quinta-feira, 7 de outubro de 2010

FIBRA

Fotografia de Jaime Latino Ferreira, Sobreposições, Outubro de 2010
-
Quantas vezes sou do meu olhar
o simples filamento duma trova
musculação tensa que não pára de vibrar
e que se é peça é o todo desta obra
-
Sobreposição de outra a mais que se desdobra
camada após camada a querer mostrar
exílio de mim próprio que te louva
divide num cem número sem parar
-
Quantas vezes sou não sou o que quero dar
tudo o que eu vejo e se calhar
também o que não vejo e que me mova
-
E tudo o que em ti me inspira a nova
vontade redobrada que me sobra
murmúrio deste eterno sussurrar
-
inspirado ali
-
Sussuros
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 7 de Outubro de 2010

20 comentários:

BRANCAMAR disse...

Tão bonito Jaime!
Inspiração em filamentos de ternura.
Já me tinha retirado, mas os olhitos voltaram a abrir-se para este belo momento, aqui deste lado, depois de o ter apreciado ali nas ondas do mar...

Beijinhos
Branca

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Mais ali nas Suas ondas, eu também Lhe repliquei o que Lhe acabei de escrever no Seu blogue ...


Quando em Ti chove
há a vontade que move


Obrigado e um beijinho terno


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 8 de Outubro de 2010

Maria João disse...

Jaime

Meu amigo

Do filamento, inspiração para este doce poema, nada mais se consegue dizer para além do belo que se encontra, num e noutro olhar, ou nos dois em simetria.
Contempla-se, absorve-se e simplesmente se fica assim, com as palavras a ecoar cá dentro e a admiração a crescer.


Um beijinho e um abraço, os dois, para os dois, em sintonia.

Jaime Latino Ferreira disse...

MARIA JOÃO


Minha Querida Amiga,

Vou-Lhe confidenciar uma coisa:

Esta página, a saber, fotografia e anexo musical, já estava formatada e programada com um outro texto que não me enchia as medidas ...

É raríssimo tal me acontecer!

Ainda mais raro de acontecer foi aquilo que fiz.

Entretanto li o texto poético da Manela que me inspirou este soneto que, em primeira mão editei no seu blogue, na caixa de comentários.

Raríssimo, dizia, foi voltar aqui, apagar o que escrevera e colar este soneto que prontamente editei.

O que está feito, feito está e já dá para dizer que valeu a pena!

Obrigado e um grande beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 8 de Outubro de 2010

Por toda minha Vida disse...

Bom dia Jaime. (09:14)

Ternura nunca é demais e perceba que mesmo os olhos já cansados se rendem ao teu soneto, poema, poesia...
Outro detalhe é esta dança das horas onde fusos não se encontraram jamais, na verdade o que vale é a vontade de falar com a quem chamamos de amigos sem sequer nunca tê-los vistos. Esta é uma magia que mesmo a fria internet das suposições e algumas máscaras que escondem as pessoas não podem riscar quando a intenção é verdadeira.
Ótimo fim de semana para você e Manu.
(me esclareça, como seria você em Portugal, os pronomes pessoais como é?)

Jaime Latino Ferreira disse...

RENATA


Querida Amiga,

É bonito o Seu novo avatar embora mais bonita seja a Sua cara ...!

Máscaras ...

Todos as temos na virtualidade da internet como na vida real e por mais que as façamos por despir como eu próprio o constato em cada novo texto que escrevo que se pretendende desocultar não deixa, também, de ocultar.

Sempre novos filtros se interpõem, fáticos, pela palavra e entre mim e os meus interlocutores!

Pronomes pessoais:

Pese embora tratá-La assim como A trato, como por sistema gosto de comunicar com os meus comentadores e tanto mais quanto os não conheça pessoalmente, a minha Amiga pode tratar-me como melhor o entender tal como aqui, entre nós, nos tratamos por tu, você, implícito ou não e por aí fora.

Renata,

Trate-me como melhor o entender e como se sinta mais à vontade!

Obrigado, um beijinho e para Si também um bom fim de semana


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 8 de Outubro de 2010

manuela baptista disse...

e se numa trova
pudesse eu voar

de uma fibra de aço
faria o traço
eterno
terno de um olhar

.

dos sonetos inspirados no meu palavrear

nascem os sussuros belos que tu desenhas tão bem!

e a Bartoli, bem entendido...

manuela baptista disse...

não assinei...

há alguma dúvida de que eu sou EU?

manuela

Por toda minha Vida disse...

Amigo, Jaime.

Pedi a informação dos pronomes pois gosto de aprender sempre e claro sempre lhe tratarei por você, ano que vêm retorno ao francês, decidi aprimorar e expandir ou pouco ou quase nada que sei.
Por tais motivos é que sempre venho aqui e ao de Manu afinal um completa outro, sendo impossivel não os ler e aprender.
Você é o que chamo de um blog intelectual, racional, quanto a Manu o blog é doce, meigo, contudo, me repetindo, um completa o outro.

Beijo ao casal que a cada dia mais me encanta, pela inteligência e delicadeza.

Renata a grata.

Por toda minha Vida disse...

Ia me esquecendo.

Meu avatar (lembrei do filme que não gostei), é um Uirapuru e escrevi uma história baseada em sua lenda. Esta ave, é a única que não repete o canto e habita a floresta amazônica, onde só aparece uma vez por ano para acasalar e canta por quinze dias depois magicamente desaparece.

manuela baptista disse...

Uirapuru Rê!

eu só espero que não desapareça daqui a 15 dias...

beijos

manu

Por toda minha Vida disse...

Adorei Manu.

Mas não com vocês não teria coragem de desaparecer. rsrsrsrsrsrsrs...
As vezes dá uma vontade de ser este pássaro, rsrsrsrs.

Beijo Manu

Jaime Latino Ferreira disse...

RENATA E MANUELA


E quando, por fim, aqui volto, apanho-Vos em amena cavaqueira!

Uma que escreve dos sussurros dos outros como se ela própria não desse o ponta-pé de saída;

A outra que, a propósito de complementaridade se põe, contagiante, a chilrear que nem um Uiraparu;

Ambas que uirupuaram para cá e para lá em chilreada doce ou intelectual que não quero interromper jamais;

E eu, receoso de quebrar o encantamento retiro-me para o Pinhal de Leiria, floresta pequena, bem sei, sobretudo se comparada com a Amazónia e calo-me de pronto que nem uma velha coruja afónica, ouvindo-Vos tranquilamente a passar.

Beijinhos repartidos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 8 de Outubro de 2010

Jaime Latino Ferreira disse...

FILAMENTO I


Marca o meu contador as 8 940 visitas.

Mais 125 consultas nas últimas vinte e quatro horas!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 8 de Outubro de 2010

Gabriela Simões disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriela Simões disse...

Jaime querido!

Sorry! Não sei por qual motivo eu postei um comentário e saiu como sendo a Gaby... :))

Então, eliminei o comentário e estou postando novamente,ok?

E,eu estava dizendo que faço minhas as palavras da Maria João:

"Contempla-se, absorve-se e simplesmente se fica assim, com as palavras a ecoar cá dentro e a admiração a crescer."

Admiração mesmo.

E a Branca diz bem : Inspiração em filamentos de ternura.

Pois,

aos dois

Meu abraço terno

De saudade.


Ó Dulce!

Saudade de ti também

e do José,que hoje já está na casa nova


Eita!


Boa noite aos amigos queridos,


Linda Simões

Linda Simões disse...

Ai, ai!

Novamente com o nome da Gaby!

Ela usou o computador e deixou endereço de e mail aberto.

Sorry!

Boa noite,amigos.

Linda Simões

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA GABRIELA


Minha Querida,

Não pára de me surpreender com estas Suas involuntárias identidades que se vão dando a público ...!

Para Sua filha um grande beijinho e para Si outro, de outro e mais outro que não se elimina


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 9 de Outubro de 2010

Dulce AC disse...

"Quantas vezes sou não sou o que quero dar
tudo o que eu vejo e se calhar
também o que não vejo e que me mova"

Jaime lindo este Seu soneto..!

"Quantas vezes sou não sou o que quero dar"

Muitas vezes o somos certamente...porque é muito o que nos nortea

O que vivo em mim e não se vê

E isso é Sermos mais, para além do que já se vislumbra no que somos

E depois vem o Outro, aquele que nos embala para a vida
numa vontade multiplicada..

Queridos Amigos
Manuela e Jaime
Linda e José,
Maria João
...

numa vontade grande de Vos abraçar, recebam muitos beijinhos amigos..!!

dulce

Jaime Latino Ferreira disse...

DULCE AC


Minha Querida,

Já Lhe sentia a falta ...!

Só para Lhe dizer o que reputo não ser irrelevante:

Escreve-me, enfatizando o meu soneto, do Outro.

Há muito que aprendi que para sermos verdadeiramente efectivos com o público em geral, o que se escreve sobre o Outro se torna muito mais eficaz se não explicitarmos a Sua qualidade.

O que está oculto mas implícito torna-se, por esta via, muito mais acessível.

Por alguma razão se não deve invocar o Santo Nome em vão!

Um grande beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 9 de Outubro de 2010