terça-feira, 12 de maio de 2009

ZÉNITE

-
Zénite ou o exacto ponto acima da cabeça e projectado na abóbada celeste
intersecção da vertical superior do lugar com a esfera celeste
-
Marco referencial de localização da rosa dos ventos em relação à posição do observador com os objectos celestes à sua volta
-
Auge
apogeu
culminância
-
Ilusão do lugar
do lugar escrito
fixa e simultaneamente fugidia sensação de realização
de plenipotência
-
O belo
poesia
música
Deus
ou um eu
simultaneamente preenchido e logo dividido
entre um não e um sim
-
Percurso sempre por refazer
-
Efémero orgasmo
-
Permanente busca
-
http://www.youtube.com/watch?v=rz5midzzKpM
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 12 de Maio de 2009

5 comentários:

manuela baptista disse...

Encontrando o Fio à Meada

Respondendendo à Ana Cristina,

os peregrinos buscam o infinito, o absoluto, mesmo se perdidos na ingenuidade e pureza da sua Fé,no sacrifício tantas vezes desprezado, joelhos que sangram no caminho tortuoso das promessas cumpridas a uma virgem que, acreditemos ou não na sua aparição aos pastorinhos (Fátima não é um dogma),anda por ali como companheira de estranhas viagens.
Protagonistas da mudança desta civilização equivocada? A Fé simples é a mais poderosa, atinge o zénite do mistério.

Claro que a Pousada da Flor da Rosa agrada-me e é também muito ligada à peregrinagem, pois acho que a Ordem deste antigo convento era Hospitaleira.

À Filomena com lágrimas, envio beijinhos e digo que leia a minha "História Para Enganar os Dias". A Isabel Venâncio empresta-lha.

Ao Jaime, agradeço esta bonita página e o mapa celeste que nos conduz ao zénite!

Confesso que ainda não ouvi o poema (que conheço)mas agora estou com pressa e tive de procurar o fio a esta meada que se estende por várias folhas.

Sugiro um cognome para este blog Diário (às vezes bi-diário) das Palavras.

Agora vou procurar os pontos cardeais lá em baixo na praia.

Manuela Baptista

jaime latino ferreira disse...

NA PRAIA


Te encontrarei mergulhada
Entre a menina e a raia
Princesa como uma fada
Uma senhora de saia

Zénite és minha faia
Redescoberta encantada


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 12 de Maio de 2009

Filomena disse...

Manuela!

Mas claro que já li a " História para enganar os dias" !!!
Acha que, entre lágrimas e suspiros, por acaso ando distraída?

Beijinhos!


Filomena

Quanto às Pousadas, conheço e até já pernoitei na de Stª Maria de Bouro, se bem que, prefira a Pousada do Gerês e a de Stª Luzia em Viana.
Não se ponham a falar de Pousadas que eu nunca mais me calo... gosto imenso da de Ourém( perto de Fátima).É, aliás, um local de romagem obrigatório sempre que passamos por aquelas bandas.

manuela baptista disse...

Eu proponho então uma romaria pelas Pousadas da nossa vida no sentido místico e real do termo. Eu e o Jaime também temos umas quantas preferidas, como a de Arraiolos, Marvão e Mesão Frio.

Se o argumento me agradar poderá ser a minha próxima página sem páginas.Para dirigir, como não posso contactar o Ingmar Bergman,
tentarei um completamente diferente como o Nanni Moretti que é bom em deambulações interiores.

Se tiverem outras ideias digam.

Filomena, eu não a estava a mandar ler histórias, assim como quem a manda dar uma curva. Era só para a animar e para lhe secar as lágrimas...Embora ache que os sconezinhos que fizeram lá na sua escola, ajudam a animar, pelo menos um estômago mais sensível.

Envio beijinhos para si e para a Ana Cristina que também é boa em pousadas (e não só, claro!).

Daqui a pouco chegará o Jaime e queixar-se-á de que eu lhe estrago a mística ou o zénite, neste caso lunar, porque já está escuro.

Aqui pousada no Estoril,

Manuela Baptista

Jaime Latino Ferreira disse...

MANUELA


... !


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 12 de Maio de 2009