sexta-feira, 4 de setembro de 2009

NAS MÃOS DA ESCRITA

Nas mãos da escrita se concentra o manual e o intelectual
o corpo e o espírito
-
O pensar e o fazer sobre o pensar
-
O trabalho intelectual e o manual
-
É um trabalho exaustivo que se aprofunda
sem ter um fim à vista
-
Às mãos do pensamento se reflecte o dedilhar constante
tentando
no seu rendilhado
acompanhá-lo
-
Sempre e mais e até ao limite
-
Numa corrida ininterrupta
enfrentando os obstáculos e descobrindo
tentando descobrir a maneira de os ultrapassar
-
Nas mãos da escrita ergue-se
em construção sempre inacabada
a glória do momento que passa na inconstância dos tempos
na sua fugacidade implacável
-
E esse permanente trabalho
árduo
exaustivo
é tudo o que de melhor sei fazer
-
Fazer e dar
-
Pode morrer o corpo
estas mãos de pensamento inacabado
que esse meu trabalho subsistirá
e eu lá estarei para dizer que sim
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 4 de Setembro de 2009

13 comentários:

manuela baptista disse...

Ora mudem aí o sentido do vento, porque hoje por aqui sopra bem forte e parece já um Outono prematuro.

Pergolesi merece palmas e assim como a escrita que acompanha a música. Ou é a música que acompanha a escrita?

Eu só gostava de saber como é que o Jaime consegue estar tão sério, após uma boa duma picanha e de duas caipirinhas!
Há coisas...

Manuela Baptista

manuela baptista disse...

"e assim como"?!

As caipirinhas não são uma via de sentido único.

Nini

a culpa é do Índio Tupi Guarani, que lhe envia saudades!

Beijinhos a todos (Alô?)

Manuela Baptista

Manuela Baptista

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA


Há telefones assim:

A gente anuncia-se com um alô e somos nós próprios a responder!

Isto para não falar do efeito da caipirinha na condução do eco que te fez assinar duas vezes!!

Alô, alô!?

J'écoute, respondia sempre o papagaio da Castafiore com o qual, quantas vezes, me identifico!!!

Já agora, neste caso é a música que acompanha a escrita, escolhi-a só depois de escrever este texto e, apenas no fim, o decidi sintonizar mais apropriadamente com ela, na passagem em que escrevo:

Pode morrer o corpo ( ... )

Como é que consigo estar tão sério depois do lauto jantar!?

É que, minha querida, esta página já estava, toda ela, preparada para ser editada muito antes do repasto!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Setembro de 2009

Ana Cristina disse...

Meus amigos

Cresceu-me água na boca ao imaginar essa picanha,acompanhada de feijão preto e caipirinhas com gelo bem picadinho.

Bem,a amizade do índio Tupi,quantas histórias contadas à mesa, em noites de viagens pela Amazónia,rios,cores e sons.

E a Diana a pintar com lápis de cera em folhas de papel que de brancas passavam a arco-iris!

Saudades,muitas saudades,mas também o sorriso de recordar momentos muito felizes e sinceros.

Quando voltarem levem o meu abraço ao índio Tupi.

Jaime,estratégia perfeita:escrever antes de um jantar regado com caipirinhas.

"E esta hem!"

Beijinhos.
(desta vez respondi ao Alô,rsrsrsr)
Nini

Jaime Latino Ferreira disse...

ANA CRISTINA


Minha Querida,

Melhor estratégia do que escrever e pesquisar ilustrações de avanço foi a Manuela subentender, dirigindo-se a Si, comidinha e outras coisas terminadas, igualmente em inha, chamar, concerteza, o Indio Tupi Guarani à liça, para que a Nini não resistisse a dar um ar da Sua graça!

Rsrsr (!) ... há, há, há!!!

Ou será que não resiste a penas de papagaio castafioriano!?

A picanha de alho, o feijão preto mais o arroz, a couve mineira, um tudo nada de picante fortíssimo e o misto dos três temperos, pickles, farofa e um outro em azeite a regar a couve e que não sei o nome, tudo temperado a maravilhosas caipirinhas é de gozar e chorar por mais!

Ai!!!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Setembro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

CAROS LEITORES


Esquecia-me de dizer:

Sem que tenha qualquer comissão na publicidade, Aguarela do Brasil chama-se o restaurante e fica em Paço de Arcos.


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Setembro de 2009

Filomena disse...

Jaime,

Ainda bem que ficou inspirado depois da picanha.
Eu adoro as caipirinhas e aconselho igualmente a caipirosca que em vez da cachaça leva vodka e que também nos faz rebolar os olhos de prazer.

O seu poema, só ele, soou a música.


Beijos aos três ( Ana Cristina incluída)


Filomena

Jaime Latino Ferreira disse...

FILOMENA


Minha Querida,

E eu a julgar que o meu poema tinha sabido a uma caipirosca!?

m,m,m!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 5 de Setembro de 2009

manuela baptista disse...

Aos Quatro*

Depois da picanha quem estava inspirada era eu, o Jaime já tinha feito o trabalho de casa!

Quanto ao recado do Índio, não foi armadilha nem rede para trazer aqui a Ana Cristina, não sou assim tão rebuscada, sou clara como a água, apenas sei que:

a Nini gosta da Aguarela, do seu dono, da picanha e das caipirinhas e quando lá vou lembro-me sempre dela!

Beijos

Manuela Baptista

*porque quem não conta consigo é burro

Linda Simões disse...

Nas mãos da escrita saem coisas e coisas!

...E não era pra falar da escrita?rsrs
...Estão falando de picanha e caipirinha e Aquarela brasileira...

rsrsrsrs

Acabo por não saber mais o que ia postar! rsrsrs


Gostei desse "duelo" de Manuela contigo!

Diferente!

rsrs

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Minha Amiga,

Ah pois, o que é que julga!?

Que somos para aqui uns pacóvios sem saber da deliciosa comida brasileira!?

Era, era para falar da escrita mas, o que é que quer, fogem-nos sempre os dedos para a lambuzice!

Eu bem tento mas não forço, o que está escrito, escrito está e depois, flexível como sou, se não os posso vencer, junto-me a eles!

Não sou de pau!!!

E minha mulher essa, está sempre a medir-me o pulso mas eu não dou parte fraca ...

Esqueceu-se do que queria dizer sobre a escrita!?

Então vá, concentre-se e deixe a picanha para trás.

A ver se pomos um pouco de ordem neste desencabrestanço todo!

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 10 de Setembro de 2009

Linda Simões disse...

Obrigada pelo elogio à comida brasileira!

Na verdade,queria mesmo falar da escrita,do manual e o intelectual,da concentração que o ato de escrever pede...Mas não consigo!rsrsrsrs

Só consigo dizer que gostei dessa peleja,que vcs são ótimos,que de suas mãos e de Manuela saem "Escrita" intelectual,versátil...


Beijo aos dois!

Jaime Latino Ferreira disse...

QUERIDA LINDA


À Escrita, desculpe-me, pode escrever sem aspas porque, como a Sua, ou é, ou não é e como diz, reflecte o intelectual embora tenha das mãos ou dos dedos, do manual, absoluta necessidade!

O elogio à comida brasileira é sentido e dado sem regateio nenhum ...

Quanto ao facto de encabeçar este meu comentário com um QUERIDA LINDA em maiúsculas, fique sabendo que o escrevo muito reconhecido não só pelo que nos escreve por aqui, como também por constatar ver a minha Amiga a folhear-nos para trás pelo que, devo concluir, não estar de todo desagradada!

Um beijinho partilhado com minha mulher


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 10 de Setembro de 2009