segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

CARTA A UM FABRICANTE DE PARAFUSOS

Jackson Pollock

Senhor Empresário,
Escrevo-lhe em desespero de causa e interpelo-o sobre o que é que os parafusos têm a mais que as palavras, na sua musicalidade, não tenham!?
Em que é que estes contribuem a mais na criação de riqueza de que as palavras estejam desprovidas!?
Em que é que estes, na sua fábrica de ponta, fazendo a ela confluir a nata das classes dirigentes, as dispensa, por outro lado, de às palavras darem a devida, igual ou maior atenção!?
Dirigentes que, tanto para o bem como para o mal, as não dispensam, entenda-se!
Eu bem sei que os parafusos, ainda nos dias que correm, são indispensáveis tanto ao hard como ao software, que empregam talvez milhares ... milhões de pessoas, que se exportam aos magotes e que concorrem, por isso e numa simples operação contabilística para o produto interno bruto das nações mas, e as palavras, são elas, porventura, mais dispensáveis!?
Devem ser elas atiradas para um limbo a que, eufemisticamente, se chama de cultura sempre carente da atenção que apenas um último louvor, qual extrema unção, devessem merecer!?
Eu bem sei que os parafusos servem para apertar muita junta, ligar as partes que se constituem num corpo material sem os quais este não se manteria de pé nem poderia ser transaccionado e mesmo que desmontado mas, e as palavras!?
Que seria da sua empresa sem elas!?
Até à linha final de produção e aos entrepostos de revenda!?
O que elas unem, apertam, juntam, aparafusam e alicerçam!?
Como elas contribuem ou não (!) para a coesão de um grupo!?
Palavras que, tantas vezes, são utilizadas sem qualquer critério ou musicalidade ...!
Como aquele discurso que, pertencendo a outro, por erro, um alto dignitário começou a ler numa arena internacional e que nem sequer, por si mesmo e qual colegial, ao lapso o ter sido capaz de detectar ...
... e sem tão pouco, no acto, se ter feito acompanhar por um simples pedido público de desculpas em relação ao seu homólogo, em relação àquela arena e em relação ao seu próprio Povo!?
Como são importantes as palavras, quando utilizadas com critério, na sua empresa, na sociedade, no Mundo em geral!
Como elas contribuem para a riqueza cultural e, logo, geral dos povos ...!

Senhor Empresário,
Tire os parafusos do produto a que se destinam e o que será dele!?
Ou vejam-se as suas partes deles dispensadas e o que será do Senhor!?
Mas ver-se-á, o meu Amigo, alguma vez, dispensado das palavras!?
Habituamo-nos a conviver com as coisas, somos incapazes de dispensar as palavras que a bem dizer são mais do que coisas, mais do que parafusos que indispensáveis, por ora, ainda o são (!), elas povoam o nosso imaginário virtualmente por elas aparafusado, aquele mesmo que o fez erguer a sua empresa, mas quer isso dizer que por nos povoarem se troquem a pataco, mais do que em saldo, sem qualquer valor!?
Vem esta carta a propósito de Lhe pedir um simples favor:
Quando algum dos nossos impertinentes dirigentes, sempre com a boca cheia de palavras (!), o for visitar, agradecia-Lhe muito que lhe perguntasse porque é que ainda não me veio visitar a mim!
Seu e, afianço-Lhe (!), com os parafusos todos no lugar

em memória do meu avô Latino, comerciante de ferragens e revendedor de ... parafusos


Suite


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 14 de Fevereiro de 2011

19 comentários:

manuela baptista disse...

senhor empresário:

falo-lhe com a boca cheia de parafusos, por isso não posso dizer nada...

se o fizer, corro o risco de os engolir e na falta de uma broca e de um berbequim, os parafusos cá de casa não servem para nada!

considero-me feliz pelo facto de o visitarem a si e a mim não

mesmo que a sua fábrica, injectada com os nossos impostos, abra falência 365 dias após a sua inauguração

mas é o destino, não é verdade?

e cultura, palavras, poesia, para quê?

o povo tem o euro-milhões, as arenas, o Preço Certo e Portugal tem Talento, não sei para que precisamos de nos desconcentrar!

sua admiradora

MB____________________


___________palmas ao avô Latino, pelo neto que tem!!

clap, clap, clap!

manuela

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA BAPTISTA


Cof, Cof, Cof!

Finalmente, desencravei a minha boca de tantos parafusos mas não batas mais palmas que ainda engulo algum!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 14 de Fevereiro de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

esquecia-me:

touché!!!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 14 de Fevereiro de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

PARAFUSOS I


23 065 = + 135 visitantes nas últimas vinte e quatro horas!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 14 de Fevereiro de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

PARAFUSOS II


23 200 = + 135 visitantes passadas mais vinte e quatro horas na ausência de outros comentários o que me leva a pensar que os fabricantes de parafusos ou me terão levado demasiado ou muito pouco a sério ...

Paciência!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 15 de Fevereiro de 2011

Dulce AC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dulce AC disse...

"sua admiradora

MB____________________


___________palmas ao avô Latino, pelo neto que tem!!"

Gostei muitíssimo Jaime da construção desta sua carta, do seu conteúdo.
E gostei muito Manuela do que escreveu, a propósito da mesma. Subscrevo as suas palavras, agora em meu nome DAC..!!

Beijinhos grandes, amigos, aos dois.

dulce ac

Jaime Latino Ferreira disse...

DAC


Querida Amiga,

Será que o comentário prévio e eliminado, pertenceria a um qualquer fabricante envergonhado de parafusos!?

Beijíssimos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Fevereiro de 2011

Dulce AC disse...

Quanto à pergunta infra...

"Será que o comentário prévio e eliminado, pertenceria a um qualquer fabricante envergonhado de parafusos!?"

Respondo que não...que não..!!

Se fosse o correcto seria mesmo dizer Querido Amigo Jaime... uma qualquer fabricante envergonhada de parafusos..!

Mas fui só eu. Uma imprecisão no texto, fez-me eliminar para voltar, as minhas desculpas redobradas, pois bem sei virem atrasadas...Um abraço amigo..!!

dulce

manuela baptista disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
manuela baptista disse...

mas então

já um comentador não pode eliminar um comentáriozinho

sem ser fabricante de qualquer coisa??

não lhe ligue, Dulce!

um beijo

manuela


ps.o anterior tinha um erro :))))))

Maria João disse...

Jaime

Meu amigo

Este texto desaparafusou completamente o meu sorriso... sim, tenho por defeito de fabrico, dois parafusos quase sempre muito aparafusados nos cantos da boca, e hoje.. olhe, sem parafuso a coisa é muito mais divertida :-)
Quanto ao mais, tantas foram as palavras que escrevi sem os ditos no lugar e certo é, acredite, que não me fizeram falta.

Hilariante este texto!
Tão inteligente e sério que comprova, sem espaço para qualquer dúvida, que a ironia pode ser o mais belo poema dirigido a um empresário de parafusos.

Um beijinho neste meu sorriso solto e franco.

Maria João disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jaime Latino Ferreira disse...

Ena pá tanto súbito comentário ...!

Ou tanto parafuso desaparafusado!

Ou tanta amiga que aqui se aparafusando me incitam!!!

Dulce, Manuela e Maria João, da parte do avô Latino sócio de extinta e conceituada empresa de ferragens, a Rocha, Amado & Latino, Lda., beijinhos a todas


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Fevereiro de 2011

Maria João disse...

Jaime

Peço desculpa pelo eliminado comentário.
É o que dá deixar os parafusos fora das roscas ;-)

Agora sim...

Uma salva de palmas para o avô Latino e para o neto, exímio maestro das palavras!

Jaime Latino Ferreira disse...

... para não falar já nos extintos e eliminados parafusos que muito agradeço por aqui terem comparecido!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Fevereiro de 2011

Jaime Latino Ferreira disse...

Ó desenroscado parafuso ...

... muito obrigado!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Fevereiro de 2011

Linda Simões disse...

Sr Jaime

Com ou sem parafuso (acho que tenho parafusos a mais,depois das aulas de ontem- hehe )digo que escreveste mesmo bem. Sem os parafusos,nada acontece,nada anda, nada produz.

Somos todos peças de uma mesma engrenagem ... Elos que se juntam a outros elos para fazerem a roda da vida andar!

E agora,vou apertar alguns parafusos, depois volto aqui...

hehehe


Abração aos amigos

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Minha Querida,

Aperte mas não exagere!!!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 18 de Fevereiro de 2011