sábado, 3 de janeiro de 2009

Para Todos, IV Série

A MULTIPLICAÇÃO DAS PALAVRAS

Há quem, na sua sabedoria, multiplique o dinheiro.
Há quem, na sua sabedoria, multiplique as palavras.
Eu vou multiplicando as palavras e constato que elas a si próprias também se vão replicando, duplicando!
As séries que vou produzindo são apenas a ponta de um iceberg que submerso mas cada vez mais exposto se vai revelando por aqui e por ali num efeito que por si mesmo não deixa de ser profundamente sintomático:
Na internáutica, por mail e também por via da blogosfera as palavras que multiplico vão-se espraiando num efeito ainda mais multiplicador porque se duplica também no enfoque que continuo a pôr naquilo que escrevo e que quem me acompanha há mais tempo sabe que obedece a um fio condutor ou na blogosfera onde no enfoque que tenho exercitado, voluntariamente exercitado em quatro blogues que me surgiram na espontaneidade medida ou calculada de um percurso que me os pôs, fortuitamente, no caminho e ao alcance, a minha exposição se patenteia mais e mais, abraçando os desafios a que com eles, por si mesmos, fui presenteado.
Refiro-me, repito, a Casa da Venância e Pintada de Fresco de Isabel Venâncio, a Sete Mares de Jorge Castro e a Em Segredo de Filomena Claro.
No ano novo tive uma inesperada surpresa que sentidamente me comoveu:
Filomena Claro participou ter-me oferecido uma prenda, a Sua primeira prenda de ano bom, um blogue que Ela própria titulou como A Música das Palavras e onde, com ilustrações criteriosas o recheou já com documentos meus, entretanto editados e disponibilisados assim, como Ela própria o escreve, para a eternidade ...
Fiquei perplexo e quase incapaz de reagir, tão fundo me tocou o Seu gesto e pese embora a minha completa inoperância no que toca ao manuseamento do blogue que ainda não fui capaz de ultrapassar pesem também as instruções que Ela me deu mas que, talvez, não tenham sido as suficientes ou então, a minha iliteracia, neste campo, incapaz de superar.
Filomena que apenas conheço destas andanças mas que nem sequer tive ainda o prazer de conheçer pessoalmente, logo se predispôs, porém e no arranque, para servir assim como se de minha secretária se tratasse ...!
Estou-Lhe profundamente grato e, afirmo-o, é mais uma Amiga entre outras que já criei, julgo poder afirmá-lo, neste mundo virtual!!
E tudo isto é, como escrevia, sintomático!!!
Sintomático de que, pela duplicação agora, as minhas palavras não páram de se multiplicar;
Sintomático de que, por tal acontecer, o que escrevo não pode deixar de ter valor;
Sintomático de que vou criando um público fiel que me quer, além do mais, ver amplificado;
E se tudo o que escrevo tem valor, mérito, que mérito terá por comparação com aqueles que multiplicam o dinheiro?
Mais ou menos!?
Superior ou inferior e de que qualidade!?
Ingente ou não!?
E por tudo o que se patenteia, que urgência tem aquilo que escrevo!???

E no princípio ... era o verbo agora escrito também com minúscula!

O meu link:

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 3 de Janeiro de 2009

4 comentários:

Filomena disse...

E já tem comentários abertos e tudo!
E dizia-se inoperante!
Vê como conseguiu?
Hoje tenho mesmo de o bajular!
Pronto, só hoje... e o primeiro comentário tem que ser Meu!!!
Espero que este blogue faça nascer em todos aqueles que o visitam, o desejo de escrever e de perceber que cada palavra tem a sua música própria e única.

Um beijinho

jaime latino ferreira disse...

Querida Filomena,

Uma vez mais, agradecido pelo empurrão que me deu e que me faz, agora, estar na mó de cima, isto é, no papel de dono e senhor de uma folha que se quer, contudo, interactiva e comunicante, instiladora do desejo que tão bem refere!

Pretendo editar neste meu blogue os documentos de série que continuo a enviar ao conjunto dos meus destinatários e que aqui, com ou sem ilustrações e já que a melhor ilustração é a da palavra (!), serão plasmados e sujeitos ao debate público de que nunca me quis eximir e ao qual farei frente em pé de igualdade com todos os meus comentadores derivando, com eles, por aqui, nesta caixa de comentários!

Estou-Lhe, uma vez mais, profundamente reconhecido, Seu

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 3 de Janeiro de 2009

manuela baptista disse...

Conjunto

Com as palavras canta-se a paz
com as palavras chora-se a guerra
com a música entende-se o vento
faz-se e desfaz-se o pensamento

Manuela Baptista

Para a Filomena, pelo empurrão
Para o Jaime que merece ser empurrado

Filomena disse...

Doce Manuela,
Muito obrigada por me ter deixado ser
a primeira a comentar este blogue.
Ainda bem que de vez em quando acordo com boas ideias!
Agora que o "empurrão" foi dado, vamos deixá-lo voar... ao sabor das palavras, pela brisa das palavras, pelas ondas das palavras, sempre e sempre mais alto.
Mais uma vez Grata

Filomena