sábado, 28 de fevereiro de 2009

ENTRE PATRÍCIOS

À luz da ordem jurídica do Império Romano, que significado verdadeiramente subversivo tinha uma situação como a da Sagrada Família com todos os sinais que sobre ela, a ordem ou a desordem projectava e que permanece, questionando-as?
-.-
( conversa entre patrícios que podiam ser alguns quantos, nos nossos dias )
-
- Mas que família desestruturada!
- Acrescento mais, diz-se com mãe e sem pai ou escreve-o com maiúscula presumindo-se de Deus!!
- Filho de Deus!?
( galhofa em surdina )
- De qual dos deuses!?
- Do imperador!??
- Presunção e água benta cada um toma a que quer ...!
( galhofa )
- Filho de quem, afinal!?
- Sim, de quem!??
- Deve ter nascido de geração espontânea ...
( galhofa redobrada )
- Do pai, de que pai pois se afirma não tê-lo!?
- E, que mãe ...!
( galhofa descontrolada )
- Tens toda a razão, então se José é o padrasto e se se anula, sujeitando-se àquela galderice, sem o mínimo de coluna vertebral ...!
- É isso mesmo, que patrício se sujeitaria a tal anulamento da figura masculina!
- Não tem cabimento à luz dos nossos cânones, ressoa a blasfémia e tanto mais quanto põe em cheque toda a nossa ordem jurídica e porque não dizê-lo, os fundamentos do próprio império, da civilização!!
- E, reforço o que tu dizes, caro patrício (!), já repararam na promiscuidade que instala?
- Promiscuidade sim senhor, pois se se diz irmão de todos os homens!?
- Todos (!?), comentam os patrícios em coro.
( galhofa acrescida )
- Irmão, irmã, que história amaricada é esta!?
- Que personagem pueril de efebo frouxo ...
- Meu irmão, que mais quer ele (?), ser meu mancebo, meter-se debaixo da minha toga!!???
- ... ou escravo com direitos especiais!!!
( galhofa descontrolada e a puxar dos seus galões )
- Os meus, quem os escolhe sou eu!
( galhofa desaustinada )
- E, afinal, dois mil anos depois, em que ponto estamos, em que é que ficamos?
- Afinal, ser-se Pessoa, meu caro, é ser-se um sexo ou o que é que é ...!?
-.-
Eu, como crente, acredito no Mistério que se O é admite, porém, todas as interrogações no seu seio incluindo a do extra-terrestre, dos clones, filho de mães sem pai ou de pais sem mãe, na abertura da caixa de pandora que uma vez aberta e foi-o logo com a metáfora de Adão e Eva (!), já não se pode fechar e que aos filhos gerados por processos mais ou menos tecnológicos os não poderá relegar para outros quaisquer limbos ou categorias, em sub-espécies pois, quer se queira quer não estão aí à nossa porta (!), e o Mistério não O seria, permanecendo, para lá de todas as explicações, sempre por explicar mas que na sua abrangência só pode ser inclusivo, integrador de todas as diferenças e inesperados.
Quer nos guiemos ou não pela prudência, o que devemos fazê-lo ...
Mistério integrador de todas as diferenças, no amor e pela razão!
Que actualidade, de novo e plenamente em aberto, a do Mistério, susceptível de transcender qualquer normativo e tanto mais quanto inevitavelmente claudicantes!
E como acredito, como acredito no Mistério ele permanece, permanecerá desde que sem atavismos (!), exponenciando-se por antecipação no Futuro e sempre por explicar.
É o Mistério, os mistérios e a sua tentativa de explicação que fazem andar o Mundo!
Com redobrada força desde que perspectivado na actualidade ou não fora Mistério!
A velocidade vertiginosa dos tempos não se compadece mais com substractos culturais enfadonhos, sedimentados na história minúscula, como aquele que, por mim, aqui foi retratado.
( ... )
Deine Zauber binden wieder
Was die Mode streng geteilt
( ... )
A Tua magia religa de novo o que os tempos, as modas separaram, canta-se na Ode da Alegria ...
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 28 de Fevereiro de 2009

11 comentários:

manuela baptista disse...

Segundo Andamento

Os Adagio são um pouco como os segundos andamentos, calmos maviosos, misteriosos.

Entre Patrícios

Se Jesus Cristo voltasse de novo na sua humanidade, seria sinal de escândalo logo, recrucificado.

Entre Mistérios

Misteriosos são os deuses
Que em mim moram
Generosos ardentes e guerreiros
Que na desordem ordenada deste mundo
Sonham já com uma verdade futura

Allegro Ma Non Troppo

Onde é que andam bloggistas inspirados? Por favor digam qualquer coisa! É que afinal não fui a Barcelona e ainda por cima está chover...

Manuela Baptista

Filomena disse...

Ora Boa Tarde!

Uma das comentadoras está aqui!
Aí chove? Pois aqui não mas, está tão cinzento, tão cinzento.

Quanto a este texto do Jaime apenas me vem à lembrança a expressão"Maria concebida sem pecado".
É linda.A expressão.Conceber devia ser sempre assim. Sem pecado e com Amor. E amar depois. E Sempre. Eu gosto. Tão só.

Beijos e beijos para os dois

Filomena

jaime latino ferreira disse...

MARIAS

Minhas Marias queridas
Filomena e Manuela
Façam-se minhas convivas
Vamos louvar o que há Nela

Minhas queridas amigas
Chamai as outras é tempo
Se quiserdes façai figas
Desempoeirai este templo

Vinde todas sem tormento
Há lugar nestas ruelas
Eles que venham convosco
Iluminai-nos de velas


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 28 de Fevereiro de 2009

manuela baptista disse...

Eu penso que todas as crianças são concebidas sem pecado. Esse aparece mais tarde.

Beijinhos Filomena

Filomena disse...

Manuela,

Completamente de acordo.

Jaime,

Lindas quadras.Achei graça.

Bejinhos de novo

Filomena


PS. agora vou namorar um bocadinho
que o meu gato de duas pernas está ali sozinho e a ronronar( não confundir com ressonar que isso ele também faz e muito bem!)

manuela baptista disse...

É verdade lindas quadras! Quanto ao façai,já não sei...

Acho que é fazei. :)

MB

jaime latino ferreira disse...

FAZEI


Fazei pecados
Não sei
Se vêm juntos
Bocados
Se todos nós
Já selados
Os trazemos dos avós

Quando criamos
Eu sei
Corrompemos
Alteramos
Manipulamos os dados
Do que não vemos
Gozamos

Se isto é pecado
Já sei
Se é igualdade
Chorei
Ao ver que a Tua irmandade
Se corrompe pela grei
Sem a vontade de um rei


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 28 de Fevereiro de 2009

Ana Cristina disse...

Manuela

Quem me dera salvá-la.
Aqui também está sombrio o tempo.
E, sabe que mais, quem me dera também estar em Barcelona!

Inspiração,népia.
Preguiça,muita.
Apatia,imensa com tend~encia a aumentar.

Pecados, uiiii, é melhor nem falar!

Mistérios!?
O maior mistério é o mistério em si mesmo.
Aliás que seria do mistério sem mistério?
Não havia mistério,pois não!?

Era melhor termos ido para Barcelona...

Beijinhos.
Ana Cristina

jaime latino ferreira disse...

ANA CRISTINA

Minha Querida Amiga,

Deverei deduzir da sua intervenção que estou a ser demasiado pesado nas reflexões produzidas!?

É que, bem vê, elas têm, julgo, uma imensa oportunidade, actualidade também ...

Há assuntos que se resolveu designar por fracturantes, de um e de outro lado das barricadas pensando os campos não poderem sobreviver sem elas, as barricadas, e alimentando-se dessas querelas julgando, deste modo, afirmarem-se quando o que fazem é atirar poeira, pela diversão que provocam, para a vista dos incautos.

E deste modo não se cresce nem sequer na profundidade da Fé!

Desculpe-me mas o assunto surgiu-me com toda a oportunidade, terá ainda um desenvolvimento final e pelo facto, se a desgasto, peço-Lhe as minhas desculpas mas tinha de ser.

Um beijinho,

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 28 de Fevereiro de 2009

manuela baptista disse...

O mistério III

Como muito bem contradisse (?) e reflectiu produzidamente a Ana Cristina, que seria do mistério se não fosse misterioso?

Era assim como um pecado sem mal, perdia a razão de existir, era assim como Barcelona sem Gaudi...

Ora preparemo-nos pois, vem aí mais mística, mas oportuna e de qualquer jeito àmanhã é Domingo!

A Filomena, embora não achasse o assunto desgastante, foi fazer festas ao gato, não ao Gaspar ao outro, que deve ser mais bonito...

Entretanto contentemo-nos com "Vicky Cristina Barcelona" do Woody Allen, que é bem giro e com "O Eixo do Mal", que vou ver já a seguir.

O que seria de um dia de chuva ser humor?

Até àmanhã a todos.

Manuela Baptista

manuela baptista disse...

...O que seria de um dia de chuva sem humor?...

Um dia de chuva ser humor, é outra coisa.

Vou mas é calar-me!

MB