domingo, 12 de abril de 2009

RENASCIMENTO

-
Durante a vida
singular e colectiva e num processo descontínuo
somos
com maior ou menor intensidade
e cada vez mais ( + )
levados aos abismos ou elevados às alturas
na metáfora da ressurreição
da transfiguração também
mas num dinâmico e interactivo percurso
do qual um quase imperceptível fio condutor pode emergir
e que
para quem saiba ler os sinais dos tempos na sua profunda complexidade
saberá ver
quanto renascimento já foi
até hoje
e ainda que fragilmente
adquirido
e quanto
se morre e volta a nascer vida fora
assim se possa e queira
em Liberdade
longe dos constrangimentos de um ímpio não
agir
-
-
Façamos desse condoído e desmobilizador vale de lágrimas
em que maníaco-depressivamente
tendemos em nos atolar
alguma coisa de melhor
que logo começa numa atitude que
libertadora
artística se projecta
e ao seu apelo
nos convoca
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 12 de Abril de 2009

7 comentários:

marie disse...

Boa Páscoa para si e todos os seus!
Bjs,
Marie

jaime latino ferreira disse...

MARIE


Querida Amiga,

Retribuo-Lhe os votos reconhecido e no desejo de uma atitude que a todos e logo ecologicamente (!), nos ajude a respirar melhor!

Sem o sufoco de tanto não!!!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 12 de Abril de 2009

Ana Cristina disse...

Jaime e Manuela

Acordei ao som dos sinos das Igrejas do Porto e Gaia em simultâneo com o tilintar da sineta que anunciava a passagem do compasso.

A manhã cheia de sol respirava alegria e festa.

Abri as cortinas e as janelas da sala.

O Alex saiu para a varanda e espreguiçou-se ao sol.

Um abraço e um imenso sorriso para os meus queridos amigos.

Ana Cristina :)

manuela baptista disse...

Aos meus amigos, na Páscoa

Que sorte Ana Cristina, cheirar-lhe a Festa! Há muitos anos que não assisto à passagem do compasso.

Aqui, na Paróquia do Estoril o compasso é outro, talvez ternário!
O nosso Prior após cada missa, desaparece rapidamente, fecha-se no vestiário e nunca está à porta da Igreja a cumprimentar os seus paroquianos.

Muito possivelmente é mais moderno não cumprimentar as pessoas ao Domingo, mas à segunda ou quarta-feira.

Não lhe levo a mal, porque eu às vezes, também me apetece fugir, dos cânticos, das palavras sem sentido, dos bocejos e procurar outros compassos mais vivos , mais sentidos, mais ritmados e fazer uma grande Festa!

Aleluia!

A escolha musical do Jaime hoje teve nota 5!
Aleluia a Handell, Aleluia Jordi Savall e ao intergaláctico Messiaen.

Por uma qualquer confusão pascal, hoje não comi folar, o que me deixou desconsolada...

Abraços :)

Manuela Baptista

jaime latino ferreira disse...

HÁ PESSOAS


Há pessoas para quem o importante são as coisas muito importantes que têm que fazer e como as coisas muito importantes que têm para fazer se sucedem umas atrás das outras numa hierarquia rígida de prioridades que elas próprias estabelecem, acabam por não ter tempo para oferecer qualquer tipo de disponibilidade para estar, para estar, pura e simplesmente com os Outros.

Agora não tenho tempo, dou-lhe só tempo para duas palavrinhas que estou com pressa, se quiser marque um encontro que ele será devidamente agendado lá para as calendas, oportunamente responderei ao seu convite ...!

Para essas pessoas, tudo se encaixa nessa hierarquia de prioridades e o encontro com os Outros, com as outras Pessoas, ele próprio se estabelece em função do que de muito importante elas têm ou julgam ter para fazer.

Em rigor, para essas pessoas os Outros só contam em função do que de muito importante elas estabeleceram como prioritário!

Não são os Outros que têm prioridade antes as coisas que estabeleceram ser prioritárias!

Assim, essas pessoas vivem sós e mesmo se têm por obrigação estar, isto é, atender à comunidade que não é uma abstracção antes uma entidade feita de Pessoas, dos Outros, indivíduos singulares a quem lhes cumpre, em tese, atender, pastorear, servir.

Há pessoas que vivem num permanente sufoco consigo próprias e que é de tal maneira grande que não lhes sobra tempo para mais nada!

Essas pessoas, se as conheço bem demais, porém, são desconhecidas dos Outros que nelas, nessas pessoas também se acabam por não reconhecer nem rever e por muitas palavras bonitas que eventualmente, apenas eventualmente possam dizer.

Há pessoas ...

Há pessoas assim!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 12 de Abril de 2009

Ana Cristina disse...

Há pessoas cujo umbigo vai aumentando de tanto olharem apenas e só para ele.

Há pessoas que cultivam a sua importância e o seu poder por terem coisas importantes para fazer.
Coisas que não têem nome e que só são importantes para elas próprias.

Há pessoas que se esqueceram progressivamente do caminho que percorreram, das pessoas que encontraram, dos abraços que receberam ou das palavras que as animaram.

Há pessoas, muitas,demais,que pensam que alcançam mais horizonte se estiverem num pedestal,de preferência sozinhas, para não partilharem a vista com mais ninguém.

Há pessoas assim ,Jaime, com quem não vale a pena perdermos um segundo da nossa vida.


"Sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura!"

Fernando Pessoa

1 beijinho amigo de quem também conhece muitas dessas pessoas que nada nos dizem e em quem não nos revemos.

(Tenho folar da Páscoa que fui buscar na 6ª.feira a Anadia - terra natal do meu pai- ali na zona da Bairrada.
Congelei alguns pois são óptimos, depois de passada a Páscoa, com manteiga ao pequeno almoço.
Acho que levarei um comigo quando fôr a Cascais, num fim de semana que quero breve, para rever os amigos.
Manela,vai ver que o folar saberá ainda melhor depois da "passagem".)

1 abraço.
Ana Cristina

Brancamar disse...

Jaime,

É sempre tão bom voltar aqui! E que lindas palavras de Renascimento nos deixa e escolha musical, como diz a senhora sua esposa, com nota máxima!
Sei que tenho perdido neste seu sítio temas e debates muito bons, mas o meu ritmo de visitas tem sido muito complicado. Só consigo vir ao computador já tarde e tem-me sido muito difícil manter uma certa assiduidade que conseguia noutras alturas. Estou a trabalhar num serviço muito absorvente que não me deixa intervalos durante o dia, tem a ver com doentes em hemodiálise e chego muito cansadita, mas cá estou, vou passando sempre que posso e muitas vezes quero escrever, mas fico vencida pelo cansaço.
O que quero que saiba é que não o esqueço, nem a si nem à esposa, assim como aos amigos habituais que por cá passam. Volto sempre e vou acompanhando na medida do possível.
Gostei imenso do seu texto, em jeito de comentário "HÁ PESSOAS", nem de propósito, é verdade, e às vezes sinto-me tão mal por não ter disponibilidade para todos, mas procuro como defende, quando estou, estar mesmo, não sou capaz de passar a correr e deixar só uma palavrinha de circunstância, porque a amizade e a atenção que me merece não se compadecem com pouco.
Beijinhos e até breve, espero.
Branca