um professor foram resgatadas do terror do bullying, porque dessas também ninguém fala...

Se de ti também achas que ninguém fala é porque ofereceste o teu trabalho
à(s) pessoa(s) errada(s) ou a pessoa é tão errada para o teu trabalho!

Manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Repara bem:

Eu não escrevi que de mim ninguém fala, sugiro apenas a eventualidade ...!

Não, não ofereci o meu trabalho às pessoas erradas nem encaro que o meu trabalho não seja merecedor daqueles a quem o entreguei ...

A questão que se poderá pôr consiste antes em saber, como aliás também o refiro em primeira página, se tratando-se também de uma prova de resistência, tu própria me dizes que até certo ponto o bullying põe à prova a resiliência de cada qual, a partir de que deadline é que quem é põe à prova o quê:

Eu e pesem os mais de vinte anos passados, continuo a dar todo o crédito às instituições democráticas logo, até quando é que elas continuarão a resistir!?

Mas que este medir de pulso e até certo ponto se poderá confundir com bullying naquele sentido assinalado no sinal de proibição e que diz leaving somebody out, lá que se confunde, confunde!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 10 de Março de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


O próprio poema final que escrevo,

Deixar alguém de fora
será o intuito
de quem demora

pode ser lido de muitas maneiras e como, para variar o não pontuo, ele até pode mesmo ter a pontuação interrogativa!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 10 de Março de 2010

Essência e Palavras disse...

Seríssimo esse assunto, conheço bem de perto.

Boa lembrança essa qualidade de post.

Um beijo, amigo.



boa quinta!

Jaime Latino Ferreira disse...

ESSÊNCIA DAS PALAVRAS


Estou em crer que muitos mais de entre nós o conhecem a este assunto de perto e que se não mais sobre ele o dizem é por terem vergonha de o fazer!

Seja bem-vinda, boa Quinta-feira e um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 10 de Março de 2010

Brancamar disse...

Tema inquietante e que remete para muitos dos fenómenos juvenis, de violência, que crescem nas sociedades actuais e de que, como diz a Manuela, somos todos cúmplices.
De uma forma quase generalizada, os adultos se têm demitido da sua função de educadores, embora muitas vezes as condições péssimas de trabalho e horários cada vez mais prolongados, não deixem muitas alternativas a alguns deles. No entanto, também acontece com alguns educadores que têm mais disponibilidade de tempo, existir menos disponibilidade para o amor e a atenção.
Há tanto a repensar na educação das crianças, na forma como obtêm tudo fácilmente e como lhes é dado poder, sem terem idade para o exercer e controlar, quando tudo o que precisam é de brincar e de se sentirem amadas e protegidas no aprender e no asumir gradual das suas responsabilidades, isto digo eu, que aqui estou a fazer discursos arrojados, como se pudesse "ensinar o Pai Nosso ao Vigário". :)
Beijinhos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Minha Querida Amiga,

Com que então chama-me vigário!?

Há tanto a repensar na educação, se há ...!

As relações de poder e de força que o bullying traduz são um pau de dois bicos que à sua própria perpetuação, paradoxalmente ou não, retratam e convêm.

Como escreve a Manela, somos todos cúmplices, uns mais, outros menos mas cúmplices e, por vezes, à própria gestão do grupo convenientes ...

Veja:

Se, no grupo, ao mais forte, físicamente entenda-se, o tivermos do nosso lado ... mais facilmente, seremos tentados a pensar (!?), ao grupo o controlaremos ...!

Será, será assim!?

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 11 de Março de 2010

*Lisa_B* disse...

Querido Jaime,

ando mais ausente e sabe o porquê...ainda não tenho resolvido o problema da internet e ao usar uma pen banda larga emprestada com apenas 1GB não tenho muita alternativa senão ficar fora de muitos comentários.

Não podia deixar passar este em branco porque...até fervo com este assunto de bullying ...não tivesse o meu filho ter sido vitima dele o tempo inteiro que frequentou a esoola e que quase o levou ao mesmo fim do Leandro.

Não e considero cumplice porque sempre denunciei e fiz tudo o que podia fazer fosse pelo meu filho ou pelos filhos (vitimas) de outros.
Chamavam-me na escola a "protectora dos desamparados " e fui-o com muito gosto.

Prefiro que me tenham rotulado de "protectora" do que cobarde ou negligente ou outro qualquer nome...no entanto considero apenas ter sido :atenta, observadora,perspicaz em todo este assunto que destruiu uma vida tal como se havia sonhado.

Não culparei todos os professores pois de muitos sou amiga mas...muitos viam e diziam que nada podiam fazer...outros passaram a ignorar o que viam pois era constantemente a agressão.

Houve um professor que ficou tão chocado com o que se passava e da forma como o C.Executivo tratava este assunto (meu filho e turma) que se demitiu e ficou o resto do ano sem emprego.

Alguns dos professores deixavam rolar algumas lágrimas a muito custo disfarçadas mas...

O mas...para mim não serviu e enfrentei protecção de menores, ministério público e depois tribunal. Sujeitei-me a inquéritos sociais vi a minha vida desnudada em "hasta pública" mas ...fui em frente e o caso encerrou-se neste passado dia 9 de Março.

Balanço deste bullying: o meu filho está salvo...são ainda não...vai demorar muito tempo e nem sei se algum dia esquecerá tudo que sofreu às mãos de jovens cruéis mas tem ao seu lado quem o compreende e ajude.

Sinto-me tão triste e chorei tanto pelo Leandro porque ele não teve quem o protegesse, ele temeu as represálias como o meu filho temia tanto as ameaças se ele contasse mas...o meu filho autista não consegue mentir ou omitir então perante o meu inquérito de todos os dias e horas eu sabia tudo ou quase...o resto uma colega...única na turma...denunciava o que ele não contava e era a minha única testemunha.
Ser vitima de 20 alunos não foi fácil...olho para ele ao meu lado e sorrio podem me chamar os nomes que quiserem mas eu salvei o meu filho e ele assim o confirma dando-me um beijo de agradecimento.

Querido Jaime, não se sinta magoado se alguém não demonstrar o apreço devido à sua Obra e trabalho...continue com post's destes pois são precisos e necessários, doa a quem doer.

Escreverei mais sobre tudo isto logo que tenha possibilidade.

Beijinhos com carinho

Jaime Latino Ferreira disse...

LISA


Minha Querida,

O Seu testemunho só Lhe fica bem ...!

Quanto à minha tristeza ou mágoa:

Saiba que vencer o bullying também é saber ultrapassar esses hipotéticos sentimentos que nos poderão toldar e prosseguir em frente, como o diz e eu o faço, e isto independentemente das reacções que nos desapontem como não!

Assim o faço há muitos e muitos anos e prosseguirei sem esmorecer ...

Obrigado pelo Seu incentivo, um grande beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 11 de Março de 2010

Dulce AC disse...

"Querido Jaime, não se sinta magoado se alguém não demonstrar o apreço devido à sua Obra e trabalho...continue com post's destes pois são precisos e necessários, doa a quem doer"

Querido Jaime..Olá!

Transcrevi para o meu comentário as palavras tão certas da Lisa, por me parecem tão certas, no que aqui também a mim agora me faz estar e escrever estas palavras.

E de mim falo: Embora possamos vir aqui em qualquer altura do dia, pode acontecer que não tenhamos a oportunidade para deixarmos a nossa opinião, por diversos motivos, sendo que, o principal para mim é mesmo o trabalho. E como me diz o que escreveu sobre o "Bullying" ..! Por precisamente devermos estar atentos a estas realidades. E porque tenho a minha filha de 12 anos e com ela devo falar nas várias perspectivas não só para que fale sempre com os pais com situações que possam com ela estar a acontecer mas também no caso de poder presenciar outras situações anómalas.
E foi o que fizemos em casa. Reiteradas conversas sobre o tema.
Porque a verdade é que somos sempre cúmplices..é verdade..!

Um grande beijinho. E que continue sempre Jaime a ir por este caminho, precisamente de alertar para situações que importa alterar. Para as quais importa estar atento, mesmo que não em causa própria, em outras causas igualmente dignificantes.

dulce ac

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Minha Querida,


Em Causa Própria


A parte do que escreveu, minha Querida, já eu respondi em comentários anteriores senão mesmo no texto de primeira página para não falar já da página que a esta logo se segue e que ao Seu comentário, afinal, o precede ...!

Não é da minha natureza ficar triste e muito menos quanto ao ritmo a que escrevo me não posso queixar dos comentários que recebo!

O que a minha Amiga e todos os que me escrevem têm de ter em conta é que eu também escrevo para Outros Destinatários que em pano de fundo, há muito, me acompanham!

Não se trata de ficar triste antes de um frisar de tónicas que, tereis de me perdoar, mas Vos transcendem!

Como repto, desafio constante que se não apenas me não desmobiliza a esses Outros, conservando o crédito, todo o crédito que de mim merecem, reciprocidade terá de ter sob pena de tudo, o discurso institucional, não passar de retórica sem qualquer conteúdo ou consequências!

São farpas que recorrentemente lanço ...!

Em causa própria

Se entre a Causa e mim próprio não existir correlação, a Causa esvai-se e perde sempre substância!

Um beijinho e obrigado


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 11 de Março de 2010

Dulce AC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dulce AC disse...

agora sim...a minha mensagem

"...mas eu salvei o meu filho e ele assim o confirma dando-me um beijo de agradecimento"

Linda Lisa..Olá..!

E um Abraçinho do tamanho do mundo para Si, com toda a minha ternura e para o Bruno...
E tem toda a razão, ninguém diga que não viu quando se passava tudo mesmo ali ao lado...somos mesmo todos cúmplices..!Há que educar em casa nesse sentido e proteger também..!

Desculpe-me Jaime, mas devia estas palavras à Lisa pelo Seu testemunho de mãe, de amiga vigilante e sempre atenta, sempre tão cúmplice no melhor sentido..!

E desejo que tudo já esteja melhor com a Sua mãe.
Beijinhos.
dulce

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Com a minha mãe que está com uma artrose na anca, já confirmada e que a tem tolhido muito, tudo vai progredindo devagar e oxalá que no melhor sentido ...

Nada aponta em sentido contrário mas, entretanto, tem-nos preocupado muito e ocupado muita da nossa disponilidade!

Não tem que pedir desculpas de nada e faz muito bem em aqui vir dedicar as Suas palavras ao Bruno e à Lisa, esteja sempre à vontade ...

Um grande beijinho, obrigado eu


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 11 de Março de 2010

Linda Simões disse...

...E sobre isso é bom falar, alertar,propagar aos quatro ventos que estamos atentos!

E acontece a todo momento!É absurdo. E há pessoas que se fazem "desentendidas".Na Escola , há montes assim!E ainda são hipócritas.Posam de educadoras comprometidas,vigilantes ,mas na prática...

Na família.Na Igreja.E em muitas outras instituições.

Mas com crianças, realmente, é covardia brutal.

...


Manuela,Dulce,Lisa, José e Jaime


Um grande abraço

Linda Simões disse...

Lisa,


querida... Sem palavras.


Um terno beijinho,



Linda Simões

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Minha Querida,

É minha convicção profunda que a Escola tem de levar uma volta tal que se deixe, ela mesma, de confundir com o próprio bullying!

Mas enquanto que não sua abordagem prepondere a defesa dos interesses corporativos em prejuízo da sua função ...

Isso, minha Querida, toca de apoiar a nossa Amiga Lisa!

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 13 de Março de 2010

*Lisa_B* disse...

Obrigada lindo Jaime, doce Dulce e querida Linda Simões.


Beijinhos para todos e claro para a Manuela mas vou lá ao cantinho deixar mais.

Jaime Latino Ferreira disse...

LISA


Sistemática Amiga,

O quê, continua por aqui!?

É que eu sim, sigo-a da frente para trás!!!

Beijinhos e não tem de quê


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Março de 2010