sexta-feira, 27 de março de 2009

A METÁFORA DO AUTORITARISMO


A metáfora do autoritarismo estampa-se hoje e à saciedade, para quem a queira ver, no universo virtual da blogosfera.
Nele, os autores dos blogues nos quais eu me incluo, não o nego (!), têm, nos seus blogues, a faca e o queijo na mão!
Os blogues são dos seus autores e estes estão no seu direito, no entanto:
Eles podem e a seu belo prazer, exercer a censura ou a auto-censura, a omissão incluída e como muito bem o entendam fazer.
Assim:
Os comentários ou reflexões como lhes gosto de chamar ficam sujeitas ao crivo dos seus autores, dos autores dos blogues e estas podem ser omitidas, suprimidas ou censuradas pelos próprios.
Se assim o decidirem, os autores também podem retirar páginas de sua autoria sem tão pouco se preocuparem se, com elas, também são suprimidos os comentários que a essas mesmas páginas lhes estejam anexos e sem que, tão pouco, se sintam obrigados a dar qualquer satisfação.
Em vez de darem a mão à palmatória que longe de constituir uma confessa diminuição de autoridade a reforçaria pela admissão do erro, podem, antes pelo contrário, dar o dito pelo não dito e a seu belo prazer tal como na actualidade se truncam, por exemplo, fotografias e de acordo com conveniências políticas vigentes ou de outra ordem qualquer.
Os autores dos blogues podem, portanto, transformar-se em pequenos tiranetes sem disso se darem conta nem terem plena consciência, exercitando então e arbitrariamente, como disse, a censura ou a auto-censura, com toda a impunidade.
Tudo isto se reflecte, por fim, na relação normalmente não comunicante entre autores e comentadores dos blogues e destes entre si, num acriticismo a mais das vezes exasperante.
E assim vamos!
-
-

DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS

Desde que me iniciei nesta senda que logo tive e manifestei a preocupação que aqui se estampou, aliás, de suprimir as barreiras que de algum modo pudessem levantar quaisquer obstáculos à livre e imediata publicação de comentários, reflexões anexas às minhas primeiras páginas.
Assim o fiz, assim o farei!
Nunca suprimi como não suprimirei tão pouco (!), qualquer reflexão que entre na minha caixa de comentários.
Se estas forem inconvenientes atingem o próprio que as produz e só o são, de facto, para quem não se sinta à altura de as encarar!
Todas as páginas, vulgo posts que até hoje editei, por cá ficaram e ficarão, num percurso que desejo consequente, transparente e respeitador de mim mesmo logo por não poder ser omitido (!) e nem tão pouco os comentários que lhes forem anexos.
Apenas não posso garantir, porque de mim não depende mas do Youtube, que os endereços ilustrativos, musicais ou outros permaneçam.
Deste modo declaro algumas das minhas intenções que tenciono continuar a cumprir e custe o que custar.
Deste modo também, não omitirei páginas que venha a escrever sendo mais transparente que dê a mão à palmatória se caso disso for e no respeito que devo a mim próprio e aos meus leitores e comentadores.
Continuarei a comentar naqueles blogues que são credores de confiança ou susceptíveis de serem contemplados pelo benefício da dúvida sem me dispersar, contudo, dos meus objectivos, coisa que não posso, por imperativo de consciência, deixar de fazer.
O mundo da blogosfera e pesem embora todas as virtualidades que encerra ainda é a metáfora residual, virtual do autoritarismo.
Por muito que se fantasie ou faça de conta que não é!
-
http://www.youtube.com/watch?v=mbyll1Y82eo
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 27 de Março de 2009

21 comentários:

jaime latino ferreira disse...

PERDÃO E ESQUECIMENTO


Filomena

Minha Querida,

Continuo o nosso diálogo aqui, vindo das reflexões da caixa anterior.

Estou de acordo, também eu Consigo, que na abordagem da traição é fundamental saber perdoar.

Daí que escrevia eu, em primeira página, que bati à porta e perdoei!!!

É fundamental saber perdoar para saber como prosseguir com toda a disponibilidade e desfazendo ressentimentos ou constrangimentos que apenas nos ficam a toldar o juízo ...

Mas para tal conseguir fazer se este sentimento, o sentimento da traição não se pode tornar obcessivo é preciso que seja devidamente analisado e para o conseguir fazer, não nos podemos esquecer!

Eu percebo o que diz ou o que quer dizer mas fazer tábua rasa do sucedido, esquecimento nesse sentido, não.

Aliás, quanto mais me lembrar do passado, relacionado ou não com o caso, mais munido estou para prosseguir sem que com isso queira dizer que este, o passado, deva estar sempre pronto para se atirar à cara seja de quem for, de quem nos traíu ou a quem traímos ...

Mas esquecer não, a Sua como a minha histórias são para ser recordadas sem medo e são nossas partes integrantes e não escamoteáveis, fatias de nós, o que já foi e sem as quais nos auto-mutilamos ou, para sintonizar, agora, com esta página, sem as quais corremos o risco de nos auto-censurarmos ou censurarmos os outros.

Veja a nossa Isabel Venâncio e ela que me desculpe o abuso mas, tendo sido traída pela vida como, apesar de tamanha dor, ela tem imperiosa necessidade de manter viva a Sua memória e como o faz, com todo o desassombro, no Seu blogue A Casa da Venância!!!

Esquecer, neste sentido, é morrer ainda mais.

Beijinhos e um óptimo fim de semana!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 28 de Março de 2009

manuela baptista disse...

O País dos Blogs


As coisas andavam estranhas no país dos blogs.A população tinha aumentado tanto que o Rei Weblog de Leão estava preocupado com um espaço, que parecendo infinito, revelava-se agora cada vez mais apertado.

Os blogues nasciam, cresciam, multiplicavam-se, acotovelavam-se, reclamavam a sua originalidade, invejavam descaradamente cada vizinho e chegaram mesmo ao extremo de se pisarem uns aos outros.

Todos sabemos o que custa sofrermos uma pisadela, agora imagine-se um blog, que é uma entidade que por princípio terá pés e cabeça!

Mas sobretudo, deixaram de se ouvir! Ou seja, cada blog escrevia apenas no seu umbigo, comentava para si, batia palmas para si e por fim bocejava também para si e ia para a cama cedo, morto de tédio.

No princípio dos tempos tudo corria bem, o Rei Weblog de Leão, amava e conhecia todos os seus blogs.

O da Senhora triste que queria partilhar a sua tristeza,

o da Menina curiosa que queria partilhar os segredos dos outros,

o do Senhor vaidoso que queria partilhar a sua beleza,

o do Senhor bondosos que queria partilhar o bem,

o do Poeta que queria partilhar os seus poemas

o do Compositor que queria partilhar as suas músicas,

o da Bailarina que queria partilhar as suas danças,

o do Senhor justo que queria partilhar a justiça

e o da Senhora alegre que queria partilhar a sua alegria.

Era pois com enorme tristeza que o Rei observava os seus súbditos naquela animosidade egoísta!

“Não foi para isto que eu criei os blogs! Mais valia ter construído um palácio!”

Teve então uma boa e mágica ideia!

Com a ajuda e conhecimentos de um fiel Servidor, resolveu baralhar as características e gostos dos seus súbditos e voltar a distribui-las enquanto dormiam!

Assim, a Senhora triste ficou justa e só queria dançar!

A Bailarina encheu-se de inveja e desatou a cantar!

O Poeta ao saber os segredos dos outros, sentiu-se vaidoso e belo.

O Senhor bondoso começou a compor para o Senhor justo, que por sua vez curiosamente convida a Senhora alegre para casar.

O Senhor vaidoso sente-se bom e fez um verso lindo.

E o Compositor, cheio de alegria, fez uma ópera para a Menina curiosa e foram viajar.

Ficaram todos muito mais inteligentes,ocupados, felizes e com imensa vontade de continuarem a trocar pensamentos e ideias entre si e a escreverem nos umbigos uns dos outros.

Manuela B(loguista)

Filomena disse...

Manuela,

Sem palavras mas a pedir bis.

Desce o pano

Beijos

Filomena

manuela baptista disse...

...com todas as palavras do mundo, em vez de apagarmos as luzes durante uma hora, vamos acendê-las durante uma vida...

Um beijinho para a Filomena e para todos os que andam por aí.

Manuela Baptista

jaime latino ferreira disse...

POR AÍ


Por aí andavam bichanando blogues e mais blogues, Marias e reis We leoninos, Filomenas que pediam bis, personagens trocados em seus papéis, mesclados uns dos outros e a blogolândia ganhava cor, relevo e profundidade.

Os umbigos saltavam de contentes e interrogavam-se se com tanta inteligência, felicidade e ocupação ainda sobraria tempo para contemplar, adorar ou ouvir, tão só o silêncio.

Haveria um ponto de não retorno, de esgotamento do saber ou do esvaziar da fé tal como no tempo em que se pensava ser a Terra plana se sugeria que para lá dos seus limites se seguiria o caos e o abismo!?

Que haveria necessidade de prosseguir numa esfarrapada mentira acente num omniciente não, sem o qual a dissolução encontraria campo fértil!?

Ou que, na obstinação de não dar confiança, de ter uma voz off não necessariamente compatível com outra on e desmontado o alibi da desconfiança em que julgavam alicerçar-se todos os cânones estes se desmoronariam e com eles, implícita, a autoridade!?

Um dos umbigos então, mais bloguista do que os outros, intrépido, resolveu então por-se a escavar, ousado, o silêncio.

Tanto o escavou e durante tanto mais tempo que pressentindo a apreensão em todos os outros que o haviam ficado a aguardar e depois de muito mais escavar, lhes veio, por fim, comunicar:

Não tenhais medo que à medida que o vou escavando, ao silêncio, oiço sempre uma voz que me diz que para o ir sempre reencontrando suplantando-a, só me resta continuar sempre a cavar porque quanto mais escavo mais ela continua a falar e quanto mais fala mais cavo e volta a falar e escavo, e fala, escavo, fala ...!

Os umbigos bloguistas então, pegaram em tudo o que era ferramenta, das manuais às electrónicas e informáticas e esburacaram tanto e tanto que abriram um imenso buraco no fundo sem fundo do qual as vozes floriam e cantavam cada vez mais potenciando o espaço e o tempo na dimensão da sempre inesgotável Música ...

...e como não há música sem silêncio ...!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 28 de Março de 2009

Ana Cristina disse...

Olá Jaime e Manuela

Esqueci-me de apagar as luzes (para salvar o mundo), esqueci-me que a hora mudava à 1h da manhã e esqueci-me que hoje devia ter acordado cedo para ir ao supermercado.

Esquecimentos inocentes direi eu,claro, já que me lembrei que precisava de recuperar sono atrasado e por isso dormi até ao meio dia, que precisava de tratar de mim e por isso fui ao cabeleireiro, arranjei as unhas e os pés, cheguei a casa para almoçar ás 15h e só mudei a hora agora quando liguei o portátil e essa realidade virtual cada vez mais dominadora e inteligente, me mostrou que eu estava atrasada no tempo.

Enfim, um sábado em transição para um domingo deveras estranho talvez por obra dessa invenção humana que é o tempo, o qual afinal podemos alterar a nosso belo prazer.

Amanhã podíamos decidir, por decreto lei aprovado por maioria absoluta mais um na prestigiada assembleia dos deputados da nação(ufa!), que estamos no dia 29 de Março de 2020.
E pronto,a vida continuava normalmente como se nada tivesse acontecido, ou acham que não ;)

O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem
O tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo o tempo tem!

Ah,é verdade eu vinha aqui dizer que acho que em breve teremos um novo blog na blogosfera ... "Histórias (maravilhosas) da Manuela" ... até porque as estatísticas do nº. de blogs estão a aumentar exponencialmente e cá para mim esta deve ser uma reacção tardia ao tão badalado choque tecnológico de à uns anos atrás...

Acho que quando fôr grande também quero ter um blog.
Já tem nome - "Os amigos d'Alex"- e já registei a patente no serviço virtual de registos da blogosfera.

Isto para evitar que no "país dos blogs" não vá um esperto saloio à má fila roubar-me a ideia do nome.

Seria uma traição, porque sou eu que tenho um cão chamado Alex e que nunca me esqueci de uma série fantástica com esse mesmo nome numa altura em que ninguém sonhava com blogs ou redes socias.

E como eu não sou boa pessoa, como o Jaime e a Filomena, não perdoaria mesmo essa traição em forma de plágio!

Ah, pois é, mesmo que tudo isso se passasse alguras numas conexões estranhas de bites e bytes, em dimensões espaço-temporais não localizáveis e num "país de blogs", aqui para a "je", traição não rima com perdão!

Lembrei-me agora que também queria dizer à Manuela que a história do "país dos blogs" me fez lembrar a construção da Torre de Babel, rsrrsrsrsrsrsrsrsrrsr!!!!!!!

Definitivamente,este comentário está demasiado estranho.

Também, o que é que eu estou aqui a fazer acordada ás 03.06 da manhã!? É o que dá acordar ao meio dia e mandarem-me mudar a hora...sem que para tal tenha sido aprovado qualquer decreto lei por maioria absoluta mais um na prestigiada assembleia de deputados da nação (sem ufa!!).

Isto não se faz a uma pessoa.
Será que é por eu não ter um blog?

Não tenho, mas leio alguns , por isso nada de discriminações.

E além disso não tarda nada vou ter um: "Os amigos d'Alex".

Bora lá dormir,que já me roubaram 1h de sono.
Se apanho o ladrão,será mais uma que não rima com perdão!

1 abraço entre o ensonado e a alucinação da amiga

Ana Cristina

jaime latino ferreira disse...

E DEU-LHE A CORDA TODA


Quando eu esperava que esta caixinha mágica de reflexões, finalmente, adormecesse na paz dos anjos eis que uma espevitadota qualquer, com os fusos trocados, desata a desbobinar a tinta de umas mãos e pés manicurisados, já as luzes se tinham apagado todas, julgando-se, o Mundo, finalmente a salvo!

Tocou a reunir os deputados da nação sem ufa nem coisa nenhuma e peremptória convocou o ano da graça de 2020;

Declarou-se amiga da canzoada e invocou o Alex, não o outro dos amigos do filme que se aprestam agora para lhe mover um processo mas antes o seu pachorrento cãozinho que ao que consta até é grande e no meio dos latidos putestativos de quem, afinal, só queria dormir, às três horas e seis minutos da madrugada, decretou:

Faça-se luz que vou fundar um blogue!

Os bloguistas, indiferentes como é seu apanágio, voltaram-se para o outro lado e continuaram, pachorrentos a ressonar.

Ouviram, enfático e ameaçador o vou fundar um blogue ( que aqui não pode ser colocado nem em itálico nem em sublinhado mas a que se podem sempre, para reforçar a intenção, acrescentar dois pontos de exclamação ) !!

Ah vais ( !? ), comentou então e em sonho, um bloguista mais recalcitrante que do seu sono ressonava com afinco.

Vou sim e depois, declaro também que amanhã é o ano de 2020!!!

Perdidos no espaço/tempo, no dia seguinte, os bloguistas, quando acordaram deram-se conta do que, pela calada da noite, uma insurrecta tinha provocado, qual golpe de estado demolidor:

Os deputados da nação, de armas e bagagens haviam zarpado para outras latitudes;

Os relógios, entontecidos, tinham deixado de funcionar;

As manicuras, pedicuras, cabeleireiros e afins, dando-se conta do que tinham desencadeado, fecharam para balanço;

O Alex que sempre olhara a sua dona com alguma desconfiança contemplativa e condescendente, não queria sair debaixo da cama onde se refugiara incógnito;

E os bloguistas, ensandecidos, assestaram baterias prontas a disparar;

E, finalmente, o tempo, perguntando ao tempo quanto tempo tinha, respondia a si próprio, gripado e repetitivo, vai-te mas é lixar (!) ou estás a mangar comigo!???

A Ana Cristina, essa, depois de tanta azáfama madrugada fora, caiu num sono profundo sem se dar conta de todo o caos que instalara.

Hoje quando acordar, lá para as quinze horas e seis minutos, dar-se-á conta de que se encontra cercada no seu reduto por todos os amigos, inimigos e mais o Alex e bradará aos céus:

Traição!!!

( Não sei se lhe perdoe ...!? )


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 29 de Março de 2009

P. Nuno disse...

Ao ler o seu blog, de repente senti vontade de confessar mea culpa. Quero pedir-lhe desculpa por ter removido os seus comentários ao apagar as mensagens que tinha publicado. Nem me ocorreu que ao apagar as mensagens, apagaria os comentários. Acontece, porém, que, para respeitar os devidos e supostos direitos de autor e devolver à precedência os respectivos textos, e assim calar algumas vozes histéricas e juízos precipitados, decidi apagar as tais mensagens. Não tenho paciência para aquele tipo de coisas. Peço desculpa se, de alguma forma, e sem intenção alguma da miha parte, foi causador de alguma tirania e se, porventura, desvalorizei os textos comentados. Sei que posso contar com a sua compreensão. Bem-haja!

Ana Cristina disse...

Meu querido Jaime

Realmente essa sua amiga espevitada ao reler hoje o comentário que aqui deixou também hoje(ai a confusão),é um pouco louca quando 2 vezes por ano(nos outros dias até que é bastante normalzinha)lá o meridiano decide reduzir ou aumentar a hora.

Hoje,já mais lúcida e a retomar progressivamente o meu estado normal,acordei ao som de foguetes, bombos, bandas e desfiles de carros pretos com vidros fumados.

Lá em baixo no cais do rio Douro entre as margens de Gaia e Porto comemorava-se, com a presença de altos representantes da Nação, o 200º.centenário do desastre da Ponte das Barcas durante as invasões francesas.

A História em geral apaixona-me e como tal o meu estado de espírito amoleceu, deambulou e agradeceu o facto de o sol ainda estar alto quando daqui a pouco sair para o passeio de fim de dia com o Alex.

Jaime,até que foi fixe o furacão da madrugada,não acha?

A assertividade é uma seca.
Brindemos à loucura!

1 beijinho da
Ana Cristina

Manuela,venham mais histórias de encantar;)

Anónimo disse...

A pedido de Jaime Ferreira, aviso todos os Bloggeres seguidores do seu blogg, que ele está sem internet à dois dias!!!!

Por essa razão não tem "aparecido"!

Um abraço da sobrinha

Ana Cristina disse...

Aos amigos do Jaime e seguidores deste blog

O Jaime está de rastos.
O Jaime está sem acesso à net à 2(dois) dias.
O Jaime está desolado.
O Jaime está destroçado.
O Jaime está numa pilha de nervos.
O Jaime vai processar a Zon/TvCabo.

E tudo isto porquê?
Porque está sem net à dois(2) dias.
Mas essencialmente:

Por causa de todos os que aqui vêem ter com ele e não o encontram.

Por causa de todos aqueles em cujos blogs ele marca presença assídua e os deixou ao "abandono".

Porque sente que está a defraudar, a desrespeitar e a trair a nossa solidariedade bloguista em geral e a nossa amizade em particular.

A sobrinha do Jaime já aqui colocou um post a dar a notícia.

Mas quando hoje no meu tlm vi uma chamada, que não pude atender, do Jaime e lhe mandei uma msg a dizer que já sabia que ele estava sem net,o nosso querido amigo não tardou em me devolver a chamada.

E a voz de desespero com que ele me disse :
" Ana Cristina,estou sem conseguir aceder à net à dois dias.
O que é que as pessoas vão pensar de mim ....Eu estou aqui sem poder fazer nada.
Já chamei os homens da TvCabo...!"

No meio de palavras carinhosas e calmantes (não sei se consegui devo dizer-vos),ri-me com o meu amigo Jaime que já não aguenta mais este afastamento imposto e cuja resolução, rápida , não está ao seu alcance.

Prometi-lhe ao telemóvel que viria aqui explicar o que está a acontecer e que a todos informava que o Jaime pede imensas desculpas e só anseia por voltar ao nosso convívio.

O Jaime é um cavalheiro.
O Jaime é um Senhor.
O Jaime cultiva e pratica o respeito e a educação.
O Jaime é único.

O Jaime está sem acesso à net à dois dias.
Vamos todos processar a ZonTvCabo!
O Jaime não merece que o tratem assim ;)

Força,Jaime,aguente-se.
Nós cá o esperamos SEMPRE.

Manuela,vá escrevendo umas histórias no seu alpendre.
Meta a gata no jardim.
Proteja os quadros , as porcelanos,os discos e os cd's.
E sorria!

Beijinhos para os dois da
Ana Cristina

(Filomena, Branca, bora lá encher a caixa de comentários com manifestações de apoio ao Jaime):)

jaime latino ferreira disse...

FINALMENTE


Estou, de novo, ligado ao mundo e ainda que o meu mundo fossem apenas aqueles que aqui nos deixam comentários!

Uma pessoa é um mundo duas amplificam-no em progressão geométrica, três ... e por aí fora!!

Antes de mais, os meus agradecimentos à Ana Cristina e à minha querida sobrinha por terem tido a amabilidade e a solidariedade de participarem a minha impossibilidade de estar convosco.

Quando alimento um ritmo, crio expectativas, não deixo como o devo (!), de interagir Convosco não Vos deixando e sempre de responder, ver-me, subitamente, sem a possibilidade de o fazer deixa-me varado!!!

Felizmente, o problema resolveu-se e estou, de novo, sintonizado.

Terei, agora, que preparar o que se segue, concentrar-me de novo e prosseguir.

Não posso deixar de ter umas palavras com o meu querido Padre Nuno.

Aqui vão:

Nesta minha página escrevo sobre censura e auto-censura e o que me aflige mais, pode crer, foi o Meu Amigo se ter desfeito de textos, primeiras páginas Suas que, para o bem e para o mal, integravam o Seu percurso e um percurso não se apaga.

Qual confessionário lhe digo que se alguma coisa teria, o Meu Amigo, de fazer, era pedir desculpas se as houvesse que pedir e quem não desculpa, ora aí tem (!), quem não sabe ter compaixão, essa tal igrejazinha mesquinha, clubista e cega é que não é credor da Sua confiança, generosidade e bom nome!

Sabe e bem que pode contar comigo o que de outros não o poderei dizer da mesma maneira.

E tudo isto, veja lá, porque entendi que se comentava um texto que o Meu Amigo editou nomeando a fonte então eu, ao meu comentário, o devia também, por dever ético, enviá-lo à procedência ...

Eu é que Lhe criei um embaraço que afinal foi uma lição e só Lhe peço, modestamente, desculpas pelos transtornos que eventualmente Lhe causei!

A todos o meu bem hajam, cá estou de novo!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 30 de Março de 2009

Filomena disse...

E andava o Jaime aflitinho a rezar à Santa Padroeira da net( tem que haver uma dê lá por onde der) e eu desesperada a fazer malas e a pesá-las e entalada nas reuniões de avaliação e sem saber das suas aflições!!!!

Já passou, nem se pensa mais nisso!

Beijos Grandes e Muitos

Filomena

manuela baptista disse...

Slumdog Lisbon

Explicamos, pela 5ª vez, (ou será 20ª?)que não temos Inernet!

"Sim a TV funciona! Ah! Quer o número de cliente? Não te...A morada? Rua...
Como? Não é este o número?"

E por aí fora repetidamente, a mesma lenga-lenga explicada a vários deprimentes e deprimidos jovens, que algures num "call center" recebem por mês 500 €.

E no final de cada chamada, depois de explicado o problema até à exaustão e sem que o mesmo esteja resolvido, o jovem pergunta com a maior cara de pau: "E em que mais posso ser útil?"

Chegados a este ponto, o único argumento válido é mandá-los a um sítio onde não recebam nem 1 €.

Ressalvo no entanto o enorme prazer que é falar ao telemóvel com um último jovem, este aqui Indiano, Paquistanês ou Chinês e que nos dá ordens num Português esquisito, ordens às quais o PC não responde.

Pergunta:" E o senhor está a falar comigo da Índia?"
Resposta: " Não, estou em Lisboa!"

Ah, um Slumdog Lisbon, que não teve a sorte de ficar bilionário!

Mas estes dois dias foram óptimos! Passeámos e até fomos com a gata ao Veterinário! E o Jaime saudoso dos seus bloguistas desatou a falar ao telefone, conforme testemunho apaixonante da Ana Cristina e da Susana.

A sua Tutora, a Filomena, aflita a fazer as malas, teve mais sorte, porque não sabíamos o número. Estava algures, guardado num mail, que como se vê é o melhor sítio para guardar seja o que for.

Agradeço a todos a vossa paciência, hoje não há histórias para ninguém, porque o Jaime quer vir...Adivinham onde?

Manuela Baptista

P. Nuno disse...

O Jaime não causou embaraço algum. Os outros tipos até foram causa de boa gargalhada com visão tão reduzida. Mas assim também já fico mais tranquilo em relaçãoa si.

Anónimo disse...

"Acontece, porém, que, para respeitar os devidos e supostos direitos de autor e devolver à precedência os respectivos textos, e assim calar algumas vozes histéricas e juízos precipitados, decidi apagar as tais mensagens. Não tenho paciência para aquele tipo de coisas."


"O Jaime não causou embaraço algum. Os outros tipos até foram causa de boa gargalhada com visão tão reduzida. Mas assim também já fico mais tranquilo em relação a si."

Estes extractos mostram que tem ainda que crescer, Padre Nuno... É a dimensão humana dos padres que me afasta do sacramento da Confissão! Tenho MEDO!

jaime latino ferreira disse...

ANÓNIMO


Meu Caro (a !?),

Dimensão humana ...

Queria o quê, que os padres não tivessem dimensão humana!?

Tem medo!?

Olhe que eu não tenho medo e ai se os padres não a tivessem, à dimensão humana como, aliás, o escrevia o Confessionário de um Padre!

Já não sei, porém, o que dizer da dimensão de quem comentando, o que é um Seu direito, não o nego (!), não se identifica nem sequer com um pseudónimo!

Que dimensão atribuir-Lhe?

Feminina ou masculina!?

Anónima até que ponto!?

E com que estatura!?

O Padre Nuno, esse dá a cara e assina por seu punho como eu o faço e sem tibiezas, em nome próprio e tudo, e nem foge, calcule, a dar a mão à palmatória caso disso necessário fôr!

E é Amigo do Seu Amigo!!

Como, diga-me (!), posso eu ser seu amigo/a se não se identifica minimamente, insinuando-se subreptício/a!?

Já agora, que catolicismo será esse em que a confissão se faça em linha directa ou tem medo, pura e simplesmente, da dimensão das suas faltas!?

Sabe, ter estatura implica com a frontalidade que é o que não vejo no Seu comentário e logo porque é anónimo!

Tenha menos medo dos padres e da vida e mais respeito por Si próprio/a assumindo-se, então, como Pessoa!!

E uma Pessoa, pode crer, tem um nome, nome e coragem!!!

Todos nós estamos sempre a crescer mas a Si, falta-Lhe ainda um bom bocado para ombrear o Padre Nuno.


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 31 de Março de 2009

Anónimo disse...

Esteja descansado que um dia falarei com o Pe Nuno pessoalmente e olhos nos olhos. Está perto. E da reflexão se faz luz

jaime latino ferreira disse...

ANÓNIMO/A


Não sei se fique tranquilo porque aquilo que lhe escrevi, entrou-lhe por um olho e saíu-lhe logo pelo outro ...

... ou não permanecesse anónimo/a!

Tenha mas é um pouco de coragem, já que pedir-lhe muita parece ser bem mais difícil!

E fique sabendo que não lhe voltarei a responder enquanto não aprender a dar a cara!

Eis outro lado da metáfora do autoritarismo.


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 31 de Março de 2009

P. Nuno disse...

Mensagens de anonimos para mim valem tanto como nada... E escusam de vir com lições de moral, porque a Igreja dispensa fariseus com sentenças moralistas e depois não são capazes de dar a cara. Na verdade, não perco tempo com anónimos!!! E fique desacansado, nunca me apresentei como modelo a ninguém e por isso não fiquem à espera da minha conversão para irem confessar-se. Esta desculpa é barata de mais e só deve dar para gente que se refugia e anula a um mero e insignificante anonimato, digno de compaixão.

jaime latino ferreira disse...

PADRE NUNO


Meu Querido Amigo,

Saltemos, então e sem mentiras, para o Depois, a última página deste meu blogue!

Seu e sempre


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 1 de Abril de 2009