sábado, 15 de agosto de 2009

IMPÉRIO DA VONTADE

Império desejado
da vontade
que das saudades
guarde aquilo que tenha
e saiba
contra ventos
potestades
ir sempre mais longe
do que os cobardes
-
Império seja de um querer
tendo o poder
apenas da palavra
e do saber
sem impor
atroz
qualquer ferrete
de achar que tudo sabe
sem saber
-
Império da vontade
sentir
que há-de
apenas pela razão
ir ao que sabe
sem destronar
legítimas cidades
poderes comprometidos
nas liberdades
-
-
Jaime Latino Ferreira
Estoril, 15 de Agosto de 2009
Rooms By The Sea

6 comentários:

Filomena disse...

Jaime,

Com a palavra podemos ganhar as mais invencíveis guerras.

Beijinhos


Filomena

manuela baptista disse...

Em dia da Dormição da Virgem

cada um constrói os seus Impérios, dormentes, dormidos ou acordados.
Em quartos junto ao mar ou em palavras a batalhar.

Manuela Baptista

manuela baptista disse...

Como a música era compridinha, só agora acabei de a ouvir!

Mas é muito bonita!

MB

Jaime Latino Ferreira disse...

COM A PALAVRA


Com a palavra
como lavra
cuida-se da terra
e do Homem
da Mulher
na sua virgindade
sacralidade
que há-de dar ao mundo
mais do que igualdade

Vence-se a guerra
Vence a Terra


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 15 de Agosto de 2009

Ana Cristina disse...

Impérios?

Só na história ainda os vislumbramos e tentamos entender como se ergueram e como se extinguiram em pó e ruínas.

Estamos cada vez mais vulneráveis.
Estamos cada vez mais sozinhos.
Estamos cada vez mais derrotados.
Estamos cada vez mais apáticos.

Pese embora vivamos na era do conhecimento,da ciência e da globalização.

Vivemos sem rosto.
Anónimos.
Cobardes.
Aprisionados.

Freiheit? Wo bist du?

1 abraço.
Ana Cristina

Jaime Latino Ferreira disse...

IMPÉRIO


Império
assunto tabú
mas talvez um desidério
se na palavra
a força
o poder
e o mistério
se nela estiver o antídoto
da derrota
e solidão
da apatia
ou da vulnerabilidade
da vulgaridade
que nos traga humanidade
suporte da globalização

Na palavra
o destino
a vontade
e a razão

O Mundo é só um


Jaime Latino Ferreira
Estoril, 16 de Agosto de 2009