domingo, 17 de maio de 2009

ARTE E CIÊNCIA

Ambas, arte e ciência, não perdurariam nem se exponenciariam sem inspiração e sem técnica.
Inspiração ou criatividade que num caso, na arte a acrescenta de um sopro adicional e na ciência também, pela capacidade de interrogar o que se tem por adquirido.
Técnica, em ambas, sem a qual não seria possível representar tudo o que está para lá do que se vê, stricto senso e potenciando as linguagens que lhes são próprias, tanto à ciência como à arte.
Tanto a uma como à outra.
A ciência assenta na experimentação onde os factos, a sua apriorística observação confirma hipóteses em leis que se aplicam e transformam o real.
A arte, ao sujeitar-se à prova do tempo que a corrobora amplificando-a ou não e redimensionando, por sua acção também, a realidade.
Simétricos, num caso como no outro, à priori ou à posteriori, os factos as confirmam a ambas.
A arte informa a ciência e a ciência inspira a arte.
-
-
Eu escrevo
e na escrita exercito a minha técnica
mas se não fosse a capacidade crítica
de me interrogar
criando
de muito pouco a primeira serviria
-
-
" Não existe teoria, apenas escuta. A fantasia é a Lei."
( atribuido a Claude Debussy
)
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Maio de 2009

15 comentários:

Jaime Latino Ferreira disse...

RENATA FARIAS


Seja bem vinda a esta casa onde me apercebi que se acrescentou ao número daqueles que me seguem!

Do mesmo modo procedi Consigo onde me passa a contar entre os que A seguem a Si também.

De um para o outro lado do Atlântico, o meu bem haja!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Maio de 2009

jaime latino ferreira disse...

LUAR


Na Sonata ao Luar de Beethoven, a expressividade de Kempf espelha, qual oração ou inspiração profunda, o andamento lunar que se desenrola.

No Clair de Lune de Debussy, qual radiografia, ecografia, ecosonoplastia ou sonar, o som derrama-se e visualiza-se nas combinações harmónicas que a este poema acompanham o que se escuta numa animação gráfica, estatística, das sonoridades que se desdobram no teclado até se extinguirem.

No que se escuta, a imagem do Ser, somada à outra, a cromática da fantasia que evolui no tempo, são lei!


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Maio de 2009

manuela baptista disse...

E para desencalhar, venho desejar Bom Dia,

aos que aqui passam,
aos Oceanos,
a Beethoven,
a Debussy,
à Arte e
à Ciência.

Com tão fina companhia é impossível que o Domingo não seja feliz.

Abraços ecosonoplásticos, sonares e fantasiosos.

Manuela Baptista

Filomena disse...

Bom Dia!

Eu, entre provas de três turmas, escapadelas aos blogues, amassar uma bôla de carne e mais umas milhentas coisas, cá vou desejando que a Arte das palavras, aliada à Música, onde não falta a Ciência e o bom humor da Manuela nunca faltem.

Beijinhos e bom Domingo




Filomena

jaime latino ferreira disse...

FILOMENA


( Cena de Ciúmes )

Por ventura, Filomena, a mim, falta-me o bom humor ...!?

Ora esta!

( Brancamar )

A Si também Lhe agradeço o mail que me enviou, com o link de Nana MousKouri que a Filomena editou!

Beijinhos e um bom Domingo


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Maio de 2009

Filomena disse...

Ó Jaime!

O Menino também tem sentido de humor, Meu Querido( ai, estes pupilos invejosos!) mas sabe como é; temos que dar uns miminhos às Meninas... ( que pupilo mais rabino!).

Está mais calminho?

Já passou a birra? Não faça beicinho que me entope a rede!

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Beijinhos


Filomena

Alegria disse...

Agradeço por me aceitar em seu blog e seja muito bem vindo ao meu, escrevo porque gosto, mas enfim a vida tem que ser feita da maneira como se gosta, pelas nossas vontades e escolhas, sem medo de comentários ruins.

manuela baptista disse...

Eu também tenho ciúmes!

Quero um bocadinho de bôla de carne! O Jaime hoje está feito. O computador tem sido só meu.

Até mais logo.

Manuela Baptista

Filomena disse...

Açambarcadora!

A bolinha ficou boa graças a Deus!
Não sobrou quase nada porque o meu sobrinho e o meu irmão e mais o menino Zezinho até comiam a travessa se pudessem.

Mas aqui vai a receita:
*1 kg de farinha
*1/2 l de água morna
*1/4l de azeite
*30gr de fermento de padeiro.
*1 col. Sopa de sal
Dissolver o fermento e o sal na água morna.
Pôr a farinha, não toda, num recipiente e misturar a água já com o fermento e o sal.A meio misturar o azeite morno e deitar o resto da farinha
Untar o tabuleiro e polvilhá-lo com farinha, estender metade da massa com o rolo e pô-la no fundo do tabuleiro.
Pôr as carnes e cobrir com o resto da massa.
Colocar no forno pré aquecido a 180º durante cerca de 30m
Recheio - Nesta empada o costume é pôr presunto e chouriço previamente guisados na frigideira, mas fica ao gosto de cada um


Beijinhos grandes.

Vou continuar com as provas.


Filomena

manuela baptista disse...

A Arte Culinária

Obrigada pela receita, Filomena e comprove-se bem!

MB

Ana Cristina disse...

Olá amigos!

Os meus pais vieram almoçar e ver as fotos da Diana durante a queima das fitas.

O Alex também fica com ciúmes quando há "visitas" cá em casa, rsrsrs!!!!!

Na televisão a transmissão do 2º. dia do aniversário do Cristo-Rei,que víamos pelo canto do olho,deixou-me uma sensação de vazio e desconsolo.

O rio Tejo onde se juntaram, no sábado, uma mão cheia de embarcações à passagem da figura de Nª.Sra. de Fátima, devolveu-me a imagem de um país sem história, sem sonhos, sem objectivos, sem a espiritualidade a que o momento apelava.

Qualquer vitória futebolística nesta fase final de campeonatos um pouco por todo o país,leva às ruas mais gente, mais alegria, mais alienação.

Estranho mas compreensível,não!?

Depois de um encontro promovido pela Igreja sob o lema (espero não me enganar..) "Reinventar a Esperança" ou seria "Reinventar a Solidariedade", para quando um olhar profundo sobre a renovação radical da Igreja e dos actos religiosos.

Nada atrai.
Nada emociona.
Nada faz reflectir.
Nada promove a participação.
Nada envolve.

Em que momento do percurso se terá optado pela riqueza,pela opulência,pelo discurso hermético,pelos cânticos enfadonhos e entediantes,pelas vestes absurdas que intimidam,pela distância dos santuários e das catedrais?

Em que momento do caminho se terão deixado para trás as pequenas capelas ou ermidas,abandonadas e fechadas a cadeado?

Ninguém reinventa a esperança.
Ninguém reinventa a solidariedade.
Ninguém reinventa a amizade, o amor, o respeito, a educação ou a integridade.

Ninguém inventa, nem tão pouco reinventa a humanidade e a essência do ser humano.

1 grande abraço.
Ana Cristina

jaime latino ferreira disse...

FILOMENA


Finalmente e após ter preparado a página que ainda hoje será dada à estampa, minha mulher deu-me espaço para vir pôr a escrita em dia!

Então o meu beicinho entope a rede!?

Pudera, com tantos kapas ...!

Uma ri-se com kkkkkkks;

A outra com rsrsrsrsrs;

A outra ainda, prepara a página que se seguirá;

Lambusam-se com culinárias para cá e para lá, mas eu é que entupo a rede!

Pois claro ...!

Beijinhos


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Maio de 2009

jaime latino ferreira disse...

ALEGRIA


Não sei como a trate, se assim ou como Renata ...!?

Eu já tentei deixar um comentário no Seu blogue mas não consegui.

Podemos, no entanto e sempre correspondermo-nos por aqui.

Não tem nada que agradecer pois é um prazer tê-La entre nós.

Quanto aos comentários ruins, como Lhes chama:

Sou senhor de minhas opções e mal me ficaria pôr qualquer entrave a eventuais comentários ruins que aqui se possam vir a fazer.

Tenho unhas e toco viola e se me exponho a eles me não poderei furtar e terei, caso aconteça, de lhes fazer frente.

Sabe, desde que comecei a editar o meu blogue nunca, até hoje, tal aconteceu ...

Se vierem, far-lhes-ei frente exactamente como diz, sem medo!

Um beijinho, Seu


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Maio de 2009

jaime latino ferreira disse...

ANA CRISTINA


Querida Nini,


A minha Amiga quando desata os dedos, ai, ai de quem a apanhe!

Está-me a comparar com o Alex!?

E ele rosna assim, tal qual a minha Amiga ri!?

Como é que ele consegue pronunciar os ésses!???

E, depois, o que se segue ...!

Vou resumir as respostas às Suas interrogações assim:

Eu acho que nós somos é um país demasiado cheio de História se é que isto se pode dizer e tal como o catolicismo dela está ainda mais cheio também!

Tão demasiados cheios de História que ela tende a pesar e a vergar quem a carrega.

Agora há uma coisa que eu só Lhe perdoo por ser demasiado Seu amigo:

É que, na minha modéstia mas não falsa, julgava estar a contribuir para reinventar tudo aquilo que a minha Amiga escreve que já ninguém reinventa até à essência humanística da Humanidade!?

Agora, quem me entupiu foi a Nini!

Um beijinho para Si


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 17 de Maio de 2009

Ana Cristina disse...

Meu amigo

O Jaime não está a reinventar a Humanidade, mas sim a contribuir para que ela se mantenha com excelência!

Eu também sou muito sua amiga ;)

E agora, "me voy" a dar o passeio da noite com o Alex ,que acordou depois de ter ressonado deitado no tapete da sala.

Um encanto este meu cão,rsrs!
Ou como diria o meu cunhado Manel:"Um cão civilizado"!

Beijinhos.
Nini