sexta-feira, 3 de julho de 2009

VIGÍLIA

Mantenho-me em guarda, vigilante.
Dizia-me, outro dia, uma amiga minha que experimentado um caminho e observados, por hipótese, os seus parcos resultados, ela arrepiaria caminho e procuraria outros.
Mas, não vale um caminho por si próprio, na matéria de reflexão que traz à colação e independentemente dos resultados e do impacto que, a breve trecho, dele se poderiam esperar!?
Chama-se a minha Obra, que transcorre numa variedade de suportes que vai do manuscrito até aqui chegar, Ensaio Sobre A Relatividade Em Linguagem Comum e a que é que ela, em poucas palavras, se pode resumir?
À forma como o indivíduo pode reagir pelo registo que se perpetua e sempre remetido a destinatários concretos e plurais, na diversidade múltipla de situações com que se vai confrontando e que o interpelam.
De há vinte anos a esta parte e sempre dentro dos limites da legítima ambição!
Tal como neste meu blogue me vou revelando assim, na complementaridade dos outros blogues com que interajo ou nas reacções que os comentários que aqui me vão sendo deixados me sugerem.
Da Ética à Estética, à Filosofia, à Política, à Ciência, à Ecologia, da Arte à Religião e aos assuntos comuns numa pluralidade inesgotável de géneros e formas literárias que da Relatividade tem tudo num corpo de conhecimentos complexo e contraditório mas uno, que não mais se compadece do é assim porque é assim e não há mais discussão!
E na revelação que, crente como me considero somada à própria Relatividade e não ao relativismo, me interpela e desafia à redescoberta de um Mundo que de tão magnífico, por tão amachucado estar, só pode é ser urgentemente acarinhado.
Acarinhado por todos e independentemente das suas mais íntimas convicções!
Como poderia eu arrepiar caminho ou desarmar na vigília em que me pus, em que permaneço e em que só poderei persistir...!?
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 3 de Julho de 2009

7 comentários:

Filomena disse...

Jaime, Boa Tarde!

De olhos bem abertos e vigilante, para poder escrever, dissertar e conversar sobre qualquer tema. São assim os Homens Sábios.

É assim o Meu Amigo!


Continue com a Sua Obra. Sempre.

Beijo


Filomena

manuela baptista disse...

Os caminhos e os caminhantes têm dado azo a muita conversa inspirada no ideal escutista, mais ou menos cristão a saber:

-"somos nós que fazemos o caminho"
-"o caminho faz-se caminhando"
-"não existem caminhos, mas caminhantes"
-"todos os caminhos vão dar a Roma"
-"os escolhos do caminho"

até

"Grande gaita, que me enganei no caminho!"

Claro que esta última é da minha timburtiana lavra, que há alguns dias não vinha à superfície...

Sai mas é desta vigília, que o caminho certo é aquele por onde vamos, porque mesmo que estejamos enganados, passamos a conhecer um caminho novo!

Agora proponho-te uma páginazinha mais foleira...

Interrupção para brincar com a Matilde!

MB

manuela baptista disse...

A minha mensagem anterior ficou sem sentido nenhum porque cruzei-me (no meu caminho) com a Matilde, a menina pequenina que mora na casinha do jardim, que nos veio fazer uma visita.

Assim e perante a sábia intervenção da Filomena, qualquer foleirada perdeu o caminho...

Manuela Baptista

Ana Cristina disse...

Caminho?
Que caminho?
Onde está o caminho?
Mas alguém precisa de caminho?

Oh,Jaime,é tão bom andar entre trilhos.

Continue sem hesitações, mesmo que algum dia acorde e vocifere como a Manuela : mas que raio estou eu a fazer neste caminho quando o que eu queria era ter seguido o trilho que encontrei ao fundo à esquerda?

No problem, é só voltar a virar no próximo trilho que estará à sua espera,ou não ....

1 abraço muito amigo da
Ana Cristina

jaime latino ferreira disse...

FILOMENA, MANUELA E ANA CRISTINA


Se não existissem teriam de ser inventadas e nem que mais não seja para que por trancos e barrancos, trilhos para a esquerda ou para a direita, porque não (!?), me viessem tentar desviar do meu caminho ...

Grande gaita que tropecei no ancinho!

A minha mulher é muito distraída:

Ainda não percebeu, inclino-me mais a pensar que finge que não percebe (!) que não fora o caminho que, aliás, goza de toda a diversidade possível, os nossos caminhos não se teriam unido ...

Timburtiana calvínica!

( O nosso inquilino pintor acha que a escrita da Manuela que muito aprecia lhe faz lembrar Italo Calvino )

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 3 de Junho de 2009

manuela baptista disse...

...há trilhos sagrados!

MB

jaime latino ferreira disse...

MANUELA


Minha Querida,

Se os há ...!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 4 de Junho de 2009