quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

TESTEMUNHO


-.-

Conheci Menuhin na fase final mas muito activa
preenchida também
da sua vida
-
Em Lisboa
no ano de 1998
à data da Expo
onde dirigiu o Messias de Händel
e visitou aquela que na altura era apontada como escola modelo na implementação de um seu projecto pedagógico
que acarinhava
para o qual eu trabalhei
e em contexto semelhante
em seminário
noutra ocasião
em Bruxelas
-
Que terei sentido na sua presença
na presença de um homem assim
com a sua estatura
-
Uma coisa é certa
não senti nem subserviência nem ciúme
faces de uma mesma moeda
a inveja
-
Seguramente que não
-
O ciúme
expressão da inveja
é um ácido corrosivo
um grito que nos cega e diminui
por maioria de razão
quando quem sobressai
se ostraciza
não nos vá esse alguém ofuscar
-
Menuhin sabia-o muito bem
-.-
http://www.youtube.com/watch?v=46AGXFJWakg
-.-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Fevereiro de 2009

4 comentários:

jaime latino ferreira disse...

IMPROVISO


Como virtuoso do violino, Menuhin não hesita em reconhecer-se diminuido na sua capacidade de improvisar ao lado de Grappelli ...

Ao mesmo tempo, porém, e na modéstia que o caracterizava, tendo navegado, sobretudo, na esfera dos mestres da erudição, reconhece terem sido estes momentos, aqueles em que tocou com Grappelli, dos melhores na sua arte da interpretação.

Com Grappelli, cada nota que tocou teve um sentido ...!

Que modéstia revelada!

Sinais de ciúme, inveja!?

Não me parece nada!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Fevereiro de 2009

manuela baptista disse...

Ora aqui está alguém, de quem eu tenho inveja!

"Each human being has the eternal duty of transforming what is hard and brutal into a subtle and tender offering, what is crude into refinement, what is ugly into beauty, ignorance into knowledge, confrontation into collaboration, thereby rediscovering the child's dream of a creative reality incessantly renewed by death, the servant of life, and by life the servant of love".

Yehudi Menuhin

Menuhin sonhou uma escola, que através da expressão artística: música, canto, dança,teatro, etc, integrasse crianças de todos os credos e raças especialmente as mais desfavorecidas económica e socialmente e também as mais problemáticas.

A "Internacional Yehudi Menuhin Foundation" coordena projectos envolvendo muitos países e escolas; o sucesso desta pedagogia depende das entidades locais e da competência e valor artístico de quem nelas intervém.

É assim, uma filosofia incompatível com invejas e ciúmes...

Manuela Baptista

ellen disse...

adoro esta imagem do GRITO :)

jaime latino ferreira disse...

ELLEN


Também eu, acredite!

E toda a história associada ao quadro, às suas múltiplas versões e quanto a saber quais de todas elas são ou não originais!?

E a intensidade dramática que no quadro se espelha!!!

Beijinhos,

Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Fevereiro de 2009