sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

REPOUSO



Repouso espelhado
Geométrico
Aprazível gozo
Alma amada
Vontade de te ter nesta jangada

Corrente de um ribeiro que adormece
E que se estende liso como prado
Montanha e lago
Contraste de negro esférico
Ouso
Confundir-me na água mergulhada
Da claridade mansa da alvorada

-.-
-.-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Fevereiro de 2009

13 comentários:

Paula Raposo disse...

Concordo. Confundir-me assim...beijos.

Filomena disse...

Jaime,
Aqui neste blog repouso a alma.

Muito obrigada.

Beijo grande

Filomena

jaime latino ferreira disse...

A DIMENSÃO DA MÚSICA


Vistas a fotografia ou o quadro e ambos nas suas possíveis interfaces com o poema no sussuro que dele se projecta, amplificam-se porém os três se a eles lhes acrescentarmos a profundidade sonora da área de Bach que, como se sabe, quer dizer, literalmente, ribeiro.

É como se, ganhando todos dimensão acrescentada se fundissem na quietude das águas espelhadas e a todos lhes fosse instilada a intemporalidade que vai de Bach que a sintetiza, ele próprio e no seu tempo projectando-se no futuro, até e para lá dos dias de hoje.

Com toda a intensidade e convidando, em simultâneo, ao repouso.


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Fevereiro de 2009

jaime latino ferreira disse...

PAULA E FILOMENA

A ambas e a todos os que nos visitam um muito obrigado, um bom fim de semana prolongado para quem o tenha e muito boa noite.

Beijinhos,

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Fevereiro de 2009

Alexandra disse...

Deambulando por este mundo, de vez em quando encontram-se lugares encantadores. Este é um deles. A união da música e palavras dão sempre algo de belo e sublime!!

Tenho a certeza de que cá voltarei.

Deixo o desejo de um bom fim de semana.

manuela baptista disse...

Ao Espelho

O quadro do quadro, a água da água, o céu do céu...

Com este repouso repousado, estou meia assim cheia de sono, ou seja é um sono meio cheio meio vazio, prontinha a sentar-me naquela cadeira com a ponta dos pés dentro de água.

Faço então uma vénia às meninas que nos visitaram, digo, ao Jaime, que o poema é bonito e à Filomena que também gosto dos Queen, e àmanhã talvez me mascare de jangada e navegue pelos blogs fora à procura de peixes encarnados e de bolas pretas.

Manuela Baptista

Paula Raposo disse...

Até compreendo.Mas és um pouco violento. Bjs

jaime latino ferreira disse...

ALEXANDRA

Seja bem vinda!

É meu desejo que volte sempre e que eu, pela minha parte, consiga permanecer à altura do que neste blogue tem encontrado e em Si despertou.

Como o escrevi numa página anterior a esta, o mais difícil é sempre corresponder às expectativas desencadeadas!

Não que o desafio me atemorize mas porque sei de experiência feita que assim é.

Uma vez mais, seja bem vinda e como invariavelmente o digo a quem me visita de novo, esteja como em Sua casa.

Seu

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Fevereiro de 2009

jaime latino ferreira disse...

PAULA

Desculpe-me mas agora perdi-me!

A que é que se refere quando diz compreender mas achar, contudo, violento?

Se me o poder explicar, agradecia, até para melhor a poder esclarecer, caso disso fôr ...

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Fevereiro de 2009

Brancamar disse...

Olá amigo Jaime,

Repouso é o que levo das suas palavras, da música e das imagens impressionatemente belas que aqui deixou.
Tenho estado um pouco ausente mas não esquecida.
E este seu "Repouso" era-me necessário, tocou-me a alma.
Tenho andado por um meio-silêncio, que por vezes é necessário para estarmos connosco e com as nossas perdas, mas vou passando sempre que posso e vou recuperando a energia.
Como diz aqui na sua caixa de comentários: da reflexão nasce a Luz.
Beijinhos.
Branca

Paula Raposo disse...

De repente lembrei-em?!! Estudaste no Liceu de S.João?Entre 1969/1971?
Beijosl

jaime latino ferreira disse...

BRANCAMAR

Querida Amiga,

Luz poente ou luz da aurora, luz, em suma, é da reflexão, estou disso certo, que ela nasce!

As nossas perdas ...

Imagino-as e a uma em particular, seguramente.

Quando me retirei do blogue de Salvador Vaz da Silva, fi-lo movido pelo que nele se afirmava e não querendo, longe de mim, ser intrusivo, mas não pensava que o desfecho estivesse assim tão próximo!

Acabei por deixar aqui, neste meu blogue e numa caixa de comentários já recuada, o testemunho que Lhe dirigi, alguns dias após a sua morte ...

No entanto, é sempre bom constatar que alguns daqueles que por lá conheci, agora me visitam e permanecem em contacto!

Venha sempre Branca e deixe, quando o entender, a Sua marca que, como sabe, é sempre bem recebida!

Se o que aqui deixo já contribui para o Seu repouso e Lhe toca a alma, então, é porque já valeu a pena ...

Um beijinho

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Fevereiro de 2009

jaime latino ferreira disse...

Querida Paula,

Não, nunca estudei no Liceu de S.João!

Tinha lá amigos mas nunca aí estudei.

Entre esses anos e se não estou em erro, no sexto e sétimo anos dos liceus, saído da Escola Alemã que frequentei do Kindergarten até ao quinto ano, estudei no D. João de Castro em Lisboa, provavelmente, o liceu com vista mais bonita da capital ...

Porque me o perguntas?

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Fevereiro de 2009