sábado, 20 de novembro de 2010

ASAS

omid sariri
-

É fundamentalmente naquilo que escrevo que reside aquilo que fotografo, o que, a partir da minha angular ou objectiva, vou registando:
A música daquilo que vejo;
A escrita daquilo que oiço;
O que oiço para lá daquilo que, escrevendo, mostro.
Aquilo que contido no que se vê, meros contornos, está para lá desses contornos.
Contornos ou grafia.
Grafia ...
Grafia, ortografia ou desenho que moldam, circunscrevem o não desenhado, não escrito, grafia ou negativo do não dito.
O que é que mostra um desenho?
O que nele se explicita ou a partir do explícito, o que lhe está implícito!?
O que é que mostra uma fotografia, uma obra de arte ...?
O que é que mostra, por fim, o que se escreve, o que se vê ...!?
Mostram, todos, aquilo que não se vê !
O que se ouve, a música, o que dos seus próprios contornos está por desvendar, o que apenas se entrevê ou pressente ...!
E é na escrita, nesta minha singular forma de escrever, que encontro a chapa, a visualização, a ilustração mais nítida que nenhuma outra angular ou objectiva seria capaz de me proporcionar:
Nela capto todo o possível e indistinto movimento que fica por revelar ...
... ou que se revela para lá do revelado!
Asas da minha passada, do movimento que capto para lá daquele que capturo.
-
dedicado à criação artística, ao escondido que dela se revela sob pena de o não ser e à importância das palavras naquilo que, como sombras, escondidamente formatam
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Novembro de 2010

11 comentários:

manuela baptista disse...

asas de cada passada

o que desenho escrevo
o que pinto escondo
o que não vejo relato
não sei o que fotografo

já não está lá

para isso são as asas!

manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Ai ...!

( neste meu ai esconde-se uma pluralidade de conteúdos que a serem expressos dariam um autêntico tratado! )

Asas para que te quero!!

Se quero!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Novembro de 2010

. intemporal . disse...

.

. a a|r|t|e é e será sempre o fruto "proíbido" da C|r|i|a|ç|ã|o .

.

. [espero que me entenda...] . :) .

.

. abraço.O, querido amigo .

.

. uma boa semana .

.

BRANCAMAR disse...

Querido amigo Jaime,

A criação artística é tudo isso que diz, tudo o que subentendemos nela e quantas mais interpretações subjectivas ela tem mais rica é, para além do "econdido que dela se revela" como muito bem diz, na arte de nos darmos sem nos revelar
mos totalmente.
Sinto-o realizado na conjugação que faz de várias artes, fotografia, escrita, música e na forma como o seu texto tão bem traduz esse entusiasmo.

Parabéns pelos dias felizes e que sejam sempre.

Beijos.
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

PAULO


Meu Caro,

A arte como o saber são sempre o fruto proibido que à própria Criação a justificam ...!

O que nela, na própria Criação se esconde e dela se revela.

Diga-me só uma coisa:

Como é que consegue fazer esses Seus traços verticais e os parêntisis rectos?

Um abraço Amigo e para Si também uma boa semana


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Novembro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Querida Amiga,

Realizado ...!

Realizo-me em cada texto que crio mais ainda do que em cada página que faço por compôr como se cada um deles, em si mesmo, essa conjugação de artes, em si mesmo, o fosse já ...

No entanto, escrito um logo outro se perfila ao ritmo que vai conhecendo e num filão que aos dias felizes, como lhes chama, os vão preenchendo!

Beijinhos para Si também e uma boa semana


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Novembro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

PASSOS I


13 700 = + 120 visitas!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Novembro de 2010

. intemporal . disse...

.

. jaime,,, .

.

. parêntesis recto:

. tecla alt gr em simúltâneo com a tecla 8 e alt gr em simúltâneo com a tecla 9 .

. traço vertical:

. pressionar a tecla \ em simúltâneo com a tecla que tem uma seta vertical que permite escrever em maiúscula . ||||||| .

. :) . 6.27 a.m. vou trabalhar .

. abraço.O .

.

Jaime Latino Ferreira disse...

PAULO


Caríssimo,

Dura lex, sed lex!

( ||||||[[[]]]||||| :((( :)))//@\\ )

Hoje quem brinca sou eu!

Agora a sério:

Finalmente já posso escrever o nome da minha Obra por extenço, coisa que só o conseguia fazer, veja lá, manuscrito:

E = mc2

{ Energia = [ massa ( cérebro x cérebro )]}

Ensaio sobre a Relatividade em Linguagem Comum

É grande, o título, não é!?

... mas é isto mesmo!

Aqui fica, desde que circulo pela net, em primeira mão!!!

Obrigado e um grande abraço


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 22 de Novembro de 2010

Maria João disse...

Jaime

Meu amigo

Retomo aqui a minha leitura habitual depois de alguma ausência, porque o tempo, às vezes, nos chama a outras contemplações. A olharmos apenas para o que à nossa volta, sem palavras, se inscreve na arte de existir apenas.
E é tanto, no apuramento dos sentidos, que voltamos sempre às palavras para encontrarmos no esboço das linhas, as entrelinhas da singularidade de cada um. Obra feita, porque pensada e sentida na suave passada que nos movimenta.
A arte é pintura musicada desse movimento interno que transborda em asados voos, quando nos revelamos. Esse, é como um novo e singular ângulo de uma objectiva que apenas o nosso modo de ver o mundo sabe e consegue captar.


Um beijinho

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Minha Querida Amiga,

Sempre atenta, sempre estimulante!

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 22 de Novembro de 2010