sexta-feira, 20 de março de 2009

UMA VISÃO NADA ESTÁTICA


Uma visão estática é ver sem ver que tudo flui em movimento perpétuo e que, por isso, espiralístico, o que é já não era nem será porque em permanente mutação no seu devir.
E que são tantas as variáveis desse permanente fluir que, dificilmente, se pode prever do que foi para o que será ...
O momento presente é, ele próprio e sempre, a prova disso:
Das três coordenadas temporais, passado, futuro e presente, esta última, de uma acutilância esmagadora por ser aquela que nos faz ser, é mesmo, de todas, a mais evasiva, logo porque no momento em que é, deixa de ser.
O presente não se consegue fixar, agarrar estático, imóvel, imutável porque errático ele é.
Das três é mesmo a mais abstracta e ilusória de todas as coordenadas.
Se o sentimos plenamente, esmagadoramente atrever-me-ía a dizer, o presente, em simultâneo, escapa-nos sem possibilidade de apelo.
Passado e futuro, embora o primeiro já tenha sido e não se possa mais reconstituir em absoluto por nele se escaparem sempre variáveis que se perderam e omitiram e o segundo que ainda não se realizou, paradoxalmente, têm uma fiabilidade maior e logo também quando e se projectadas no momento que passa, no presente.
Intersecção de ambos, passado e futuro, o presente será tanto mais fiável quanto mais se olhar para o que foi, tão longe quanto o possível e para o que será, tão panorâmica e ambiciosamente também e sem fazer tábua rasa de nada nem do passado.
Mas o dinamismo da realidade escapa-nos sempre, é tal a sua exuberância (!), que nem a criatividade a consegue acompanhar.
Inebriante, primaveril, plena de dinamismo, primeva, o mesmo se pode dizer da vida singular que para ser santa não pode deixar de pecar e ter pecado, no ano paulino Paulo o testemunha (!), não pode deixar de ser corrosiva porque o é sempre (!), pela sua introdução e por definição a vida corroe, interage com o espaço/tempo, sendo que não é preciso ser-se santo para se ser Homem nem, por maioria de razão, um Homem Bom!
-
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Março de 2009

1 comentário:

jaime latino ferreira disse...

DINÂMICA


A dinâmica da realidade é de tal ordem que por falta de visão Política de longo prazo, afogadas, as sociedades, no curto prazo de uma visão autista e sem capacidade de prospecção, sem dimensão Política e global digna desse nome (!), se explica à saciedade a Crise em que se patina há longos anos e em que, inexoravelmente nos afundamos!

E mesmo na Crise, crise de identidade e de valores, de Paradigma e de confiança, portanto, em que as suas múltiplas variáveis que extravasam em muito a dimensão económica e financeira e que em feixe se entrecruzam, persiste-se em visões tacanhas e de oportunidade circunstancial como se, passada a borrasca ainda se pensasse ser possível voltar à praxis falida do que era de antes e que é inexoravelmente passado!!

Foi-se o Inverno e a Primavera clama, grita por um novo ciclo onde a prosperidade acente num novo tipo de sustentabilidade com prospectiva, duradoura e fecunda!!!

Chega de paleativos ...!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 21 de Março de 2009