segunda-feira, 6 de abril de 2009

LIGAÇÃO

http://www.youtube.com/watch?v=AaMST_hNUVQ
-
Um dia, o Bom Deus acordou mal disposto.
Durante toda a noite um diabinho maldoso e impertinente tinha-o massacrado com as asneiras e disparates a que os Humanos tinham sucumbido graças às suas tentações.
“Estes Homens estão a precisar de uma lição! Andam vaidosos, conflituosos, invejosos e caprichosos! Vou separá-los uns dos outros e assim talvez aprendam alguma coisa.” disse o Bom Deus.
Criou então os rios que separaram as margens, os desfiladeiros que separaram os montes, as colinas que separaram as aldeias e os mares que separaram os continentes.
Os Homens ficaram baralhados e entristecidos, pois já não conseguiam andar a direito.
Para cultivar os campos, visitar os amigos, viajar ou simplesmente passear, eram obrigados a dar voltas e mais voltas e às vezes acabavam mesmo por se perder e nunca mais encontravam o local de origem!
Mas os Homens vaidosos, conflituosos, invejosos e caprichosos eram também humildes, bondosos, inteligentes e criativos.
E para ligar as margens, os montes, as colinas e os mares desenharam e construíram pontes.
Para as tornar mais belas, pintaram-nas em quadros, cantaram e contaram as histórias de quem as atravessou, para as eternizar escreveram versos em livros de ouro e para as celebrar dançaram.
Assim os homens tornaram-se arquitectos, pintores, contadores de histórias, músicos, poetas e bailarinos.
E o Bom Deus disse “Estes homens surpreendem-me, perante as dificuldades criam pontes e aproximam-se, vou olhar para eles de outra forma!”
A partir desse dia não houve mais diabos impertinentes que o fizessem acordar mal disposto.

Manuela Baptista
Estoril, 6 de Abril de 2009
-
( Publicado aqui e de surpresa, texto extraído da caixa de reflexões anterior e com esta ária de Mozart, Alma Grande e Nobre Coração, Köchel 578, dedico-a a minha mulher )
JLF
-

7 comentários:

manuela baptista disse...

O Diabrete das Cartas

Baralha
Acaricia
Espalha

Tira
Torna a dar
Faz batota

Brinca com o destino
Pragueja com os anjos
Impacienta-se com os velhos
Resmunga com as crianças
Odeia selos
Cavalga nas madrugadas
O Ás de Espadas

Manuela Baptista
Estoril, 6 de Abril de 2009

Este diabo ou anjo, estava junto de Francesca e de Robert e das suas belíssimas Pontes.

MB

P. Nuno disse...

Vou tentar semear uns sorrisos hoje!

jaime latino ferreira disse...

PADRE NUNO


Com ou sem diabretes ou joker, venha daí Meu Querido Amigo!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Abril de 2009

manuela baptista disse...

Sementes

A terra também pode morrer de solidão.
Se não for cavada, se não for plantada, se não for regada.
Se sobre ela não se contruirem pontes, casas,templos, fontes.

E quando um homem bom, semeia nela sorrisos, os continua a regar e a podar, transforma os outros homens em rios de risos.

Para o P.Nuno e as suas sementeiras.

Manuela Baptista

Ana Cristina disse...

Depois de um fim de semana passado em terras alentejanas de Castelo de Vide, envio um grande abraço de uma cidade ligada a outra por 6 pontes.

Nem sempre a quantidade de pontes reflecte a qualidade da comunicação e do diálogo!

Eu gosto muito de pontes.
São um desafio e sempre uma surpresa porque nunca sabemos o que vamos encontrar na outra margem.
Os homens são fazedores de pontes e ainda bem que Deus achou que devia olhar para nós com mais atenção.
Pena que nem sempre utilizem as obras que fazem com respeito pelos princípios e necessidades que as sustentaram.

Espero que estejam bem.
Por aqui uma chuvinha morrinhenta escureceu o dia e a notícia que chegou de Itália, remete-nos mais uma vez e sempre à nossa insignificância face à força da natureza.

Beijinhos.
Ana Cristina

manuela baptista disse...

Pelos que partiram

Às vezes a Terra é caprichosa, como uma senhora gorda e feia sentando-se ruidosa e descuidadamente sobre as flores do seu jardim, esmagando-as reduzindo-as a nada.

Somos pequenos e frágeis e a previsão das coisas ainda não é o nosso forte. Mesmo que a ciência avance muito, haverá sempre um momento em que a natureza seguirá o seu curso.

Há muitas formas de se ser crucificado e esta noite Aquila encontrou a sua Paixão e Morte.

Esta noite o Bom Deus acordou mal disposto...

Estamos bem Ana Cristina e a chuvinha também nos visitou. Mas estamos vivos e tivemos a sorte de a sentir.

Manuela Baptista

jaime latino ferreira disse...

AQUILA

REGIÃO DE ABRUZZO

ITÁLIA


Ó morte que rondas por aí

No medo que destrói

Vidas e bens

As pontes que custaram a erguer

A História que conténs

Que agora ferida

Em cicatriz profunda

Nos lembra a nossa fragilidade

Na solidariedade que cresce

Verdadeira medida do Homem

E me faz

Inconsolável

Chorar


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 6 de Abril de 2009