quinta-feira, 3 de setembro de 2009

CORDA PARTIDA

Harpa
dedilhada na ermida
ouve-se na despedida
é um cantar doce
que trouxe
música
à sua guarida
-
Partiu-se a corda
não chora
não cora
nem vai-se embora
tocam as outras
por ela
numa imensa aguarela
-
Estalou a corda
qual ferida
lugar vazio
que convida
a guardá-la
como fio
da Música interrompida
-
( Na missa de corpo presente de Maria de Lourdes Martins que hoje teve lugar, ouviu-se, apropriadamente e com toda a dignidade, música, uma doce harpa à qual, subitamente, se partiu uma corda provocando um estampido surdo que não perturbou as exéquias )
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 3 de Setembro de 2009

4 comentários:

manuela baptista disse...

As homenagens mais bonitas são as mais simples, como as simples verdes folhas.

-E Deus dança -disse o Franciscano simples e feliz -e agrada-lhe as páginas de música, aquelas em que os homens se deliciam com doces cantos e não são obrigados a bocejar de tédio.

A corda partida foi apenas um intervalo de vida.

Muito Bonito!

Manuela Baptista

Jaime Latino Ferreira disse...

INTERVALO


É como dizes, a corda partida foi apenas um intervalo de vida quando, dominante, na capela se ouvia Greensleeves:

Greensleeves was all my joy
Greensleeves was my delight,
Greensleeves was my heart of gold, ( ... )

Parafraseando:

A Música é minha alegria
A Música é o meu prazer
A Música é o meu coração de oiro ( ... )

Intervalo cheio de Vida!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 4 de Setembro de 2009

Filomena disse...

Um beijinho aos dois.

O som da harpa melodioso, suave, doce.

Que linda música teve a vossa digna Professora.


Filomena

Jaime Latino Ferreira disse...

FILOMENA


Minha Querida,

Que linda música e que corda marota como se a dizer que mesmo se se parta, a música subsistirá!

Um beijinho e um bom fim de semana


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 4 de Setembro de 2009