sábado, 19 de setembro de 2009

EU E TU MULHER

... para lá de todos os esoterismos ...
-
Eu e tu, mulher, somos muito mais parecidos do que, ainda hoje, se quer fazer crer!
Do que alguns mitos, serôdios estereótipos quantas vezes resultantes de leituras literais, fundamentalistas e superficiais, persistem em nos confundir, baralhar e paralisar ...
Como tu, mulher, intuo, tenho essa capacidade de racionalizar para lá daquilo que a estrita razão nos diz e por essa via interpretar para lá do que foi dito e mais, escrito, na plena posse da razoabilidade.
De saber ler nas entrelinhas do registado mas que a elas induz em racionalidade não amputada do sensível e que a ti como a mim nos faz ver muito mais longe!
Como tu sou X e tenho-te a ti como tu a mim, é de ti que, por enquanto (!?) todos nascemos e fazes de mim tua parte integrante.
Como tu e na criança que todos transportamos, somos como ela, como a criança, neutros no sentido do distanciamento e da vontade de equidistância, há mesmo línguas como o alemão em que a criança é do género neutro, e podemos derivar num sentido como no outro e dela temos, da criança ainda, a sensibilidade que a caracteriza e que é, fundamentalmente, feminina e frágil.
Como tu, trago ainda hoje o meu filho comigo tal como os meus pais, mãe e pai a mim me trouxeram e eu a eles, que quando partem, como aconteceu com meu pai que infelizmente já não habita entre nós, dele me dolorosamente, não apenas psíquica mas fisicamente me apartei.
Como tu choro como, aliás, a maioria dos homens hoje já se dispõe a admiti-lo, tão longe do estereótipo ainda presente e que não admitia que um homem chorasse ...!
Como tu, aprecio a beleza e seja ela feminina como masculina, não vindo daí nenhum mal ao mundo, muito antes pelo contrário.
Como tu e poderia ir ainda mais longe (!), não acho que quem quer que seja se afirme pela força bruta, física, afirmar-se por essa via, que não é afirmação antes imposição, é, aliás, cada vez mais universalmente condenável, a não ser numa prova desportiva que, essa também, se pauta por regras que a serem violadas devem ser liminarmente denunciadas e condenadas.
Como tu tenho muito menos medo do que muitos homens que, quantas vezes e pelo ridículo, ao contrário, patronizando-te o querem, ao medo, dar de ti ou de mim a subentender.
Como tu, posso ser na vida o que legitimamente o quiser vir a ser como se demonstra pela dignidade com que vais ocupando todo o espaço público.
Como tu, vivo impregnado de sensualidade de que não me quero nem apartar nem amputar.
E nem por isto tudo as identidades, tua e minha, se perdem ... subvertem, confundem muito menos!
Ter-me-ei esquecido de alguma coisa ...!?
Esqueci-me de dizer que este é um direito que me assiste, o de me afirmar como um todo e com o meu lado feminino aqui, bem junto a mim e em pé de igualdade!
Já plantei uma árvore;
Tenho um filho que amo e amo minha mulher;
E não paro de escrever o Meu Livro.
Como tu, sou tu e eu!
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 19 de Setembro de 2009
Afrodite

11 comentários:

Linda Simões disse...

..."Que ser um homem feminino
Não fere o meu lado masculino
Se Deus é menina e menino
Sou Masculino e Feminino...

Vou assim todo o tempo
Vivendo e aprendendo

E vem de lá!
O meu sentimento de ser
E vem de lá!
o meu sentimento de ser
Meu coração!
Mensageiro vem me dizer"...


Linda declaração.


Beijinhos

manuela baptista disse...

Quem sou eu
poeta trágico
lua encarnada
terra amada
semente
sómente
cada lado
o mesmo lado
o todo e a parte
encantada

Manuela Baptista

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Minha Amiga,

Obrigado!

E de quem vem a ser a citação do poema que a minha Amiga transcreve!?

Tenho a sensação de o conhecer mas falta-me situá-lo ...

Ajude-me que tenho pouco geito para fingir que sei sem saber!

Um beijinho


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Setembro de 2009

Jaime Latino Ferreira disse...

QUEM ÉS TU

( Manuela Baptista )


Quem és tu
és tu e eu
e eu não sou nada sem teu
olhar que do teu lado
é mesmo
o mesmo lado encantado
do teu recado
seifado

Eu e tu do mesmo lado
terra amada sem ter cardo


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Setembro de 2009

Linda Simões disse...

...Masculino e feminino -Baby Consuelo, Didi Gomes e Pepeu Gomes- (música).

Reitero,

LINDA DECLARAÇÃO.


Beijinhos

Jaime Latino Ferreira disse...

LINDA SIMÕES


Minha Amiga,

Duplo obrigado, pela informação que adicionou e pelo sublinhar do elogio.

Afianço-Lhe que é uma declaração profundamente sentida e solidária, identitária e sem qualquer paternalismo:

Se sou pai não olho o meu filho como menor naquele sentido em que se diz ter ainda muito para aprender e somos todos profundamente femininos!

Não é por isso que nos cairão os parentes na lama, muito antes pelo contrário ...

Uma vez mais, muito obrigado minha Querida


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Setembro de 2009

Filomena disse...

Jaime,

Gosto sempre de ler os seus textos.
Já lho tenho dito inúmeras vezes.
Mas nunca, ao ler um texto seu, me tinha acontecido o que desta vez me aconteceu. Chorar.
E não é por estar mais sensível e coisa e tal... nada disso.

Este texto, Jaime, é um dos mais bonitos que escreveu.

Um homem que assim escreve é metade de mim, meu igual, passo a passo.

Um beijo

Filomena

Jaime Latino Ferreira disse...

FILOMENA CLARO


Minha Querida,

Metade do céu é o que somos uns dos outros!

Beijinhos reconhecidos.

Reconhecidos de reconhecimento, de identificação!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Setembro de 2009

Brancamar disse...

Jaime,

Venho agora do blog Poesia Portuguesa e dou-lhe os parabéns redobrados porque já lhos dei lá. Cheguei aqui para ler e comentar o seu post, mas o Jaime escreve com uma energia que não consigo acompanhar, já tenho uns poucos para ler, mas não vou desistir, volto logo, pela noitinha, porque tudo o que escreve tem que ser lido com muita atenção.
Ontem estive todo o dia para umas vindimas no Douro, cheguei tarde e cansadita, só abri o computador para espreitar o correio, por isso volto já. Vim só para dizer para esperar um bocadinho por mim, hihi, isto sou eu a brincar, claro que não tem nada que esperar, eu lá chegarei a passo de caracol.
Até logo.
Beijinhos.
Branca

manuela baptista disse...

As vindimas no Douro, fizeram-me uma invejazita muito saudável!

Mas agora anda tudo pela Poesia Portuguesa?

Então eu também lá vou.

Adeus a todos

Manuela Baptista

Jaime Latino Ferreira disse...

BRANCAMAR


Acabei de a ler por lá e, agora aqui.

Por lá ainda não Lhe respondi, embora o que escreva, se me refere é dirigido à autora do blogue.

Também eu me surpreendi e foi a própria que me deu a informação que prontamente Lhe agradeci.

Esperar não vou esperar ou melhor sempre que escrevo espero, escrevo movido por uma inabalável esperança e daí talvez a energia que dos meus textos transparece ...!?

De seguida vou rever e editar a minha nova página que se liga, como a que se lhe seguirá e que também já está na calha, com a página desta caixa.

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 20 de Setembro de 2009